Calvário: diferenças entre revisões

1 byte removido ,  4 de abril de 2020
m
Foram revertidas as edições de 177.97.27.212 para a última revisão de Jbribeiro1, de 03h52min de 22 de janeiro de 2020 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 177.97.27.212 para a última revisão de Jbribeiro1, de 03h52min de 22 de janeiro de 2020 (UTC))
Etiqueta: Reversão
Depois de passar uma temporada na Palestina em 1882-83, [[Charles George Gordon]] sugeriu uma localização diferente para o Calvário. O Jardim do Túmulo fica ao norte do Santo Sepulcro, localizado fora da atual [[Porta de Damasco]], em um lugar certamente utilizado para enterros no período bizantino. O jardim tinha uma penhasco com dois grandes buracos fundos, que o povo dizia serem os olhos da caveira.
 
O arqueólogo israelense Shimon Gibson, em sua obra "Os ultimos ùltimos Dias de Jesus", descarta totalmente a localização do Calvário como sendo o de Gordon por um motivo muito simples: o túmulo que lá se encontra, tradicionalmente conhecido como o "Túmulo do Jardim" remonta ao século VII a.C. e a Bíblia relata que o túmulo utilizado para sepultar [[Cristo]] tinha sido mandado escavar recentemente na rocha por [[José de Arimateia]]. Assim, prevalece a crença tradicional, cuja localização foi perpetuada pelos cristãos desde a [[destruição de Jerusalém]] pelos romanos em 70 d.C. e mantida através dos séculos.
 
O nome Calvário refere-se freqüentemente a esculturas ou pinturas representando a cena da crucificação de Jesus, ou uma pequena capela incorporando uma pintura com a cena. Pode também ser utilizado para descrever construções mais importantes, em formato de monumento, especialmente colinas artificiais erguidas por devotos.