Diferenças entre edições de "Numância"

1 byte removido ,  18h02min de 15 de fevereiro de 2020
m
Foram revertidas as edições de 84.90.92.17 para a última revisão de Lustmoon, de 18h57min de 17 de agosto de 2018 (UTC)
(Data)
m (Foram revertidas as edições de 84.90.92.17 para a última revisão de Lustmoon, de 18h57min de 17 de agosto de 2018 (UTC))
Etiqueta: Reversão
'''Numância''' foi um antigo assentamento [[Celtibérios|celtibério]], cujos restos mortais estão localizados a 7 km ao norte da cidade de [[Soria]], em uma colina conhecida como Cerro de la Muela no município de [[Garray]], situada nas margens do [[Rio Douro]], na [[Espanha]].<ref>{{citar web|url=https://pleiades.stoa.org/places/246523 |título=Places: 246523 (Numantia) |último =Keay, S., R. Mathisen, H. Sivan |publicado=Pleiades |acessodata=30 de abril de 2017}}</ref>
 
Fundada no início do {{-séc|III}}, e habitada pelos [[arévacos]], um povo [[celtibero]], foi destruída pelas tropas romanas de [[Cipião Emiliano]] em {{AC|1033133|x}}, após um [[Cerco de Numância|cerco]] de onze meses que pôs fim a uma feroz resistência de vinte anos aos invasores. Emiliano, para quebrar a tenaz persistência de Numância, utilizou uma técnica de cruel paciência, construindo um cerco amuralhado em torno da colina de Numância, levando os seus habitantes à inanição e ao desespero. Ao fim de onze meses, os numantinos decidiram pôr cobro à sua vida suicidando-se em massa.
 
Conta-se que, ao entrar na cidade, Cipião encontrou corpos de mães segurando os corpos de seus filhos mastigados, supondo que durante o cerco certa parte da população recorreu ao canibalismo. A povoação tornou-se então um símbolo da luta contra os romanos e hoje em dia é um monumento nacional espanhol.