Diferenças entre edições de "Ideograma"

Sem alteração do tamanho ,  18h06min de 22 de maio de 2020
m
sem resumo de edição
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m
 
Como exemplos de escritas ideográficas, podemos citar os [[hieróglifos]] do antigo [[Egipto|Egito]], a escrita [[linear B]] de Creta e a escrita [[civilização maia|maia]], assim como os caracteres [[Hanzi]] utilizados em [[língua chinesa|chinês]] e [[língua japonesa|japonês]].{{Nota de rodapé|Recentemente, o linguista [[J. Marshall Unger]] desmascarou a tese que cada caractere chinês tem um significado (é um ideograma). Ver seu livro ''Ideogram: Chinese Characters and the Myth of Disembodied Meaning'' (Honolulu: University of Hawai'i Press, 2004}}
 
O determinativo também é um tipo de ideograma, usado para marcar categorias [[Semântica|semânticas]] de palavras em textos [[Logograma|logográficos]], o que ajuda a desambiguar a interpretação. Eles não têm uma contrapartida direta na linguagem falada, embora possam derivar historicamente de glifos para palavras reais, e funcionalmente se assemelham a [[Classificador nominal|classificadores]] no leste asiático e nas línguas de sinais.<ref>Rude, Noel, "Graphemic classifiers in Egyptian hieroglyphics and Mesopotamian cuneiform", in ''Noun Classes and Categorization'', edited by Colette G. Craig, pp. 133-138. Amsterdam: John Benjamins, 1986.</ref>. São mais usados no Japão e na China.
 
==Ver também==