Diferenças entre edições de "Compensação de guerra"

164 bytes adicionados ,  18h14min de 2 de janeiro de 2020
 
===Segunda Guerra Mundial===
Após a Segunda Guerra Mundial, de acordo com a [[Conferência de Potsdam]], realizada entre 17 de julho e 2 de agosto de 1945, a Alemanha teve que pagar aos aliados 20000 milhões de dólares, principalmente em máquinas e fábricas, mas o que foi planejado não ocorreu devido a [[fascismo nos Estados Unidos|recusa americana a financiar a URSS]].<ref>Jacques OR. pagamentoPauwels, deThe reparaçõesMyth àof Uniãothe SoviéticaGood terminouWar: emAmerica in the Second World War, Toronto, 2002, pp. 1953201-05.</ref> Em suma, de acordo com a política de desindustrialização da Alemanha, um grande número de fábricas civis foram desmontadas para serem transportadas para a França e o Reino Unido, ou simplesmente foram destruídas. Este desmantelamento parou em 1950.
 
No final, as vítimas da guerra em muitos países foram compensadas com as propriedades dos alemães que foram expulsos após a Segunda Guerra Mundial. No final da guerra, os Estados Unidos iniciaram imediatamente e prosseguiram por dois anos um vigoroso programa de coleta de conhecimento tecnológico e científico alemão, bem como todas as patentes na Alemanha. O historiador John Gimbel indica no seu livro "Ciência, Tecnologia e Reparações: Exploração e saque no pós-guerra na Alemanha" que as "reparações intelectuais" tomadas pelos Estados Unidos e Reino Unido estavam perto de 10.000 milhões. Parte das reparações da Alemanha foram pagas na forma de [[trabalho forçado]]. Em 1947, cerca de 4 milhões de prisioneiros civis de guerra alemães foram usados ​​como escravos virtuais (sob o título russo de "trabalhos de reparação de guerra") na União Soviética, França, Reino Unido, Bélgica e Alemanha (com o termo americano "Unidades de Serviço Militar").
Utilizador anónimo