Diferenças entre edições de "Hinde binte Utba"

sem resumo de edição
 
Alegadamente, Hinde foi a única responsável por incitar Uaxi a assassinar o tio de Maomé Hâmeza ibne Abdal Mutalibe, que supostamente era responsável pela morte dos familiares de Hinde, e prometeu a Uaxi libertá-la e oferecer-lhe as suas joias se conseguisse matar Hâmeza e trazer-lhe o coração. Uaxi assim fez escondendo-se atrás dum árvore e atacando Hâmeza com uma lança. Seguidamente, Uaxi abriu o ventre a Hâmeza e arrancou-lhe o coração, que levou a Hinde conforme tinha prometido. Segundo alguns relatos, Hinde teria provado o coração como sinal de vingança, mas não gostou do sabor e cuspiu-o imediatamente.
 
Uma das crónicas mais antigas da história islâmica, o ''[[Sira]]h Rasul Allah'' ("A Vida de Maomé"), de ibne Ixaque, relata que Hinde acompanhou as tropas de Meca que foram cercar os muçulmanos em Medina. Na batalha de Uude, Hinde e as suas mulheres cantaram e dançaram, incitando os seus guerreiros. Os muçulmanos formaforam obrigados a fugir e, de acordo com ibne Ixaque, Hinde e outras pessoas mutilaram os cadáveres dos muçulmanos, fazendo grinaldas com orelhas e narizes. Também segundo ibne Ixaque, depois da batalha, Hinde abriu o corpo de Hâmeza, retirou o coração e mordeu-o, mas não conseguiu engolir e cuspiu-o. No seu livro ''al-Istī‘āb'', ibne Abdul Bar escreveu que ela cozinhou o coração de Hâmeza antes de o comer. Este trecho foi amplamente copiado por historiadores muçulmanos.
 
Contudo, depois do incidente na batalha de Uude, Hinde aceitou a mensagem do Islão e é considerada como um dos principais companheiros de Maomé pelos sunitas.
244

edições