Diferenças entre edições de "Casa da Suplicação"

930 bytes adicionados ,  15h23min de 12 de maio de 2020
sem resumo de edição
m
 
Por alvará de [[13 de maio]] de [[1813]], o Príncipe Regente D. João, para diminuir as despesas da Fazenda Real e simplificar a administração da justiça cível e criminal, reduziu para 60 o número de ministros com exercício efectivo na Casa da Suplicação.
 
A Casa da Suplicação do Brasil iria funcionar até [[1828]]. A sua congénere de Lisboa seria extinta em [[1833]]. Ambas se subdividiram em [[Tribunal da Relação]] e em [[Supremo Tribunal de Justiça de Portugal]], em administrações agora distintas<ref>[http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2183-31762014000200011 A Casa da Suplicação nos finais do Antigo Regime (1790-1810), por Nuno Camarinhas, Cadernos do Arquivo Municipal, vol.ser2 no.2, Lisboa dez. 2014]</ref>.
 
== Bibliografia ==
* [http://www.aatt.org/site/index.php?op=Nucleo&id=25 Casa da Suplicação, Associação dos Amigos da Torre do Tombo]
* [https://digitarq.arquivos.pt/details?id=4162628 Casa da Suplicação, Arquivo Nacional da Torre do Tombo]
* [https://www.infopedia.pt/$casa-da-suplicacao ]
* [http://mapa.an.gov.br/index.php/dicionario-periodo-colonial/151-casa-de-suplicacao-do-brasil Casa de Suplicação do Brasil, por Dilma Cabral, Arquivo Nacional da Memória da Administração Pública Brasileira, 9 de Novembro de 2016 | Última atualização em Sexta, 05 de Mai de 2017]
 
{{DEFAULTSORT:Casa Suplicacao}}
[[Categoria:Governo de Portugal]]
[[Categoria:Poder Judiciário de Portugal]]
[[Categoria:Extinções no Brasil em 1828]]
[[Categoria:Extinções em Portugal em 1833]]