Diferenças entre edições de "SEMA (revista)"

2 bytes removidos ,  20h54min de 10 de março de 2020
m
pequenos ajustes
m (Add sapo reference)
m (pequenos ajustes)
'''SEMA'''<ref>{{Citar web|url=http://bibliografia.bnportugal.pt/bnp/bnp.exe/registo?1929777|titulo=BNP - Sema|acessodata=2018-06-29|obra=bibliografia.bnportugal.pt|lingua=pt}}</ref> <ref name=":1">{{Citar web|titulo=Revista SEMA|url=http://www.revistasema.pt/|obra=Revista SEMA|acessodata=2019-06-10|lingua=en}}</ref> foi uma revista dedicada às artes e letras, de publicação trimestral, editada entre 1979 e 1982, em Lisboa. Sob Direcção e Propriedade de João Miguel Barros e Maria José Freitas,<ref>{{Citar periódico|titulo=A fotografia na vida de João Miguel Barros|url=http://boletim.oa.pt/oa-01/artes--letras_depoimento-boletim-oa|jornal=Ordem dos Advogados {{!}} Artes & Letras_Depoimento Boletim OA {{!}} A fotografia na vida de João Miguel Barros|lingua=pt-PT}}</ref><ref>{{Citar periódico|data=2017-02-16|titulo=João Miguel Barros: “Olhamos muito, mas vemos muito pouco”|url=https://hojemacau.com.mo/2017/02/16/joao-miguel-barros-olhamos-muito-mas-vemos-muito-pouco/|jornal=Hoje Macau|lingua=pt-PT}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://thescriptroad.org/pt-pt/guest/joao-miguel-barros|titulo=João Miguel Barros – The Script Road|acessodata=2018-06-29|obra=thescriptroad.org|lingua=pt-pt}}</ref>, a publicação assumiu particular relevância no panorama da cultura e artes visuais do período do pós 25 de Abril.<ref name=":0">{{citar periódico|ultimo=ROSA|primeiro=Vasco|data=23 de Dezembro de 2015|titulo=Sema (1979-1982), uma revista que marcou|url=https://www.pressreader.com/portugal/edi%C3%A7%C3%A3o-p%C3%BAblico-lisboa/20151223/281865822433409|jornal=jornal Público|acessodata=28 de Agosto de 2018}}</ref>
 
Teve como colaboradores literários e artísticos, entre outros, [[Al Berto]], [[Alberto Carneiro]], [[Almada Negreiros]], [[Almeida Faria]], [[Álvaro Lapa]], [[Ana Hatherly]], Angel Crespo, [[António Areal]], [[António Barahona da Fonseca]], António Luís Moita, [[António Maria Lisboa]], [[António Osório]], [[António Ramos Rosa]], [[Carlos Eurico da Costa]], [[Cruzeiro Seixas]], [[Eduarda Chiote]], [[Egito Gonçalves]], [[José Ernesto de Sousa|Ernesto de Sousa]], [[Eugénio de Andrade]], [[Fernando de Oliveira Guimarães|Fernando Guimarães]], Fernando Martinho, Helder Moura Pereira, [[João Miguel Fernandes Jorge]], João Vieira, [[Jorge Listopad]], [[Jorge de Sena]], [[José-Augusto França]], [[José Barrias]], [[José Bento (poeta)|José Bento]], [[José Luís Porfírio]], [[Julião Sarmento]], Júlio, [[Lêdo Ivo|Ledo Ivo]], [[Luís Miguel Nava]], Luís de Miranda Rocha, [[Maria Ondina Braga]], [[Mário Cláudio]], [[Mário-Henrique Leiria|Mário Henrique Leiria]], [[Miguel Esteves Cardoso]], [[E. M. de Melo e Castro]], [[Nuno Júdice]], Paula Morão, Pedro de Andrade, [[Pedro Oom]], [[Raul de Carvalho (poeta)|Raul de Carvalho]], [[Rocha de Sousa]], [[Salette Tavares]], Vasco e [[Vitor Silva Tavares|Vítor Silva Tavares]].
A colecção completa desta publicação é bastante rara. Por ocasião do fim do projecto, foi feita uma edição limitada com caixa-estojo, cada uma intervencionada com um trabalho original de um artista, entre os quais António Campos Rosado, António Sena e Manuel Rosa.
 
A 23 de Maio de 2018, João Miguel Barros participou no Colóquio “Das Revistas: Voltar a Ver”,<ref>{{Citar web|titulo=DAS REVISTAS: VOLTAR A VER|url=https://dasrevistas.weebly.com/|obra=DAS REVISTAS: VOLTAR A VER|acessodata=2019-06-10|lingua=pt}}</ref>, organizado pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Na ocasião, o co-fundador da Sema assumiu o compromisso de trazer à revista um novo nível de acessibilidade, através da publicação online dos cinco números digitalizados.
 
Foi com este ímpeto que, em Junho de 2019, o site [http://www.revistasema.pt www.revistasema.pt] nasceu, para que mais possam "testemunhar (a várias mãos, através de diferentes olhares) a leitura do panorama artístico, literário, ensaístico e conceptual do tempo que lhe foi coetâneo, um tempo que se abre, hoje, no domínio do pensamento e da análise da expressão artística e textual, a novas releituras e reflexões."<ref name=":1" /><ref>{{Citar web|titulo=Revista de cultura SEMA passa a estar disponível 'online' 40 anos depois|url=https://www.dn.pt/lusa/interior/revista-de-cultura-sema-passa-a-estar-disponivel-online-40-anos-depois-11006024.html|obra=www.dn.pt|acessodata=2019-06-14|lingua=pt}}</ref><ref>{{Citar web|titulo=Revista de cultura SEMA passa a estar disponível online 40 anos depois|url=https://mag.sapo.pt/showbiz/artigos/revista-de-cultura-sema-passa-a-estar-disponivel-online-40-anos-depois|obra=SAPO Mag|acessodata=2019-11-11|lingua=pt|ultimo=SAPO}}</ref> Na mesma data, foi também lançada a [https://www.facebook.com/Revista-SEMA-491810551574054/ página de facebook] da revista.