Diferenças entre edições de "B3 (bolsa de valores)"

159 bytes adicionados ,  00h56min de 20 de novembro de 2019
m
ajustando datas, traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script, Foram preenchidas 2 referências com reFill ()
m (ajustando datas, traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script, Foram preenchidas 2 referências com reFill ())
|imagem = [[Imagem:Bovespa.jpg|250px|centro]]
|tipo = Bolsa de valores
|cidade = São Paulo
|país = Brasil
|coordenadas =
|rodapé =
}}
'''B3''' (estilizado como '''[B]³''' em referência às letras iniciais de ''Brasil, Bolsa, Balcão'') é a [[bolsa de valores]] oficial do [[Brasil]], sediada na cidade de [[São Paulo]]. Em 2017, era a quinta maior [[Bolsa de valores|bolsa]] de [[mercado de capitais]] e [[Mercado financeiro|financeiro]] do mundo, com patrimônio de 13 bilhões de dólares.<ref>{{Citar periódico|titulo=Fusão entre BM&FBovespa e Cetip cria a B3, 5ª maior bolsa de valores do mundo|jornal=Agência Brasil - Últimas notícias do Brasil e do mundo|url=http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-03/fusao-entre-bmfbovespa-e-cetip-cria-b3-5a-maior-bolsa-de-valores-do-mundo|editora=EBC|acessodata=15 de abril de 2017}}</ref>
 
A B3 surgiu sob o formato atual após a fusão da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo ('''BM&FBOVESPA''') com a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos ('''CETIP'''), aprovada pela [[Comissão de Valores Mobiliários]] (CVM) e pelo [[Conselho Administrativo de Defesa Econômica]] (CADE) em 22 de março de 2017.<ref>{{Citar periódico|titulo=CVM aprova fusão entre BM&FBovespa e Cetip|jornal=investing.com Brasil|url=https://br.investing.com/news/mercado-de-a%C3%A7%C3%B5es-e-financeiro/cvm-aprova-fus%C3%A3o-entre-bm-amp;fbovespa-e-cetip-234503}}</ref> A BM&FBOVESPA havia surgido em 8 de maio de 2008, quando houve a fusão da Bolsa de Valores de São Paulo ('''Bovespa'''), cuja criação remonta a 1890, e a Bolsa de Mercadorias e Futuros ('''BM&F'''), fundada em 1917.<ref>{{Citar web |url=http://www.bmfbovespa.com.br/English/NewExchange.asp |publicado=Bmfbovespa.com.br |título=BM&FBOVESPA: About us |data= |acessodata=}}</ref>
Em 29 de agosto de 2002, foi lançada a [[Bolsa Brasileira de Mercadorias]], que reunia, além da BM&F, que lhe presta serviços de compensação e liquidação, as bolsas de mercadorias dos estados de [[Goiás]], [[Mato Grosso do Sul]], [[Minas Gerais]], [[Paraná]] e [[Rio Grande do Sul]] e da cidade de [[Uberlândia]] (MG), transformadas em Centrais Regionais de Operação, com o intuito de formar um grande mercado nacional para as commodities agropecuárias, com mecanismos modernos de formação de preços e sistema organizado de comercialização.<ref name="História"/><ref name="História2"/><ref name="História3"/>
 
[[Imagem:BM&FBovespa.png|miniatura|upright=1.3|Logo da BM&FBOVESPA.]]
 
No dia 29 de janeiro de 2004, o [[Banco Central do Brasil]] emitiu resolução por meio da qual autorizou as bolsas de mercadorias e futuros a constituir bancos comerciais para atuar no desempenho de funções de liquidante e custodiante central, prestando serviços às bolsas e aos agentes econômicos responsáveis pelas operações nelas realizadas. Assim, a BM&F deu início ao processo de criação do Banco BM&F de Serviços de Liquidação e Custódia. Em 30 de novembro de 2007 a BM&F torna seu [[capital aberto]], registrando um recorde na procura de seus papéis, negociados sob o código ''BMEF3.SA'', com preço inicial de 20 reais por ação e lote padrão de 100 ações. O volume de negócios nos primeiros momentos de negociação foi tão grande que causou uma pane no sistema [[Bolsa de Valores de São Paulo|BOVESPA]]. Os primeiros negócios foram realizados no valor de 25 reais por ação.<ref name="História"/><ref name="História2"/><ref name="História3"/>
{| class="wikitable floatright"
|-
|+Número de investidores pessoa física na B3<ref>[{{citar web|url=http://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/servicos-de-dados/market-data/consultas/mercado-a-vista/historico-pessoas-fisicas/]|título=Histórico pessoas físicas - B3|website=www.b3.com.br}}</ref>
|-
! Ano
|-
| 2002
| 85,249
|-
| 2003
| 85,478
|-
| 2004
| 116,914
|-
| 2005
| 155,183
|-
| 2006
| 219,634
|-
| 2007
| 456,557
|-
| 2008
| 536,483
|-
| 2009
| 552,364
|-
| 2010
| 610,915
|-
| 2011
| 583,202
|-
| 2012
| 587,165
|-
| 2013
| 589,276
|-
| 2014
| 564,116
|-
| 2015
| 557,109
|-
| 2016
| 564,024
|-
| 2017
| 619,625
|-
| 2018
| 813,291
|-
| 2019
| 1,536,216
|}
A [[Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos]] (CETIP S.A.) foi criada em 1984 como um braço operacional da Associação Nacional dos Dirigentes do Mercado Aberto ([[ANDIMA]]), sob a forma de [[sociedade civil]] brasileira, [[Organizações sem fins lucrativos |sem fins lucrativos]]. Iniciou suas operações em 1986, passando, desde então, a disponibilizar sistemas eletrônicos de custódia, registro de operações e liquidação financeira no [[mercado financeiro |mercado]] de títulos públicos e privados. Participou ativamente do desenvolvimento do mercado financeiro, em estreita ligação com o mercado e os órgãos de regulação, propondo, criando, viabilizando e operacionalizando soluções e sistemas para suporte das operações de seus participantes, desempenhou papel relevante no processo de privatização da empresas públicas e na concepção e operacionalização do Sistema de Pagamentos Brasileiro.<ref name="História"/><ref name="História2"/><ref name="História3"/>
[[Imagem:Sao Paulo Stock Exchange.jpg|miniatura|esquerda|Painel de cotações em 2007.]]
[[Imagem:Bovespa_Traders.jpg|miniatura|esquerda|Bovespa em 2009.]]
 
A CETIP era conhecida por seu ambiente de balcão que, diferentemente do ambiente de bolsa, oferece aos participantes uma maior flexibilidade para o registro da negociação de títulos e valores mobiliários de [[renda fixa]], assim como registrar, custodiar e liquidar títulos públicos estaduais e municipais emitidos após 1992, títulos representativos de dívidas de responsabilidade do [[Tesouro Nacional]], além de todos os créditos securitizados da União, da Dívida Agrícola, dos Títulos da Dívida Agrária e também dos certificados financeiros do Tesouro e principalmente a custódia de [[Derivativos]] de balcão. Era a integradora do mercado financeiro, pois oferecia produtos e serviços de registro, custódia, negociação e liquidação de ativos e títulos. Era também a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina e a maior câmara de ativos privados do país, com estoque de mais de cinco trilhões de reais, em início de 2015, com movimentação diária de 42,68 bilhões de reais e liquidação financeira de 30,34 bilhões de reais.<ref name="História"/><ref name="História2"/><ref name="História3"/>
Em 22 de março de 2017, a [[Comissão de Valores Mobiliários]] (CVM) e o [[Conselho Administrativo de Defesa Econômica]] (CADE) aprovaram a fusão da CETIP com a BM&FBovespa. A empresa passou a ser a 5º maior bolsa de mercado de capitais e financeiro do mundo, com patrimônio de 13 bilhões de dólares.<ref name="B3"/><ref>{{citar web |url=http://exame.abril.com.br/mercados/o-que-muda-com-a-b3-a-ex-bmfbovespacetip/ |titulo=O que muda com a B3, a ex-BM&FBovespa/Cetip |editor=[[Revista Exame]] |data=31 de março de 2017 |autor=Rita Azevedo |acessodata=13 de agosto de 2017}}</ref>
 
Em outubro de 2019 a B3 atingiu 1,5 milhões de investidores pessoa física.<ref>[{{citar web|url=https://valor.globo.com/financas/noticia/2019/10/29/nmero-de-pessoas-fsicas-na-bolsa-atinge-15-milho.ghtml]|título=Número de pessoas físicas na bolsa atinge 1,5 milhão|website=Valor Econômico}}</ref>
 
== Estrutura ==
 
=== Novo Mercado ===
O ''Novo Mercado'' da ''[[Bolsa de valores|B3]]'' é uma listagem de empresas que possuem práticas de [[governança corporativa]] diferenciadas, além das obrigações legais.<ref>{{Citar web|url=http://www.b3.com.br/pt_br/regulacao/estrutura-normativa/listagem/|publicado=b3.com.br|título=Regulamento de Listagem|data=|acessodata=044 de julho de 2019|arquivourl=http://www.b3.com.br/pt_br/regulacao/estrutura-normativa/listagem/|arquivodata=|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
A entrada de uma ''[[Sociedade anónima|companhia]]'' no Novo Mercado implica na adesão de um conjunto de regras de "boas práticas de governança corporativa", presentes no Regulamento de Listagem do Novo Mercado, através da assinatura de um contrato.<ref>{{Citar web|url=http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/listagem/acoes/segmentos-de-listagem/novo-mercado/|titulo=Segmentos de listagem|acessodata=2017-11-27|obra=www.bmfbovespa.com.br}}</ref> As empresas deste segmento de listagem podem emitir somente ações com direito de voto, conhecidas como ações ordinárias ou ON.<ref>{{Citar web|url=http://www.b3.com.br/pt_br/produtos-e-servicos/solucoes-para-emissores/segmentos-de-listagem/novo-mercado/|publicado=b3.com.br|título=Segmentos de Listagem|data=|acessodata=18 de agosto de 2019|arquivourl=http://www.b3.com.br/pt_br/produtos-e-servicos/solucoes-para-emissores/segmentos-de-listagem/novo-mercado/|arquivodata=|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
== Especulação financeira ==
[[Imagem:World Stock Chart 2009-2012.gif|thumb|Gráfico da [[Mundial S.A.]] no período de dezembro de 2009 a dezembro de 2012]]
 
=== Laep ===