Diferenças entre edições de "Mossurize (distrito)"

10 870 bytes adicionados ,  14h47min de 16 de maio de 2020
sem resumo de edição
Etiquetas: Editor Visual Expressão problemática Possível conteúdo ofensivo Provável parcialidade
== Distrito de Mossurize ==
{{sem infocaixa}}
 
=== Localização, superfície e população ===
De acordo com o censo de 1997, o distrito tem 122 244 habitantes e um superfície de 5 038 km², daqui resultando uma [[densidade populacional]] de 31.5 hab/km².
 
=== Clima e hidrografia<ref name="Perfil" />===
O clima do distrito, segundo a classificação de [[Wladimir Köppen]], é do tipo temperado húmido. a precipitação média anual é cerca de 1.501 mm de acordo com os dados da estação meteorológica de [[Espungabera]] e a estação chuvosa ocorre principalmente de Outubro e Abril, podendo registar maiores precipitações nos meses de Dezembro e Março.<ref name="Perfil">{{citar periódico|ultimo=|primeiro=|data=2005|titulo=Perfil Do Distrito de Mossurize|url=http://www.portaldogoverno.gov.mz/por/content/download/2926/23682/version/1/file/Mossurize.pdf|jornal=Perfil Do Distrito de Mossurize|acessodata=13.05.2020}}</ref>
 
A [[evapotranspiração]] de referência média anual é de cerca de 1.170 mm. As temperaturas médias oscilam à volta de 20ºC e a média mínima de 15ºC.<ref name="Perfil"/>
 
Em termos de potencialidades hídricas, o [[Rio Búzi]] denota condições naturais para a montagem de uma barragem de uma [[barragem]] hidroeléctrica.<ref name="Perfil"/>
 
=== Topografia, Solos e Recursos minerais ===
O relevo do terreno é caracterizado pela ocorrência de colinas e montanhas fortemente dissecadas por muitos riachos que drenam a área juntando-se aos rios mais importantes. Estas formações são o prolongamento da escarpa de Manica, parte integrante dos montes de Chimanimani.
 
Dentre as formações montanhosas do distrito destacam-se os montes Citatonga 1 e 2, Chipungumbira, Macuiana, Alto Chinguno, Alto Mude, Matengane e Alto Búzi. A zona que faz fronteira com o distrito de Machaze é composta por planícies de savanas abertas.
 
O distrito de Mossurize integrado as seguintes zonas agro-ecológicas:
 
* '''''[[Planaltos|Terras altas e planaltos]]''''' – Tem uma altitude que varia entre 700 e 1.000m acima do nível do mar e apresenta uma precipitação entre 1.300 a 1.500mm e abrange a zona imediata de Macuiana, pequenas áreas ao longo da fronteira com o Zimbabwé e as montanhas de Citatonga 2 e Chipungumbira com 800m a 1.050 m de altitude;
 
* '''''[[Escarpa Devoniana|Área central e escarpada]]''''' – Tem uma altitude que varia de 300 a 700m acima do nível do mar e cobre a maior parte do distrito.Inclui os vales dos rios Lucite, Puizice, Chicambwe, Muchenedzi, Alto-Búzi, Zona e Chinhica, assim como as zonas escarpadas que fazem fronteira com Mossurize, Morungueze e os vales do Baixo [[Rio Búzi|Búzi]]. Cerca de 65% da população do distrito vive nesta zona, cuja precipitação média anual situa-se entre 1.000 e 1.300mm.; e
 
* '''Zonas baixas e vales dos rios Mossurize, Morungwezi e Baixo Búzi''' – a
 
altitude varia entre 150 e 1.000m acima do nível do mar e corresponde aos vales destes rios até à fronteira com o distrito de [[Chibabava (distrito)|Chibabava]]. A precipitação varia de 800mm a 1.000mm por ano e a temperatura média na região varia de 26 a 27˚C. A vegetação do vale consiste principalmente de savanas e florestas abertas com superfícies abundantes de matos. Ao longo dos rios Mossurize e Muronguezi, as superfícies extensivas dos solos de aluvião apoiam as [[Floresta pluvial|florestas fluviais]], a maioria das quais foi desmatada para dar lugar a machambas. Estas faixas aluviais possuem, em certos locais, 1Km de largura, aqui se concentrando um número significativo da população. É nos vales onde se encontram as melhores áreas de pastagem.
 
Segundo a carta nacional de solos, predominam solos desenvolvidos nas rochas vulcânicas e do soco do [[Precâmbrico]]. Três agrupamentos de solos se destacam neste distrito:
 
* Os argilosos vermelhos, castanho-avermelhados, profundos e ferteis, que dominam na maior parte do distrito;
*    Os basálticos vermelhos de textura argilosa, castanho escuros de profundidades variáveis, que ocupam a maior parte da região de Garágua e de toda a zona Oeste do distrito e são aptos para a cultura do algodão; e
*   Os líticos de textura franco-arenosa, pouco profundos sobre rocha alterada.
 
O distrito pode ser caracterizado pela ocorrência de quatro unidades geológicas, nomeadamente rochas sedimentares '''Cretácicas, rochas extrusivas do Karroo Superior, rochas metamórficas e eruptivas do Précambrico (complexo gnaisso-granítico e metassedimentos dos grupos de Umkondo e Gairézi)'''.
 
Existem vários minerais, de que se destacam:
 
   No posto administrativo de Dacata, localidade de Macuvo (Mafusse) há suspeitas de asbeste, corrindo, [[Cobre]] e [[petróleo]], [[Carvão mineral|carvão]] em Macuiana, [[calcário]] em Mupengo, Goigoi e Muzocuo, [[ferro]] em Gunhe e [[ouro]] nas margens do rio Muchcenedzi.
 
   Na zona sul do distrito, concretamente no posto administrativo de Chiuraírue há suspeita de existência de ferro, ouro e diamante, ao longo dos rios Chinhica e Mossurize.
 
=== História ===
A zona do actual distrito de Mossurize acolheu o exército de [[Ngungunhane|Ngungunhana]] que progredia da [[Rodésia|antiga Rodésia]] na conquista de novas terras no início do século XVIII. Como estratégia, [[Ngungunhane|Ngungunhana]] foi obrigado a desposar a filha de um Chefe Tradicional, tornando-se genro deste. Facilmente conseguiu ocupar o distrito desde o rio Mussapa, no posto administrativo de Dacata até ao rio Mossurize.
 
O Rei [[Ngungunhane|Ngungunhana]] e a maior parte dos guerreiros de sua confiança pertenciam à tribo Nguni. O exército instalou uma das suas principais bases e a moradia do rei em Matare, na margem esquerda do rio Mossurize. São ainda visíveis os vestígios da muralha de pedras e cavernas onde as populações dormiam na época chuvosa. Durante o seu reinado, [[Ngungunhane|Ngungunhana]] utilizou o Monte Selinda para controlar o seu exército e a povoação de Mude onde descansava durante as suas caminhadas.
 
Os portugueses chegaram ao distrito de Mossurize por volta de 1890. Chegados ao local que é hoje a Vila de [[Espungabera]], obrigaram a população a desbravar a floresta onde eram praticados os cultos de evocação dos espíritos dos antepassados e de oferenda de sacrifícios visando sanar os males.
 
Por se tratar de uma floresta sagrada, a estrutura tradicional obrigou, algum tempo depois, a administração portuguesa a reflorestar este local em memória das populações que perderam a vida e foram aí sepultadas. Por isso, foram plantados eucaliptos que ainda hoje existem.
 
Pelo facto da residência de [[Ngungunhane|Ngungunhana]] estar localizada nas proximidades do rio Mossurize, os portugueses passaram a chamar o distrito pelo nome deste rio.
 
Os primeiros portugueses a chegar ao distrito fixaram-se em Espungabera no ano de 1900 e eram comandados pelo Capitão Aníbal Machado, um Secretário, um cobrador, dois soldados europeus acompanhados de 10 soldados [[indígenas]] e alguns sipaios.
 
=== Aspectos culturais e linguísticos ===
O distrito de Mossurize é constituído pelas etnias [[Ndaus|Ndau]], [[Língua xona|Chona]] e [[Changana]], sendo as principais línguas o [[Ndaus|Ndau]] e o [[Português de Moçambique|Português]].
 
A [[Língua xindau|língua Ndau]] é falada na maior parte do território do distrito, o [[Língua xona|Chona]] é falado um pouco ao longo da fronteira, o Chidanda na zona limítrofe com os distritos de [[Chibabava (distrito)|Chibabava]] e [[Machaze (distrito)|Machaze]]. Quanto ao [[Changana]], o mesmo é falado apenas numa pequena parte da zona sul que faz limite com o distrito de Machaze.
 
Por volta do século XVIII, os soldados que acompanhavam o rei [[Ngungunhane|Ngungunhana]] na sua invasão ao distrito casaram-se com mulheres locais, o que levou a que os sinais da [[Zulu|cultura Zulu]] se fossem gradualmente diluindo.
 
Os [[Ndaus]] adoptam tradicionalmente o regime [[Patrilinearidade|patrilinear]], exigindo o pagamento do lobolo. Este modelo foi adoptado pelas etnias [[Chona]], Chidanda e [[Changana]].
 
A população do distrito de Mossurize, por ser de [[Bantus|origem Bantu,]] vive em pequenos grupos de povoados dirigidos por um chefe que se subordina ao régulo na realização de cerimónias tradicionais e na resolução dos problemas dentro da sua regedoria.
 
Antes da degradação dos poderes sócio-culturais, tanto as raparigas como os rapazes cresciam com uma educação rígida, desde o respeito pelos anciãos da região até aos procedimentos amorosos. Tradicionalmente, as raparigas praticam ritos de iniciação entre os 10 e os 15 anos.
 
Toda a população venera tabús fúnebres nas bermas dos rios ou nas zonas húmidas com o intuito de garantir a queda de chuvas, o alívio de doenças e o afugentamento de vários perigos da natureza.
 
O Muchongoio é a dança praticada geralmente nestas cerimónias. Para além desta são ainda praticadas a Chinhambera, Macuiua, Nuemisso e a Chitonga. Os usos e costumes continuam a ser respeitados pela população.
 
Ao nível das zonas suburbanas, as habitações são construídas de material precário, nomeadamente, paus, areia e tijolos de barro e cobertas de capim. A cobertura possui a forma de cone. Estas construções são de baixa qualidade, mantendo-se apenas por 2 ou 3 anos. Como a casa possui apenas um único compartimento, os pais são obrigados a construir  mais casas ao redor do quintal para acomodar os filhos quando estes atingem a adolescência.
 
=== Religião ===
A população pratica várias religiões, sendo as mais predominantes as seguintes:    Zione Apóstolo (predominante);
 
*  [[Igreja Católica|Católica romana]];  
* [[Igreja Zione Apóstolo em Moçambique]];
* Johane Marangue;
*  [[Assembleia de Deus (Brasil)|Assembleia de Deus]];
* Apóstolo Lucas Sul;
* Gosperi;
* [[American Board]];
* [[Missão Fé Apostólica em Moçambique]];
* Igreja Evangélica Cheia da Palavra de Deus.
 
=== Lugares históricos ===
O distrito possui no total 17 lugares históricos, nomeadamente:
 
# '''Chipungumbira:''' montanha com floresta sagrada.
# '''Chicocha:''' Local onde vivia uma velha centenária que ali se refugiou para fugir às guerras tribais.
# '''Rupice:''' Riacho com águas quentes na encosta da serra Citatonga 2    Residência de Ngungunhana: no PA de Chiuraírue.
# '''Berenhama:''' Cavernas com cerca de 20 metros de altura que serviam de refúgio durante as guerras tribais.
# '''Urove:''' Floresta densa que servia de cemitério onde eram enterrados os familiares dos Régulos.
# '''Chinhamudidiza:''' Floresta densa antigamente habitada por leões . 
# '''Chimuambondoro:''' Riacho que servia de bebedouro aos leões.
# '''Maura:''' Local de paragem obrigatória dos viajantes que ali descansavam e faziam as refeições.
# '''Muchiroi:''' Fonte de água apenas reservada à realização de cerimónias dirigidas por ex-régulos do Círculo Mufudze.
# '''Chimwandombi''': Segundo as crenças, a água desta fonte só podia ser consumida  por raparigas virgens pois, caso contrário, a fonte secaria.
# '''Chiuraírue:''' Montanha situada no Posto do mesmo nome. Aqui a caça e as queimada só eram feitas com a autorização do régulo. Por cada animal abatido, o caçador oferecia uma perna ao régulo.
# '''Marwiano:''' É uma elevação onde assenta o PA de Dacata, baptizada pelos portugueses em homengem ao régulo que à altura reinava no Mave.
# '''Madzicoissa Moiana:''' Montanha que levou o nome do homem que, junto com a sua mulher, ali praticavam cerimónias, recebendo como graça uma boa colheita de mel.
# '''Mupengo:''' Significa doido. É uma zona cercada de montes para onde se refugiou um homem após ter morto sua mulher com uma zagaia. O facto do mesmo ali ter  vivido sem manter qualquer contacto com o exterior fez com que as pessoas o considerassem doido.
# '''Missão de São Leonardo:''' Fundada pelo Padre Carlos Azevedo “Mandevo”, por volta de 1890.
# '''Mussussu:''' Lugar onde descansava Ngungunhana nas suas incursões.
# '''Dengeza:''' Local onde se praticam rituais de fertilidade próximo da residencia oficial do administrador do Distrito..
 
== Divisão Administrativa ==
{{DEFAULTSORT:Mossurize (Distrito)}}
[[Categoria:Distritos de Moçambique]]
<references />
9

edições