Diferenças entre edições de "Dias da semana"

Sem alteração do tamanho ,  03h48min de 21 de novembro de 2019
m
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de Otkrkemfkgkdksdk para a última revisão de Hyomaru, de 09h31min de 20 de outubro de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
m
Os nomes dos dias da semana na maioria dos idiomas derivam dos nomes dos [[planeta]]s clássicos na [[astrologia]] helenística. Na [[antiguidade clássica]], as Sete Luminárias sagradas são os sete objetos não fixos visíveis no céu: a [[Lua]], [[Mercúrio (planeta)|Mercúrio]], [[Vênus (planeta)|Vênus]], [[Sol]], [[Marte (planeta)|Marte]], [[Júpiter (planeta)|Júpiter]] e [[Saturno (planeta)|Saturno]]. A palavra planeta vem da palavra grega πλανήτης, planētēs "planeta" (abreviação de asteres planetai "estrelas errantes"), expressando o fato de que esses objetos se movem através da esfera celestial em relação às estrelas fixas. Esse sistema de nominata de planetas foi introduzido no [[Império Romano]] durante a [[Antiguidade tardia]], associado a alguns [[deuses olímpicos]]. Em algumas outras línguas, os dias da semana são nomeados conforme as divindades correspondentes da cultura regional.
 
A [[Língualíngua portuguesa]] é a única [[línguas românicas|língua românica]] em que foi substituído o nome dos planetas pelos numerais. Em 563 d.C, São [[Martinho de Dume]], bispo [[Igreja católica|católico romano]] de [[Braga]], entendeu que na [[Semana Santa]], a época do ano mais sagrada para os católicos, devido à [[Paixão de Cristo]], seria uma blasfêmia chamar os dias pelos seus nomes pagãos.<ref>Kimminich, E. (1991). ''[http://search.proquest.com/docview/740655028?accountid=12339 "The way of vice and virtue: A medieval psychology."]''Comparative Drama, 25(1), 77-86. Retrieved March 5, 2015.</ref> Escreveu ele:
<nowiki/>{{quote|Pois os infiéis irritaram Deus e não acreditam de todo o coração na fé de Cristo, mas são incrédulos que colocam os próprios nomes dos demônios em cada dia da semana e assim eles falam do dia de Marte, de Mercúrio, de Júpiter, de Vênus e de Saturno, [demônios] que nunca criaram um dia sequer, mas como eram homens malvados e perversos entre a raça dos gregos [nominaram os dias assim].<ref name="Braga, M. 2010">(Braga, M. & Dumium, P. & Seville, L. & Barlow, C. W.(2010). Iberian Fathers, Volume 1 (The Fathers of the Church, Volume 62). Washington: The Catholic University of America Press. Retrieved March 5, 2015.)</ref>}}