Tarquinia: diferenças entre revisões

13 bytes removidos ,  22 de dezembro de 2019
sem resumo de edição
 
==História==
Tarquinia ([[latim]]: ''Tarquinii''; em etrusco, ''Tarch(u)na'' ou ''Tarchnal'') era uma cidade próspera quando [[Demarato de Corinto]] trouxe para lá operários gregos. Era a principal cidade da [[Etrúria]], e aparece no início da história de Roma como a casa de dois dos seus reis, [[Tarquínio Prisco]] e [[Tarquínio, o Soberbo|Tarquínio Superbus]].<ref name="demo.istat.it"/><ref name="http"/><ref name="dati.istat.it"/> Diz-se que derivou muitos ritos e cerimónias da antiga Roma, e mesmo na época imperial, um colegiado de sessenta [[arúspice]]s continuou a existir no local. O povo de Tarquinia e Veii[[Veios]] tentou restaurar Tarquínio, o SuperbusSoberbo ao trono após a sua expulsão.
 
Em 358 a.C. cidadãos de TarquiniiTarquinia capturaram e condenaram à morte 307 soldados romanos: a guerra acabou em 351 com a trégua de quarenta anos, renovado por um período similar em 308. Tarquinia caiu sob o domínio romano no ano 281 a.C., sendo desconhecido quando se tornou município. Em 181 a.C. o seu porto, GraviscaeGraviscas (mod. Porto Clementino), em situação insalubre na costa baixa, tornou-se colónia romana, exportando vinho, pescas e coral. Não há muitos relatos do tempo dos romanos, continuando nas colinas acima da estrada costeira. Os autores clássicos mencionam o linho e as florestas do seu território extenso, e Tarquínio ofereceu a Cipião lonas para velas em 195 a.C. Um bispo de Tarquinia é mencionado em 456.
 
O local de origem da cidade etrusca de Tarquinia, conhecido como o "Civita", está localizado numa meseta a norte da cidade de hoje.