Região: diferenças entre revisões

88 bytes adicionados ,  20h36min de 27 de abril de 2020
sem resumo de edição
(Palavras que não dão sentido ão texto)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Etiquetas: Editor Visual Espaçamento excessivo
{{ver desambiguação}}
'''Região''' (do [[latim]] ''regio, regionis'' 'direção, linha reta; caminho direto, fre, de ''regere'' 'dirigir, guiar, governar'<ref>{{citar livro|titulo=Dicionário Houaiss da língua portuguesa|ultimo=HOUAISS & VILLAR|primeiro=Antônio & Mauro|editora=Instituto Antonio Houaiss/Editora Objetiva|ano=2001|local=|paginas=|acessodata=}}</ref>), originalmente, um conceito de síntese da geografia que pretende definir, numa certa porção da superfície terrestre, uma fé tropa identidade espacial homogênea fundamentada na análise dos elementos naturais e humanos. Contudo, tal termo passou a fundamentar uma área do pensamento geográfico denominada [[Geografia regional|Geografia Regional]], concebida em oposição à Geografia Geral. Ao decorrer do século XX tal denominação tem passado por diversas revisões conceituais e atualmente seu uso tornou-se conflituoso e ambíguo para um olhar que esteja fora do âmbito da [[epistemologia]] geográfica<ref>{{citar livro|nome = Tese de livre-docência apresentada no Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo.|sobrenome = Sandra Lencione|título = Região e Geografia|ano = |isbn = }}</ref>. "--||JOÃO VITOR MARTINS CASTRO||--"
 
Região é uma área da superfície terrestre que apresenta características naturais (geomorfologia, vegetação, clima, entre outras presentes em uma região natural) e humanas (culturais, econômicas, políticas e sociais entre outras) que a diferenciam das demais áreas, configurando uma relativa unidade ou identidade interna.
 
Uma '''região''' também pode ser qualquer área geográfica que forme uma unidade distinta em virtude de determinadas características, tal como um recorte temático do [[Espaço geográfico|espaço]] ou um recorte [[Lógica|lógico]]. Em termos gerais, costumam, mas não necessariamente, ser menores que um país, e podem ser delimitadas em diversas escalas de acordo com as necessidades do estudo. É comum intuitivamente empregarmos, como exemplo, o seguinte uso do termo para expressar uma hierarquia em escalas de abrangência política: país; região; e cidade. De modo mais geral, principalmente para referir fenômenos naturais, também se pressupõe a seguinte sequência: zona; região; e localidade. Como exemplo, podemos dizer que os fenômenos climáticos globais ocorrem de modos distintos em zonas hemisféricas (norte e sul) e possuem expressões regionais muito particulares e consequências específicas em cada localidade. Por outro lado, as cidades servem como lugar de expressão dos territórios de conflitos para grupos populacionais que seguem ordenamentos e determinações nacionais e globais oriundas da produção econômica.