Arquitetura vernacular: diferenças entre revisões

1 342 bytes adicionados ,  14 de janeiro de 2020
A arquitetura projetada por arquitetos profissionais nao é normalmente considerada vernácula. De facto, pode-se até argumentar que o próprio processo de projectar conscientemente um edifício torna-o nao vernáculo. Paul Oliver<ref>{{Citar livro|url=https://www.worldcat.org/oclc/50495617|título=Dwellings : the vernacular house world wide|ultimo=Oliver, Paul, 1927-2017,|local=London|isbn=0-7148-4202-8|oclc=50495617}}</ref> no seu livro ''Dwellings'' oferece a seguinte simples definição de arquitetura vernacular: "a arquitectura do povo, e pelo povo, mas não para o povo."
 
[[Frank Lloyd Wright]] descreve a arquitetura vernacular como "o edifício popular crescendo em resposta às necessidades reais, encaixado no ambiente por pessoas que não sabiam melhor do que encaixá-lo com sentimento nativo"<ref>{{Citar livro|url=https://www.worldcat.org/oclc/50495617|título=Dwellings : the vernacular house world wide|ultimo=Oliver, Paul, 1927-2017,|local=London|isbn=0-7148-4202-8|oclc=50495617}}</ref>, sugerindo que é uma forma primitiva de design, sem pensamento inteligente, mas ele também afirma que "para nós mais vale a pena o seu estudo do que todas as tentativas acadêmicas altamente autoconscientes de beleza na Europa".{{Referências}}
 
Em 1964, a exposição ''Arquitetura sem Arquitetos'' foi apresentada no [[Museu de Arte Moderna (Nova Iorque)|Museu de Arte Moderna de Nova York]] por Bernard Rudofsky. Acompanhada por um livro com o mesmo título<ref>{{Citar livro|url=http://worldcat.org/oclc/66736675|título=Architecture without architects : a short introduction to non-pedigreed architecture|ultimo=Rudofsky, Bernard, 1905-1988.|data=2002|editora=University of New Mexico Press|isbn=0-8263-1004-4|oclc=66736675}}</ref>, incluindo fotografias a preto e branco de edifícios vernáculos em todo o mundo, a exposição foi extremamente popular. Foi Rudofsky quem primeiro fez uso do termo vernáculo em um contexto arquitetônico, e trouxe o conceito aos olhos do público e da arquitetura convencional: "Por falta de um rótulo genérico chamar-lhe-emos vernacular, anónimo, espontâneo, indígena, rural, conforme o caso" No entanto, o leque de estudos sobre arquitectura vernacular desde a publicação do livro sugere que a caracterização de Rudofsky era limitada e problemática; de facto, muitas vezes a arquitectura vernacular ''não'' é anónima e é concebida de forma muito intencional, aprendida através de gerações de prática e baseada na disponibilidade de materiais particulares e profundamente afectada pelo clima (e, portanto, não "espontânea").{{Referências}}
 
==Bibliografia==
827

edições