Diferenças entre edições de "Tim Maia"

1 byte removido ,  18h03min de 24 de abril de 2020
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Em 1970, gravou seu primeiro álbum, ''[[Tim Maia (álbum)|Tim Maia]]'', na [[Polydor Records|Polydor]], por indicação da banda Os Mutantes e do Erasmo Carlos. Nesse disco, obteve sucesso com as faixas "Azul da Cor do Mar", "Coroné Antônio Bento" (Luís Wanderley e João do Vale), e "Primavera" e "Eu Amo Você" (ambas de [[Cassiano (músico)|Cassiano]] e Silvio Rochael). Nos três anos seguintes, com a mesma gravadora, lançou os discos ''[[Tim Maia (álbum de 1971) | Tim Maia]]'', tornando-se cada vez mais famoso com canções como a dançante "Não Quero Dinheiro (Só Quero amar)", na era [[disco music|disco]]; ''[[Tim Maia (álbum de 1972) | Tim Maia]]'' e ''[[Tim Maia (álbum de 1973) | Tim Maia]]'', no qual se destacaram "Gostava Tanto de Você" (Edson Trindade) e "Réu Confesso", ambas misturando a [[soul music]] com o [[samba]].<ref>[https://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/post/fora-de-cena-ha-20-anos-tim-maia-ainda-e-a-voz-mais-forte-do-soul-e-do-funk-do-brasil.ghtml Fora de cena há 20 anos, Tim Maia ainda é a voz mais forte do soul e do funk do Brasil]</ref>
 
=== Fase racional (1974-19751976) ===
Em 1974, Maia preparava sua estreia na [[RCA]], com sua banda já tendo composto diversas faixas instrumentais, o suficiente para um álbum duplo. Então entrou em contato com a [[Cultura Racional]], liderada por [[Manuel Jacinto Coelho]], se converteu e escreveu letras inspiradas ao conhecimento. A gravadora se recusou a lançar o disco, levando Maia a comprar as fitas com as gravações e lançar em 1975 pelo selo próprio Seroma (palavra "amores" ao contrário e abreviação do próprio nome, "Sebastião Rodrigues Maia") ''[[Tim Maia Racional]]'', volumes 1 e 2. São considerados por muitos os melhores de Tim Maia, com grandes influências do [[funk]] e do soul e pelo fato de que, nesta época, Tim Maia manteve-se afastado dos vícios, o que refletiu na qualidade de sua voz.<ref>Slater, Russ. [https://web.archive.org/web/20100712192434/http://www.soundsandcolours.com/articles/brazil/tim-maias-journey-into-rational-culture/ "Tim Maia's Journey into Rational Culture"] Sounds and Colours, 7 de julho de 2010. Visitado em 5 de novembro de 2014.</ref><ref>de Souza, Tárik. [http://download.uol.com.br/mtv/biblioteca/timmaiaracional.pdf Tim Maia Racional Volume 1], [[MTV]]</ref> Desiludido com a doutrina, percebeu que o mestre Manuel não correspondeu ao ideal de um mestre. O cantor, revoltado, tirou de circulação os álbuns, tendo virado item de colecionadores, devido à raridade.
 
Já nos anos 2000, foram descobertas novas músicas pertencentes à "fase racional", levando a um terceiro álbum, ''[[Tim Maia Racional, Vol. 3|Racional Volume Três]]'', lançado em CD em agosto de 2011.<ref>{{citar web|url=http://odia.terra.com.br/portal/diversaoetv/html/2011/8/enfim_lancado_terceiro_disco_da_fase_mistica_de_tim_maia_e_o_mais_fraco_da_serie_184799.html|título=Enfim lançado, terceiro disco da fase mística de Tim Maia é o mais fraco da série|autor=Mauro Ferreira|data=15/08/2011|publicado=''[[O Dia]]''|acessodata=}}</ref> Após o término de sua fase racional, Tim voltou a seu antigo estilo de vida e aos temas não religiosos em suas canções.
 
Em 1978, gravou, para a Warner, ''Tim Maia Disco Club'', claramente inspirada pela [[disco music]]. Tim foi acompanhado pela [[Banda Black Rio]]. Nesse álbum, gravou um de seus maiores sucessos, "Sossego".<ref>{{Citar jornal|data=28/11/2001|titulo=Tim Maia Disco Club, Tim Maia (WEA) |jornal=[[Veja|Revista Veja]]|editora=[[Editora Abril]]|formato=0100-7122|url=https://web.archive.org/web/20030510032957/http://veja.abril.com.br/idade/estacao/veja_recomenda/281101/tim_maia.html}}</ref>
 
=== Anos 1980 ===
Utilizador anónimo