Diferenças entre edições de "Gilda Valença"

175 bytes removidos ,  23h33min de 2 de maio de 2020
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 131.196.119.37, com Reversão e avisos
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 131.196.119.37, com Reversão e avisos)
Precisou mudar de nome artístico, pois usava o nome Gilda de Abreu, homônimo da atriz e cantora esposa do cantor Vicente Celestino, adotando o nome Valença já usado por sua irmã, Julieta.
 
Voltou a Portugal no início da década de 50, tendo atuado no teatro, mas retornou ao Brasil em 1952. Começou a gravar em 1953, quando lançou pela gravadora [[Sinter]] a marcha "[[Uma Casa Portuguesa]]" (N. Siqueira, Ferreira e Fonseca), e o bolero mambo "Vê... lá bem" (Manoel Baião e E. Damas). "Uma casa portuguesa" foi o seu maior sucesso.<ref>{{citar web|url=http://www.radio.uol.com.br/#/letras-e-musicas/gilda-valenca/uma-casa-portuguesa/2031391|título=Uma Casa Portuguesa|data=|publicado=Radio UOL|acessodata=5 de novembro de 2013}}</ref> Trabalhou em vários filmes de [[Mazzaropi]].<ref>{{citar web|url=http://www.museumazzaropi.com.br/sucesso/suc09.htm|título=A Hollywood caipira|autor=Paulo Moreira Leite|data=8 de junho de 1977|publicado=Folha de S.Paulo|acessodata=5 de novembro de 2013}}</ref> Faleceu aos 60 anos, de câncer ginecológico, descoberto durante uma cirurgia, em 10 de novembro de 1983, no [[Rio de Janeiro]]. Foi enterrada no [[Cemitério de São João Batista]], zona sul carioca.
 
==Cinema==