Diferenças entre edições de "Grande Prêmio de Singapura de 2008"

13 bytes removidos ,  14h05min de 11 de dezembro de 2019
 
 
==Singapuragate==
'''Singapuragate''' foi como ficou conhecido um escândalo de manipulação de resultado orquestrado pelo então chefe da equipe Renault, [[Flavio Briatore]] juntamente com o ex-diretor de engenharia da equipe [[Pat Symonds]]. Ambos orquestraram uma batida proposital de um dos pilotos da equipe, o brasileiro [[Nelson Angelo Piquet|Nelsinho PiquetJr.]], para favorecer seu companheiro de equipe [[Fernando Alonso]]. Nelsinho foi "convencido" com a promessa de que teria seu contrato renovado.<ref>[http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/voando-baixo/post/cinco-anos-da-bomba-de-reginaldo-leme.html globoesporte.globo.com/] ''Cinco anos da bomba de [[Reginaldo Leme]]''</ref>
 
A tramoia aconteceu da seguinte forma: na 12ª volta, para estranheza geral, a Renault de Alonso (que largara na 15a posição do grid) entrou nos boxes para sua primeira – e aparentemente prematura – parada. Duas voltas depois, Nelsinho cumpriu a ordem do time, escorregou de traseira na saída numa curva em que não havia possibilidade de o carro ser retirado sem a entrada do safety car e espatifou seu carro no muro.<ref name="ge"/>
Embora tenha causado a desconfiança dos demais pilotos, o caso só veio à tona em agosto do ano seguinte, quando o jornalista brasileiro [[Reginaldo Leme]], deu o furo mundial durante a transmissão do [[Grande Prêmio da Bélgica de 2009|GP da Bélgica]] daquele ano.<ref name="ge">[http://globoesporte.globo.com/motor/formula-1/noticia/2013/09/corridas-historicas-armacao-que-baniu-briatore-e-tirou-nelsinho-da-f-1.html globoesporte.globo.com/] ''Corridas Históricas: a armação que baniu Briatore e tirou Nelsinho da F-1''</ref>
 
Em setembro de 2009 foi comprovada pela [[FIA]], que a equipe Renault ordenou que o companheiro de equipe de [[Fernando Alonso]], [[Nelson Angelo Piquet Jr.]] batesse de forma proposital contra o muro na curva 17, para forçar a entrada do [[safetycarro de carsegurança]]. Dessa maneira, Alonso, que foi chamado aos boxes duas voltas antes, conseguiu assumir a liderança e conquistar a vitória.<ref>[http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2009/interna/0,,OI3951702-EI12988,00-Envolvida+em+possivel+escandalo+Renault+pode+deixar+F.html Envolvida em possível escândalo, Renault pode deixar F1]</ref><ref>[http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2009/interna/0,,OI3970909-EI12988,00-FIA+divulga+telemetria+e+confirma+marmelada+de+Nelsinho+e+Renault.html FIA divulga telemetria e confirma "marmelada" de Nelsinho e Renault]</ref>
 
O julgamento desse caso acarretou na sua permanência condicional por dois anos na equipe Renault, ou seja, durante este período não poderá se envolver em graves incidentes e deve colaborar com o desenvolvimento de tecnologias que melhorem a segurança da categoria. Neste mesmo julgamento o ex-diretor chefe da escuderia [[Flavio Briatore]] foi banido dos esportes a motor e o ex-diretor de engenharia da equipe [[Pat Symonds]] foi suspenso por cinco anos. O piloto brasileiro foi livrado de punição por colaborar com as investigações e [[Fernando Alonso]] foi declarado inocente, pois segundo o [[Conselho Mundial de Esporte a Motor]] ele desconhecia a farsa.<ref>[http://esporte.uol.com.br/f1/ultimas-noticias/2009/09/21/ult4361u2883.jhtm FIA adverte a Renault, 'livra' os pilotos e bane Briatore da F-1]</ref>