Diferenças entre edições de "Courtney Love"

adicionei fontes
(adicionei fontes)
(adicionei fontes)
Courtney trabalhou com o diretor Alex Cox em seus dois primeiros filmes. Ela ganhou uma pequena participação no filme ''[[Sid and Nancy]]'', de 1986, uma biografia de [[Sid Vicious]]. Logo depois, atuou em ''"Direto para o Inferno"'', em 1987. No mesmo ano, ela apareceu no seriado ''Andy Warhol's Fifteen Minutes'' com [[Robbie Nevil]], em um episódio chamado "C'est la Vie".
 
Quase uma década depois, em 1996, ela fez pequenos papéis em ''Basquiat'' e ''Feeling Minnesota'', antes de ser a co-estrela do filme ''[[The People vs. Larry Flynt]]'', interpretando a esposa de [[Larry Flynt]]. Com o filme, ela recebeu aclamação crítica, uma nominação ao [[Prêmios Globo de Ouro|Globo de Ouro]] na categoria de melhor atriz. O crítico Roger Ebert disse: "Courtney provou não ser uma estrela do rock fingindo atuar, mas sim uma verdadeira atriz".<ref>{{cita noticia|url=http://rogerebert.suntimes.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/19961227/REVIEWS/612270303/1023|data=27 de dezembro de 1996|acessodata=13 de outubro de 2010|autor=Ebert, Roger|obra=Chicago Sun Times|título=People vs. Larry Flynt: Review by Roger Ebert}}</ref>
 
Em 1999, atuou ao lado de [[Jim Carrey]] no filme ''[[Man on the Moon]]''. Em 2001, participou de ''Julie Johnson'', ao lado de [[Lili Taylor]]. No ano seguinte, trabalhou no filme ''[[Trapped (2002)|Trapped]]''.<ref>{{cita web|url=http://www.outfest.org/winners/film.comp.01.html|título=Outfest|obra=outfest.org|year=2011|acessodata=1 de novembro de 2011|urlarchivo=https://web.archive.org/web/20111223092903/http://www.outfest.org/winners/film.comp.01.html|arquivodata=23 de dezembro de 2011}}</ref>
 
Em julho de 2014, Love atuou na última temporada de ''[[Sons of Anarchy]]''. Em outubro de 2014, ganhou o papel principal em "Kansas City Choir Boy" uma ópera que foi exibida em Here, um centro de artes de Manhattan, em seu festival anual, Prototype, em janeiro de 2015. Em seguida, integrou o elenco da série ''[[Empire]]''. Em maio de 2015, Love foi escalada em ''The Long Home'', filme dirigido por [[James Franco]], inspirado no livro de mesmo nome.
Durante três meses em 1989, Courtney foi casada com Falling James Moreland, vocalista do The Leaving Trains, e mais tarde disse que Moreland era travesti e que o casamento foi "uma piada", sendo anulado.
 
Love também namorou [[Billy Corgan]], da banda [[Smashing Pumpkins]], no começo de 1991, mas a relação mais conhecida dela foi, sem dúvidas, com [[Kurt Cobain]], do [[Nirvana]]. Não há certezas sobre a data em que eles se conheceram. Alguns dizem que os dois se conheceram em janeiro de 1989 em um clube noturno, mas Love disse que a primeira vez que eles estiveram juntos foi em janeiro de 1988 em um show do Dhama Bums. Os dois tornaram-se amigos após serem apresentados por [[Jennifer Finch]], que na época namorava o baterista do Nirvana, [[Dave Grohl]]. Love e Cobain começaram a namorar oficialmente em outubro de 1991. Ficaram noivos em novembro daquele ano e casaram-se em 24 de fevereiro de 1992 na praia de Waikiki em Honolulu, Havaí. A única filha do casal, [[Frances Bean Cobain]], nasceu seis meses mais tarde, em 18 de agosto de 1992. Em abril de 1994, Kurt Cobain cometeu suicídio na casa da família em Seattle.<ref name="vh1" />
 
Em 1996, Love começou a namorar o ator [[Edward Norton]].<ref name="actually">{{cita noticia|url=http://www.timesonline.co.uk/tol/life_and_style/article630036.ece |título=Love, actually|acessodata=16 de dezembro de 2007 |sobrenome=Moran |nome=Caitlin |data=9 de novembro de 2006|obra=The Times |publicado=Londres }}</ref><ref name="ed">{{cita noticia|url=http://www.nydailynews.com/gossip/2010/03/14/2010-03-14_courtney_love_says_edward_norton_is_mediator_between_her_and_daughter_frances_be.html|obra=NY Daily News|data=14 de março de 2010|título=Courtney Love Says Edward Norton is Mediator Between her and Daughter Frances Bean|autor=Rush & Molloy|acessodata=19 de Janeiro de 2011}}</ref> Os dois conheceram-se no set de filmagens de ''[[The People vs. Larry Flynt]]'', e chegaram a ficar noivos, mas terminaram o relacionamento em 1999. Também namorou o comediante britânico [[Steve Coogan]] no início dos anos 2000.<ref>{{cita noticia|url=http://www.guardian.co.uk/uk/2005/aug/22/film.arts|work=The Guardian |publicado=Londres |data=25 de agosto de 2005|título=Courtney Love 'expecting Steve Coogan's baby&#39;|autor=Kirkham, Sophie|acessodata=16 de fevereiro de 2011}}</ref><ref>Alan Carr: Chatty Man. Courtney Love Interview. 2010-02-25. Channel 4 (UK)</ref>
 
Love perdeu a guarda da filha, Frances Bean, em 2003, a retomando em 2005. Em 2009, Frances pediu uma ordem de restrição contra a mãe e decidiu morar com a avó paterna, Wendy Cobain. Desde então, no entanto, retomou a relação com a mãe, com quem mantém proximidade.
Courtney teve problemas com drogas durante anos de sua vida. Ela admitiu ter usado [[maconha]] durante a adolescência e ter sido "apresentada" a drogas mais pesadas aos 16 anos, enquanto vivia em [[Taiwan]], usando [[heroína]] após confundir com [[cocaína]]. Ela revelou ter usado [[cocaína]] pela primeira vez aos 19 anos, com sua amiga [[Jennifer Finch]]. Courtney referiu-se ao ocorrido como "uma situação não muito agradável". De acordo com ela, Finch teve uma overdose, e Love, que não sabia dirigir, a colocou no carro e a levou para o hospital. "Eu fiquei com muito medo de drogas após aquilo", afirmou.
 
Em 1992, Courtney disse, durante uma entrevista para a [[Vanity Fair]], que havia usado heroína antes de saber que estava grávida.<ref>Love, Courtney. MTV Interview, 1994: "If you read Vanity Fair, you probably think I swig Jack Daniel's first thing in the morning, after I smoke my crack and don't see my daughter for ten days."</ref> A revista distorceu suas palavras, gerando um grande mal entendido, o que fez com que ela e Kurt Cobain perdessem a guarda de Frances, a recuperando em 1993. Em 1996, parou de usar drogas e levava um estilo saudável de vida, no entanto, em 2004, sofreu uma recaída. Em 9 de julho de 2004, em seu aniversário de 40 anos, Love tentou cometer suicídio em seu apartamento em Manhattan, sendo hospitalizada e ficando em observação por 72 horas.<ref>{{cita web|url=http://www.thefix.com/content/courtney-intro?page=3|obra=The Fix|título=The Courtney Love Chronicles (Part 2)|autor=Roshan, Maer|data= 24 de maio de 2011|acessodata=25 de setembro de 2013}}</ref><ref>{{cita web|url=http://www.ew.com/ew/article/0,,663753,00.html|work=Entertainment Weekly|data=14 de julho de 2004|acessodata=31 de maio de 2013|título=Live Through This|autor=Susman, Gary}}</ref> De acordo com a polícia, ela foi considerada "um perigo a si mesma", mas foi considerada mentalmente sã e liberada para uma clínica de reabilitação, dois dias depois.<ref>{{cita web|url=http://gothamist.com/2004/07/10/courtney_love_finally_goes_to_bellevue.php|obra=The Gothamist|título=Courtney Love Finally Goes to Bellevue|autor=Chung, Jen|data=10 de julho de 2004|acessodata=31 de maio de 2013|urlarchivo=https://web.archive.org/web/20111018080009/http://gothamist.com/2004/07/10/courtney_love_finally_goes_to_bellevue.php|arquivodata=18 de outubro de 2011}}</ref><ref>{{cita web|url=http://www.sfgate.com/entertainment/article/Nothing-stops-Courtney-Love-she-s-been-2686581.php|work=San Francisco Gate|título=Nothing stops Courtney Love -- she's been arrested, hauled off to Bellevue, but she hasn't quit speaking her mind|autor=Chonin, Neva|data=25 de outubro de 2004|acessodata=31 de maio de 2013}}</ref> Em 2005 e 2006, após fazer diversas aparições públicas claramente intoxicada (como a infame entrevista com [[David Letterman]], onde se apoiou em sua mesa e mostrou os seios) e ter sido presa por posse de drogas e violações de liberdade condicional, Love foi sentenciada a seis meses de confinamento em um centro de reabilitação devido ao uso de medicamentos prescritos e cocaína, sendo liberada em 2007 e estando sóbria desde então.<ref name="drugfreak">{{cita web|url=http://today.msnbc.msn.com/id/43174163/|título=Courtney Love: Stop calling me a 'drug freak&#39;|data=25 de junho de 2013|obra=US Weekly/MSNBC|acessodata=25 de maio de 2011|urlarchivo=https://web.archive.org/web/20121001185217/http://today.msnbc.msn.com/id/43174163/|arquivodata=1 de outubro de 2012}}</ref>
 
===Pontos de vista religiosos e políticos===
CourteneyCourtney Love já praticou diversas religiões, incluindo catolicismo, episcopalismo e religiões da nova era, mas afirmou que a crença budista é a que tem sido o caminho mais transcendental pra ela. Ela pratica o [[daimoku]], mantra de sua religião, que é o [[Budismo de Nitiren]], desde [[1989]], mas não era uma praticante fiel no início, tendo enfrentado muitos problemas pessoais mesmo com a prática, ppispois não estava desafiando seu carma negativo, como o budismo prega.<ref name="jolie">{{cita noticia|url=http://www.guardian.co.uk/music/2005/nov/18/popandrock1|obra=The Guardian |author=Londres |título=Enduring Love: Jolie Lash meets Courtney Love|data=18 de novembro de 2005|acessodata=5 de Janeiro de 2011}}</ref><ref>{{cita web|url=http://www.huffingtonpost.com/2007/12/09/courtney-love-chanting-bu_n_75961.html|obra=Huffington Post |título=Courtney Love: Chanting Buddhist|data=9 de dezembro de 2007|acessodata=25 de maio de 2011}}</ref> Ela revela que só encontrou paz de espírito ao recitar este mantra, e que após entender seu carma, o que levou muitos anos, passou a dedicar-se verdadeiramente de corpo e alma ao budismo de nichiren, e conseguiu se libertar completamente de seus vícios e dificuldades emocionais e materiais ao praticar daimoku diariamente. Atualmente está participando ativamente de projetos culturais e de caridade budistas, fazendo parte da Soka Gakkai International, conhecida por [[BSGI]], que é uma organização cultural do budismo de Nichiren Daishonin.
 
Love é [[Partido Democrata (Estados Unidos)|democrata]].<ref>Love, Courtney. Interview with David Letterman promoting Celebrity Skin. CBS Broadcasting. 1999-05-20.</ref> Em 2000, ela deu um discurso em uma marcha organizada por mães para defender leis mais rígidas de controle de armas nos Estados Unidos, se referindo às leis do país como "bárbaras", e solicitando o registro rigoroso de armas, licenciamento e uma meticulosa avaliação dos registros de saúde legais e mentais de proprietários de armas, mencionando como exemplo a morte de seu marido, dizendo: "minha filha sente falta do pai. Eu sinto falta do meu amigo".
1 077

edições