Diferenças entre edições de "Anelídeo"

m
→‎Anelídeos: correção de erros de português
(Bibliografia e referências)
m (→‎Anelídeos: correção de erros de português)
Os anelídeos são animais com corpo alongado podendo ser homônomos (corpo sem muitas modificações) ou heterônomos, com simetria bilateral, segmentado, triblásticos, protostômios e celomados. São dioicos ou hermafroditas, muitos possuem a forma de larva trocófora em seu desenvolvimento, além de possuírem crescimento teloblástico.<ref name=":0">{{citar livro|titulo=Invertebrados|ultimo=Brusca|primeiro=Richard|editora=Guanabara Koogan|ano=2018|local=Rio de Janeiro|página=|páginas=}}</ref>
 
Nas minhocas (Oligoqueta), os músculos são reforçados por lamelas de colágeno e sanguessugas (Hirudinea) têm uma camada dupla de músculos, sendo os exteriores circulares e os interiores longitudinais, o músculo oblíquo se situa entre esses músculos. Os Hirudineas possuem também músculos dorso-vetrais.
 
A maioria dos anelídeos possui, em cada segmento, um par de cerdas para fixação no ambiente e ajudá-los a se mover, mas os Polychaeta (minhocas marinhas) possuem ainda um par de apêndices denominados parapódios. Na extremidade anterior do corpo, antes dos verdadeiros segmentos — a cabeça —, encontra-se o prostómio onde podem ser encontrados os olhos e outros órgãos dos sentidos. No segmento seguinte, peristómio, encontra-se a boca. A extremidade posterior do corpo é o pigídio, onde está localizado o ânus e células com capacidade de diferenciação nos diversos tecidos, durante o crescimento. Muitos poliquetos possuem órgãos de sentidos bastante elaborados, mas as formas sésseis muitas vezes apresentam tentáculos em forma de pluma, que eles utilizam para se alimentarem e perceberem o ambiente a sua volta. Para além disso, muitas espécies têm fortes maxilas, por vezes mineralizadas com óxido de ferro (FeO).
2

edições