Diferenças entre edições de "Alfabeto grego"

22 bytes adicionados ,  08h10min de 28 de fevereiro de 2020
m
introdução de ligação para alfabeto latino
m (Foram revertidas as edições de 138.219.197.21 por fazer testes nos artigos (usando Huggle) (3.4.9))
Etiquetas: Huggle Reversão
m (introdução de ligação para alfabeto latino)
|}
 
Originariamente existiram variantes do alfabeto grego, sendo as mais importantes a ocidental (Calcídica) e a oriental (Jônica). A variante ocidental originou o alfabeto etrusco e daí o alfabeto romano ([[Alfabeto latino]]). [[Atenas]] adotou no ano [[403 a.C.]] a variante oriental, dando lugar a que pouco depois desaparecessem as demais formas existentes do alfabeto. Já nesta época o grego escrevia-se da esquerda para a direita, enquanto que a princípio a maneira de o escrever era alternadamente da esquerda para a direita e da direita para a esquerda, de maneira que se começava pelo lado em que se tinha concluído a linha anterior, invertendo todos os caracteres em dito processo.
 
O fator inovador introduzido com o alfabeto grego são as vogais. As primeiras vogais foram [[Alfa]], [[Épsilon]], [[Iota]], [[Ómicron]] e [[Upsilon]]. Se contempla o processo de criação do alfabeto grego como resultado de um processo dinâmico baseado na adoção de vários alfabetos semíticos através do tempo, encontrando inclusive influências do linear-B, poder-se-ia dar uma explicação mais satisfatória da sua origem do que as teorias que postulam uma adaptação única de um alfabeto determinado num momento dado.
22

edições