Diferenças entre edições de "Império Carolíngio"

Germânico, não alemão.
Etiquetas: Editor Visual Inserção de predefinição obsoleta
(Germânico, não alemão.)
Em 817 o seu sobrinho, o rei [[Bernardo de Itália]], rebelou-se contra ele devido ao descontentamento de ser o vassalo de [[Lotário I|Lotário]], o filho mais velho de Luís.<ref>"Revolt of Bernard of Italy", ''The Cambridge Medieval History Series'' volumes 1-5, Plantagenet Publishing</ref> A rebelião foi rapidamente sufocada pelo Imperador, e em 818 Bernardo foi capturado e punido - a pena de morte foi comutada em cegueira. No entanto, o trauma do procedimento acabou por matá-lo dois dias depois.<ref>{{Cite book|title=The Frankish Kingdoms Under The Carolingians 751-987|last=McKitterick|first=Rosamond|isbn=|publisher=Routledge|year=1983|location=|pages=}}</ref> Após isso a Itália foi reintroduzida ao controle Imperial. Em 822, a demonstração de penitência de Luís pela morte de Bernardo reduziu grandemente o seu prestígio como Imperador à nobreza - alguns sugerem que ele se rebaixou ao "domínio clerical".<ref>Knechtges, David R. and Vance, Eugene. ''Rhetoric and the Discourses of Power in Court Culture'', University of Washington Press, 2012,</ref>
 
Em 817, Luís tinha estabelecido três novos reinos carolíngios para os seus filhos desde o seu primeiro casamento: [[Lotário I|Lotário]] foi nomeado rei de Itália e co-herdeiro, [[Pepino I da Aquitânia|Pepino]] foi nomeado rei da Aquitânia e [[Luís, o Germânico|Luís, o alemão]] foi nomeado rei da Baviera. As suas tentativas em 823, de deixar uma porção do Império para o seu quarto filho (do seu segundo casamento), [[Carlos II de França|Carlos, o Careca]], foi marcado pela resistência dos seus filhos mais velhos. Embora isto tenha sido parte do motivo da disputa entre os filhos de Luís, alguns sugerem que foi a nomeação de [[Bernardo de Septimânia]] como camareiro causou descontentamento com Lotário, uma vez que ele foi destituído da sua co-reinado em 829 e foi banido para Itália (embora não se saiba porquê; o [[:en:Vita_Hludovici|Astrônomo]] afirma simplesmente que Luís "despediu o seu filho Lotário para voltar para Itália"<ref>The Astronomer, 'The Life of Emperor Louis', in ''Charlemagne and Louis the Pious: The Lives By Einhard, Notker, Ermoldus, Thegan, and The Astronomer,'' trans. by Thomas F. X. Noble (Pennsylvania: The Pennsylvania State University Press, 2009), p. 275.</ref>) e Bernardo assumiu o seu lugar como segundo no comando do imperador.<ref name=":43">{{Cite book|title=The Penitential State: Authority and Atonement in the Age of Louis the Pious, 814-840|last=De Jong|first=Mayke|isbn=|publisher=Cambridge University Press|year=2009|location=Cambridge|pages=20–47}}</ref> Com a influência de Bernardo sobre não só o imperador, mas também a imperatriz, foi semeada mais discórdia entre a nobreza proeminente. Pepino, o segundo filho de Luís, também estava descontente; tinha sido implicado numa campanha militar fracassada em 827, e estava cansado do envolvimento prepotente de seus pais no governo da Aquitânia.<ref name=":44">{{Cite book|title=The Penitential State: Authority and Atonement in the Age of Louis the Pious, 814-840|last=De Jong|first=Mayke|isbn=|publisher=Cambridge University Press|year=2009|location=Cambridge|pages=20–47}}</ref> Como tal, a nobreza irada apoiou Pepino, e a guerra civil eclodiu durante a Quaresma de 830, tendo os últimos anos do seu reinado de Luís atormentados pela guerra civil.
 
Pouco depois da Páscoa, os seus filhos atacaram o império de Luís e destronaram-no a favor de Lotário. O [[:en:Vita_Hludovici|astrônomo]] declarou que Luís passou o verão sob a custódia de seu filho, "um imperador apenas no nome".<ref name=":45">{{Cite book|title=The Penitential State: Authority and Atonement in the Age of Louis the Pious, 814-840|last=De Jong|first=Mayke|isbn=|publisher=Cambridge University Press|year=2009|location=Cambridge|pages=20–47}}</ref> No ano seguinte, Luís atacou os reinos de seus filhos, elaborando novos planos de sucessão. Ele deu Nêustria a Pepino, tirou Lotário do seu título Imperial e concedeu o Reino de Itália a Carlos. Outra divisão em 832 excluiu completamente [[Pepino I da Aquitânia|Pepino]] e [[Luís, o Germânico|Luís, o alemão]], fazendo de [[Lotário I|Lotário]] e [[Carlos II de França|Carlos]] os únicos benfeitores do reino, o que provocou que [[Pepino I da Aquitânia|Pepino]] e [[Luís, o Germânico|Luís, o alemão]] se revoltassem no mesmo ano<ref name=":46">{{Cite book|title=The Penitential State: Authority and Atonement in the Age of Louis the Pious, 814-840|last=De Jong|first=Mayke|isbn=|publisher=Cambridge University Press|year=2009|location=Cambridge|pages=20–47}}</ref>, seguidos de Lotário em 833, e juntos prenderam o Imperador Luís e Carlos.
 
Lotário traria o [[Papa Gregório IV]] de Roma sob o pretexto da mediação, mas o seu verdadeiro papel era legitimar o seu governo e o dos seus irmãos, depondo e excomungando Luís.<ref name=":47">{{Cite book|title=The Penitential State: Authority and Atonement in the Age of Louis the Pious, 814-840|last=De Jong|first=Mayke|isbn=|publisher=Cambridge University Press|year=2009|location=Cambridge|pages=20–47}}</ref> Em 835, a paz foi feita dentro da família, e Luís foi restaurado ao trono imperial na igreja de Santo Estêvão em Metz. Quando Pepino morreu em 838, Luís coroou Carlos rei da Aquitânia, enquanto a nobreza elegeu o filho de Pepino II, um conflito que só foi resolvido em 860 com a morte de Pepino. Quando Luís o Piedoso morreu finalmente em 840, Lotário reivindicou todo o império, independentemente das partições.
 
Como resultado, Carlos e Luís, o alemãoGermânico, entraram em guerra contra Lotário. Depois de perder a [[Batalha de Fontenoy (841)|batalha de Fontenoy]], Lotário fugiu para a sua capital em Aachen e criou um novo exército, que era inferior ao dos irmãos mais novos. Nos [[Juramentos de Estrasburgo]], em 842, Carlos e Luís concordaram em declarar Lotário impróprio para o trono imperial. Isto marcou a divisão Leste-Oeste do Império entre Luís e Carlos até ao [[Tratado de Verdun]]. Considerado um marco na história europeia, os Juramentos de Estrasburgo simbolizam o nascimento da França e da Alemanha.<ref>{{cite web|url=http://www.dw-world.de/dw/article/0,,3840415,00.html|title=Die Geburt Zweier Staaten – Die Straßburger Eide vom 14. February 842 &#124; Wir Europäer &#124; DW.DE &#124; 21.07.2009|publisher=Dw-world.de|date=2009-07-21|accessdate=2013-03-26}}</ref><ref>Eric Joseph Goldberg, ''Struggle for Empire: Kingship and Conflict Under Louis the German, 817–876'', Cornell University Press, 2006 {{ISBN|978-0-8014-3890-5}}</ref>
 
=== Após o Tratado de Verdun (843-877) ===
Lotário entregou a Itália ao seu filho mais velho, Luís II, em 844, e o tornou co-imperador em 850. Lotário morreu em 855, dividindo o seu reino em três partes: o território já detido por Luís permaneceu seu, o território do antigo Reino da Borgonha foi concedido ao seu terceiro filho Carlos da Borgonha, e o restante território para o qual não havia nome tradicional foi concedido ao seu segundo filho Lotário II, cujo reino se chamava [[Reino da Lotaríngia|Lotaríngia]].
 
Luís II, insatisfeito por não ter recebido território adicional aquando da morte do seu pai, aliou-se ao seu tio Luís, o alemãoGermânico, contra o seu irmão Lotário e o seu tio [[Carlos II de França|Carlos, o Careca]], em 858. Lotário reconciliou-se com o seu irmão e o seu tio pouco depois. Carlos era tão impopular que não conseguiu formar um exército para combater a invasão e, em vez disso, fugiu para a Borgonha. Ele só foi salvo quando os bispos se recusaram a coroar Luís, o rei alemão. Em 860, Carlos, o Careca, invadiu o Reino da Borgonha, mas foi repelido. Lotário II cedeu terras a Luís II em 862 para apoiar o seu divórcio com sua mulher, o que provocou repetidos conflitos com o Papa e os seus tios. Carlos da Borgonha morreu em 863 e o seu Reino foi herdado por Luís II.<ref>Durant, ''3. The Carolingian Decline'' 7º parágrafo.</ref>
 
Lotário II morreu em 869, sem herdeiros legítimos, e o seu Reino foi dividido entre Carlos, o Careca e Luís, o AlemãoGermânico em 870, pelo [[Tratado de Meersen|Tratado de Meerssen]]. Entretanto, Luís, o alemãoGermânico, esteve envolvido em disputas com os seus três filhos. Luís II morreu em 875, e nomeou Carlomano, o filho mais velho de Luís, o alemãoGermânico, seu herdeiro. Carlos, o Careca, apoiado pelo Papa, foi coroado Rei de Itália e Sacro Imperador Romano. No ano seguinte, Luís, o alemãoGermânico, morreu. Carlos também tentou anexar o seu reino, mas foi derrotado decisivamente em Andernach, e o Reino dos Francos Orientais foi dividido entre Luís o Jovem, Carlomano da Baviera e Carlos o Gordo.<ref>Durant, ''1. The Organization of Power'' 3º parágrafo.</ref>
 
=== Declínio (877-888) ===