Diferenças entre edições de "Comércio"

171 bytes adicionados ,  17h59min de 18 de novembro de 2019
m
Foram revertidas as edições de 177.52.125.146 (usando Huggle) (3.4.9)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 177.52.125.146 (usando Huggle) (3.4.9))
Etiquetas: Huggle Reversão
{{mais-notas|data=julho de 2009}}
[[File:Wojciech_Gerson_-_Gdańsk_in_the_XVII_century.jpg|thumb|right|Gdańsk]]
[[Imagem:EstatuaComercioBolsaCafe.jpg|thumb|direita|210px|Estátua representando o Comércio na torre da [[Bolsa Oficial de Café|Bolsa de Café]] em Santos, obra de [[Adrien Henri Vital van Emelen]].]]
[[Imagem:EstatuaComercioBolsaCafe.jpg|thumb|direita|210px|EstátuaO representando'''comércio''' o Comérciobaseia-se na torre da [[Bolsa Oficial de Café|Bolsa de Café]] em Santos, obra detroca voluntária de [[produto]]s. As trocas podem ter lugar entre dois parceiros (comércio bilateral) ou entre mais do que dois parceiros (comércio multilateral). Na sua forma original, o comércio fazia-se por [[troca direta]] de produtos de [[valor (economia)|valor]] reconhecido como diferente pelos dois parceiros, cada um valoriza mais o produto do outro. Os comerciantes modernos costumam negociar com o uso de um meio de troca indireta, o [[dinheiro]]. É raro fazer-se troca direta hoje em dia, principalmente nos países industrializados. Como consequência, hoje podemos separar a '''compra''' da '''venda'''. A invenção do dinheiro (e subsequentemente do [[crédito]], [[papel-moeda]] e dinheiro não-físico) contribuiu grandemente para a simplificação e promoção do desenvolvimento do comércio. Na [[idade média]], o comércio (''Mercatura'') era classificado como uma das [[Artes mecânicas]].<ref>Maiorino, Giancarlo. ''At the Margins of the Renaissance: Lazarillo de Tormes and the Picaresque Art of Survival.'' {{en}} Penn State Press, 2010, página 13. ISBN 9780271047577 (04/02/2016).</ref>ta tudo certo
 
A maioria dos [[Economia|economistas]] aceita a teoria de que o comércio beneficia ambos os parceiros, porque se um não fosse beneficiado ele não participaria da troca, e rejeitam a noção de que toda a troca tem implícita a exploração de uma das partes. O comércio, entre locais, existe principalmente porque há diferenças no custo de produção de um determinado produto comerciável em locais diferentes. Como tal, uma troca aos preços de [[mercado]] entre dois locais beneficia a ambos.