Diferenças entre edições de "Tratado da Tríplice Aliança"

sem resumo de edição
'''Tratado da Tríplice Aliança''' foi a união entre [[Argentina]], [[Império do Brasil]] e [[Uruguai]] para lutar contra o [[Paraguai]] na [[Guerra do Paraguai]] entre [[1864]] e [[1870]].
 
Este [[tratado]] foi objeto de curtas negociações entre os três países interessados. Uma curiosa figura humana representou o Brasil, [[Francisco Octaviano de Almeida Rosa]], político brasileiro do Partido Liberal, então aà frente do governo. Quando ele foi encarregado de sua missão diplomática, só o Brasil fora atacado pelo Paraguai, dando-se isto em março de 1865.
 
Suas instruções visavam apenas obter a cooperação argentina naquele conflito. Logo em seguida, o Paraguai atacou [[Corrientes]], província argentina ([[13 de abril]] de 1865). Com isto surgiu a possibilidade de um amplo tratado.
 
As instruções prévias para este foram emitidas do Brasil, mas só chegaram após sua formalização, em [[1º de maio]] de [[1865]]. Portanto, Octaviano baseou-se naquilo que já tinha e nas suas próprias idiossincrasias e firmou o acordo.
 
Ele foi útil para o Brasil, pois mostrou ao mundo que duas repúblicas apoiavam uma monarquia, contra outra república, na [[América do Sul]]. Até então, o Estado monárquico brasileiro, conhecido como uma "flor exótica", não se aproximava muito de seus vizinhos.
[[Categoria:Década de 1860 no Brasil]]
[[Categoria:1865 no Brasil]]
[[Categoria:Relações entre Argentina e Brasil]]
[[Categoria:Relações entre Argentina e Uruguai]]
[[Categoria:Relações entre Brasil e Uruguai]]
129 930

edições