Diferenças entre edições de "Keiko (orca)"

9 bytes removidos ,  16h56min de 8 de maio de 2020
m
o artigo é sobre o assunto, não sobre o nome do assunto; ajuste(s)
m (o artigo é sobre o assunto, não sobre o nome do assunto; ajuste(s))
|IMDB_id = 1430748
}}
'''Keiko''' ''(sortudo em japonês)'' (Perto da [[Islandia]], c.[[1976]] - Taknes Fjord, [[Noruega]], [[12 de dezembro]] de [[2003]]) foi o nome dauma [[Orca]] que ficou conhecida como "Willy" por sua participação no filme [[Free Willy]]. Nasceu no ano de [[1976]] e foi capturado em [[1979]]. Chegava a pesar 6 [[tonelada]]s e medir 7,3 metros.
A história de Keiko comoveu o mundo, com sua captura e venda a um parque no México, onde desenvolveu doenças, com sua participação no filme, com as tentativas de readaptá-lo ao ambiente natural, e finalmente, com sua morte. Ao ficar conhecido pelo filme, Keiko moveu milhares de pessoas contra a captura de mamíferos marinhos para serem usados em shows.
Keiko chegou a ser solto no mar, sempre em constante vigilância, mas ao se afastar demais por seguir um barco perto da Noruega, acabou morrendo de [[pneumonia]].
[[Imagem:Keiko-weighing.jpg|thumb|250px|Keiko]]
 
Keiko foi capturado perto da [[Islândia]] em [[1979]] e vendido para o aquário islandês em [[Hafnarfjörður]]. Três anos depois, ele foi vendido para o parque ''MarineLand'' em [[Ontário]], onde ele começou primeiro desempenho para o público e desenvolveu lesões cutâneas indicativo de má saúde. Ele foi então vendido ao parque ''Reino Aventura'' (agora conhecido como ''Six Flags México''), um parque de diversões no [[México]], em [[1985]].
 
A publicidade do seu papel em ''[[Free Willy]]'' conduziu a um esforço pela [[Warner Bros.]] para encontrar-lhe um lar melhor. Doações do estúdio e [[Craig McCaw]] levou à criação da ''Free Willy-Keiko Foundation'', em Fevereiro de [[1995]]. Com doações da fundação e milhões de crianças escola, o Oregon Coast Aquarium em [[Newport]], [[Oregon]], gastou mais de US $ 7 milhões para construir instalações para devolver-lhe a saúde com a esperança de devolvê-lo a vida selvagem. Ele foi transportado por via aérea pela UPS para sua nova casa, em 7 de janeiro de 1996, pesando 3500 kg (7720 libras). Durante seus anos no Oregon, ele ganhou mais de uma tonelada de peso.
 
O plano de retorno dele à vida selvagem foi um tema de muita controvérsia. Alguns consideravam que seus anos de cativeiro tornavam esse retorno impossível. No entanto, o próximo passo no plano aconteceu em 9 de setembro de 1998, quando ele tinha voado para Klettsvik, uma baía na ilha de Heimaey em Vestmannaeyjar na Islândia. Seu dia-a-dia tornou-se responsabilidade da Ocean Futures Society. Lá Keiko passou por cuidados a fim de prepará-lo para sua eventual libertação, incluindo sessões supervisionadas em mar aberto.
 
Durante um desses "passeios" formadores perdeu sua faixa de Keiko no mar aberto ao largo da Islândia, em 11 de julho de 2002. Não foi possível localizá-lo com o sistema de localização por satélite por um dispositivo ligado ao seu dorsal, Keiko foi finalmente notado 870 quilômetros ao largo da costa da Noruega. Em setembro, ele seguiu um barco de pesca para Halsa na Noruega, onde os fãs permitida para jogar com ele e rastrear mais de suas costas. Biólogos marinhos locais o encontraram mas Keiko tinha perdido peso durante o seu calvário no Atlântico Norte. Vários dias depois, sua movimentação chegou logo depois e levou - oa perto Taknesbukta na esperança de desencorajar a sua interação com os seres humanos. Eles esperavam uma passagem de orcas ia "adoptar" Keiko e levá-lo de volta ao mar aberto. As orcas nunca apareceram, forçando seus treinadores para continuar a alimentação e cuidados de Keiko.