Sete Sábios da Grécia: diferenças entre revisões

148 bytes removidos ,  21h37min de 28 de maio de 2020
Eliminei comentários de índole normativa e sem valor justificado para um discurso que se pretende informativo.
(Ligações adicionais)
(Eliminei comentários de índole normativa e sem valor justificado para um discurso que se pretende informativo.)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
[[Platão (desambiguação)|Platão]], no diálogo intitulado [[Protágoras (desambiguação)|Protágoras]], expõe a seguinte lista: [[Tales de Mileto|Tales]], [[Pítaco]]s, [[Bias de Priene|Bias]], [[Sólon|Solon]], [[Cleóbulo de Lindos|Cleóbulo]], [[Mison de Queneia|Mison]] e [[Quilão de Esparta|Quílon]].{{carece de fontes|data=junho de 2017}}
 
Como características, os sábios eram muito sintéticos em suas afirmações. De [[Sólon]], temos: "Se sabes, cala"; de [[Bias de Priene|Bias]]: "Odeia o falar ligeiro"; de [[Cleóbulo de Lindos|Cleobulo]]: "Ser ávido de escutar e não de falar" e de [[Quilon de Esparta]]: "Que a tua língua não corra à frente do teu pensamento". De [[Brias de Priene|Bias de Priene]] temos a seguinte máxima, profunda e atual: "A maioria dos homens é perversa".<ref>Laércio, Diógenes, Vida dos Filósofos I, 71.</ref> Numa rápida averiguação histórica, até o momento, sempre que o homem se fez maioria, a perversidade foi duramente percebida.
 
== Máximas e Preceitos<ref>António Pinela, Reflexões, 1980.</ref> ==
Utilizador anónimo