Diferenças entre edições de "Scyliorhinus stellaris"

Sem alteração do tamanho ,  21h56min de 18 de março de 2020
m
Q
m (Q)
m (Q)
{{Info/Taxonomia
| reino = [[Animalia]]
| estado = nt
| estado = nt<ref name="iucn">{{Cite iucn | author = Ellis, J. | author2 = Serena, F. | author3 = Mancusi, C. | author4 = Haka, F. | author5 = Morey, G. | author6 = Guallart, J. | author7 = Schembri, T. | last-author-amp = yes | title = ''Scyliorhinus stellaris'' | volume = 2009 | page = e.T161484A5434281 | date = 2009 | doi = 10.2305/IUCN.UK.2009-2.RLTS.T161484A5434281.en | acessodata = 23 de dezembro de 2017}}</ref>
| nome = Tubarão-gato-enfermeiro
| imagem = Katzenhai-01.jpg
O ''tubarão-gato-enfermeiro'' ou ''tubarão-cão-de-caça-enfermeiro'' (Nursehound) pertencente à família Scyliorhinidae, encontrado no nordeste do Oceano Atlântico. Geralmente é encontrado entre rochas ou algas a uma profundidade de 20 a 60 metros. Com até 1,6 metros de comprimento, o gato-enfermeiro possui um corpo robusto, com uma cabeça larga e arredondada e duas barbatanas dorsais colocadas para trás. Ele compartilha seu alcance com o pata-roxa (S. canicula), mais comum e intimamente relacionado, com o qual se assemelha à aparência, mas pode ser diferenciado por ter manchas maiores e retalhos de pele nasal que não se estendem à boca.
 
Os enfermeiros têm hábitos noturnos e geralmente se escondem dentro de pequenos buracos durante o dia, geralmente associados a outros membros de sua espécie. Um predador bentônico, alimenta-se de uma variedade de peixes ósseos, tubarões menores, crustáceos e cefalópodes. Como outros tubarões-gatos, o enfermeiro é ovíparo na reprodução. As fêmeas depositam grandes caixas de ovos com paredes grossas, duas de cada vez, de março a outubro, protegendo-as em cachos de algas marinhas. Os ovos levam de 7 a 12 meses para eclodir. Os enfermeiros são comercializados como alimento em vários países europeus sob vários nomes, incluindo "flocos", "bagres", "enguias" e "salmões". Também foi valorizado por sua pele áspera (chamada "pele de rubi"), que era usada como abrasivo. A União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) avaliou o enfermeiro como quase ameaçado, já que sua população no mar Mediterrâneo parece ter declinado substancialmente devido à sobrepesca.<ref name="iucn">{{Cite iucn | author = Ellis, J. | author2 = Serena, F. | author3 = Mancusi, C. | author4 = Haka, F. | author5 = Morey, G. | author6 = Guallart, J. | author7 = Schembri, T. | last-author-amp = yes | title = ''Scyliorhinus stellaris'' | volume = 2009 | page = e.T161484A5434281 | date = 2009 | doi = 10.2305/IUCN.UK.2009-2.RLTS.T161484A5434281.en | acessodata = 23 de dezembro de 2017}}</ref>
==Taxonomia==
A primeira descrição científica do tubarão-enfermeiro foi publicada por Carl Linnaeus, na décima edição de 1758 do Systema Naturae. Ele deu o nome de Squalus stellaris, sendo o epíteto específico stellaris o latim para "estrelado". Nenhum tipo de amostra foi designado. Em 1973, Stewart Springer mudou essa espécie para o gênero Scyliorhinus.<ref name="compagno">{{cite book |author=Compagno, L.J.V. |year=1984 |title=Sharks of the World: An Annotated and Illustrated Catalogue of Shark Species Known to Date |place=Rome |publisher=Food and Agricultural Organization |isbn=92-5-101384-5 |pages=366&ndash;367}}</ref><ref>[http://research.calacademy.org/research/ichthyology/catalog/fishcatget.asp?spid=6791 ''Squalus stellaris'']{{dead link|date=February 2018 |bot=InternetArchiveBot |fix-attempted=yes }}. (2007). ''Catalog of Fishes''. California Academy of Sciences. Retrieved on July 24, 2009.</ref> O nome comum "nursehound" veio de uma antiga crença dos pescadores ingleses de que este tubarão atende a seus parentes menores, enquanto o nome "huss" pode ter vindo de uma distorção da palavra "nurse" ao longo do tempo.<ref name="davidson">{{cite book |title=Mediterranean Seafood: A Comprehensive Guide with Recipes |author=Davidson, A. |edition=third |publisher=Ten Speed Press |year=2002 |isbn=1-58008-451-6 |page=28}}</ref>
642

edições