Diferenças entre edições de "Império Carolíngio"

sem resumo de edição
(Germânico, não alemão.)
{{mais notas|data=fevereiro de 2015}}
[[Ficheiroimagem:Frankish Empire 481 to 814-pt.svg|miniaturadaimagem|300x300px|O Império Carolíngio na sua maior extensão, com as três divisões principais de 843 nações e tributários para o leste.]]
O '''Império Carolíngio''' (800-888) foi um grande império dominado pelos francófonos na Europa Ocidental e Central durante o início da [[Idade Média]]. Era governado pela [[Dinastia carolíngia|dinastia Carolíngia]], que governava como reis dos Francos desde 751 e como reis dos Lombardos na Itália a partir de 774. Em 800, o rei franco [[Carlos Magno]] foi coroado imperador em Roma pelo [[Papa Leão III]], num esforço para transferir o [[Império Bizantino|Império Romano do oriente]] para ocidente.<ref>{{citar livro|url=https://erenow.net/postclassical/the-age-of-faith-a-history-of-medieval-civilization/104.php|título=The Age of Faith: A History of Medieval Civilization|ultimo=Durant|primeiro=Will|editora=|ano=|local=|página=''2.Charlemagne: 768–814''. 17º Parágrafo.|páginas=}}</ref> O Império Carolíngio é considerado a primeira fase da história do [[Sacro Império Romano-Germânico]], que durou até 1806.
 
Após uma guerra civil (840-843), depois da morte do Imperador [[Luís I, o Piedoso|Luís, o Piedoso]], o Império foi dividido em reinos autônomos, com um rei ainda reconhecido como imperador, mas com pouca autoridade fora do seu próprio reino. A unidade do império e o direito hereditário dos carolíngios continuou a ser reconhecido.<ref>{{citar livro|url=https://erenow.net/postclassical/the-age-of-faith-a-history-of-medieval-civilization/104.php|título=The Age of Faith: A History of Medieval Civilization|ultimo=Durant|primeiro=Will|editora=|ano=|local=|página=''3.The Carolingian Decline''. 5º Parágrafo.|páginas=}}</ref> Em 884, [[Carlos, o Gordo]] reuniu todos os reinos carolíngios pela última vez, mas com sua morte em 888, o império foi novamente dividido.<ref>{{citar livro|url=https://erenow.net/postclassical/the-age-of-faith-a-history-of-medieval-civilization/104.php|título=The Age of Faith: A History of Medieval Civilization|ultimo=Durant|primeiro=Will|editora=|ano=|local=|página=''3.The Carolingian Decline''. 7º Parágrafo.|páginas=}}</ref> Como o único herdeiro legítimo da dinastia que restava [[Carlos III de França|ainda era uma criança]], a nobreza elegeu reis regionais de fora da dinastia ou, no caso doda [[Frância Oriental|reino oriental]], um [[Arnulfo da Caríntia|carolíngio ilegítimo]].<ref>{{citar livro|url=https://erenow.net/postclassical/the-age-of-faith-a-history-of-medieval-civilization/110.php|título=The Age of Faith: A History of Medieval Civilization|ultimo=Durant|primeiro=Will|editora=|ano=|local=|página=''1. The Organization of Power''. 3º Parágrafo.|páginas=|citacao=''After a decade of chaos, during which the Northmen raided the Rhine cities, Arnulf, illegitimate offspring of Louis’ son Carloman, was elected king of “East Francia” (887), and drove back the invaders.''}}</ref> A linha ilegítima continuou a governar no leste até 911, enquanto nona [[Frância Ocidental|reino ocidental]] a legítima dinastia Carolíngia foi restaurada em 898 e governou até 987, com uma interrupção de 922 para 936.
 
A dimensão do império no seu início era de cerca de 1.112.000 km² com uma população entre 10 e 20 milhões de habitantes.<ref>{{cite book|url=https://books.google.com/?id=ZK3bdq6ihM8C&pg=PA50&dq=carolingian+empire+in+km2#v=onepage&q=carolingian%20empire%20in%20km2&f=false|title=Post-Roman towns, trade and settlement in Europe and Byzantium – Joachim Henning – Google Břger|last1=Henning|first1=Joachim|isbn=9783110183566|quote=The size of the Carolingian empire can be roughly estimated at 1,112,000 km²|accessdate=24 dezembro 2014|year=2007}}</ref> O seu coração era Frância, a terra entre o [[Rio Loire|Loire]] e o [[Rio Reno|Reno]], onde se situava a sua capital simbólica, [[Aachen]]. No sul, o império atravessava os [[Pirenéus|Pirineus]] e fez fronteira com o [[Emirado de Córdova]] e, após 824, com o [[Reino de Navarra|Reino de Pamplona]]; a norte, fez fronteira com o reino dos dinamarqueses; a oeste, tinha uma curta fronteira terrestre com a [[Ducado da Bretanha|Bretanha]], que mais tarde foi reduzida a um afluente; a leste, tinha uma longa fronteira com os eslavos e os [[Ávaros|Avaros]], que acabaram por ser derrotados e as suas terras incorporadas no império. No sul, na Itália, as pretensões dos carolíngios à autoridade foram contestadas pelos bizantinos (romanos orientais) e pelos vestígios do [[Reino Lombardo|reino lombardo]] no [[Ducado de Benevento]].
=== Ascensão dos carolíngios (c. 732-768) ===
''Ver também: [[Dinastia carolíngia|Dinastia Carolíngia]]''
[[Ficheiroimagem:Steuben - Bataille de Poitiers.png|miniaturadaimagem|249x249px|A B''atalha de Poitiers em outubro de 732'' de [[Charles de Steuben]]'','' descreve romanticamente um Carlos Martel triunfante (montado) de frente para [[Abderramão ibne Abdalá Algafequi]] (à direita) na Batalha de Tours.]]
Embora [[Carlos Martel]] tenha optado por não tomar o título de rei (como o seu filho [[Pepino, o Breve|Pepino III]] faria, ou imperador, como o seu neto [[Carlos Magno]]), ele foi governante absoluto de praticamente toda a [[Europa Ocidental]] continental atual, ao norte dos Pirenéus. Apenas os restantes reinos saxões, que ele conquistou parcialmente, a [[Lombardos|Lombardia]], e a [[Marca Hispânica]] a sul dos Pirenéus foram acrescentos significativos aos reinos francófonos após a sua morte.
 
 
=== Reinado de Luís, o Piedoso e a guerra civil (814–843) ===
[[Ficheiroimagem:Ludwik I Pobożny.jpg|miniaturadaimagem|305x305px|[[Luís I, o Piedoso|Luís, o Piedoso]], representação contemporânea de 826 como ''Christi'' (soldado de Cristo), com um poema de Rabanus Maurus sobreposto. ]]
O reinado de "[[Luís I, o Piedoso|Luís, o Piedoso]]" como Imperador foi no mínimo inesperado; como terceiro filho de Carlos Magno, foi originalmente coroado [[Ducado da Aquitânia|Rei da Aquitânia]] aos três anos.<ref name=":3">{{Cite book|title=Rethinking Authority in the Carolingian Empire|last=Kramer|first=Rutger|isbn=|publisher=Amsterdam University Press|year=2019|location=Amsterdam|pages=31–4}}</ref> Com a morte dos seus irmãos mais velhos, ele passou de "um rapaz que se tornou rei para um homem que seria imperador".<ref name=":32">{{Cite book|title=Rethinking Authority in the Carolingian Empire|last=Kramer|first=Rutger|isbn=|publisher=Amsterdam University Press|year=2019|location=Amsterdam|pages=31–4}}</ref> Embora o seu reinado tenha sido ensombrado pela luta dinástica e consequente guerra civil, como diz o seu epíteto, ele estava altamente interessado em assuntos de religião. Uma das primeiras coisas que ele fez foi "governar o povo pela lei e com a riqueza da sua piedade"<ref>Ernold, Carmen, lib. I, 11, 85-91, pp. 10-11.</ref>, nomeadamente restaurando igrejas. Um astrônomo declarou que, durante sua estadia na Aquitânia, ele "concluiu o estudo da leitura e do canto, e também a compreensão das letras divinas e mundanas, mais rapidamente do que se acreditaria".<ref>Astronumus, Vita Hludowici, c. 19, p. 336.</ref> Ele também fez um esforço significativo para restaurar muitos mosteiros que haviam desaparecido antes do seu reinado, bem como patrocinar novos.<ref name=":33">{{Cite book|title=Rethinking Authority in the Carolingian Empire|last=Kramer|first=Rutger|isbn=|publisher=Amsterdam University Press|year=2019|location=Amsterdam|pages=31–4}}</ref>
 
=== Após o Tratado de Verdun (843-877) ===
''Ver também: [[Tratado de Verdun]]''
[[Ficheiroimagem:Carolingian empire 843-pt.svg|esquerda|miniaturadaimagem|259x259px|A divisão do Império Carolíngio de acordo com o [[Tratado de Verdun]].]]
[[Lotário I|Lotário]] recebeu o título imperial, o reino da Itália, e o território entre os rios [[Rio Reno|Reno]] e [[Rio Ródano|Ródano]], colectivamente designado como Frância Central ou [[Reino da Frância centralLotaríngia|Lotaríngia]]. A Luís foi garantido o reinado de todas as terras a leste do Reno e a norte e leste da Itália, que foi chamado o reino [[Frância Oriental|Frância oriental]], que foi o precursor da Alemanha moderna. Carlos recebeu todas as terras a oeste do Ródano, que se chamava o reino [[Frância Ocidental|Frância ocidental]].
 
Lotário entregou a Itália ao seu filho mais velho, Luís II, em 844, e o tornou co-imperador em 850. Lotário morreu em 855, dividindo o seu reino em três partes: o território já detido por Luís permaneceu seu, o território do antigo Reino da Borgonha foi concedido ao seu terceiro filho Carlos da Borgonha, e o restante território para o qual não havia nome tradicional foi concedido ao seu segundo filho Lotário II, cujo reino se chamava [[Reino da Lotaríngia|Lotaríngia]].
 
=== Declínio (877-888) ===
[[Ficheiroimagem:Sceau de Charles le gros.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|Um selo de [[Carlos, o Gordo]], com a inscrição KAROLVS MAGS ("Carolus Magnus").]]
O Império, após a morte de [[Carlos II de França|Carlos, o Careca]], foi atacado a norte e a oeste pelos [[Vikings]]<ref>Durant, ''3. The Carolingian Decline'' 7º parágrafo.</ref> e enfrentava lutas internas desde Itália até ao Báltico, desde a Hungria, a leste, até à Aquitânia, a oeste. Carlos, o Careca, morreu em 877 ao atravessar o [[Passo do Monte Cenis|Passo do Monte Cênis]] e foi sucedido pelo seu filho, [[Luís II de França|Luís, o Gago]], como Rei dos Francos Ocidentais, mas o título de Sacro Imperador Romano caducou. Luís, o Gago, era fisicamente fraco e morreu dois anos depois, estando o seu reino dividido entre os seus dois filhos mais velhos: [[Luís III de França|Luís III]] ganhando Nêustria e Frância, e Carlomano ganhando Aquitânia e Borgonha. O Reino da Itália foi finalmente concedido ao Rei Carlomano da Baviera, mas um derrame forçou-o a abdicar do trono da Itália em nome do seu irmão [[Carlos, o Gordo]] e a Baviera para Luís da Saxônia. Também em 879, [[Bosão da Provença|Bosão]], Conde de Arles fundou o Reino da Baixa Borgonha na Provença.