Diferenças entre edições de "Sega"

3 092 bytes adicionados ,  3 junho
[[Ficheiro:Sega Annual Income(Loss) 1993-2004.svg|esquerda|thumb|upright=1.65|Perdas financeiras da Sega de 1998 a 2002<ref name=ref128 /><ref name=ref132 /><ref> {{citar web|url=https://www.segasammy.co.jp/japanese/media/file/ir/library/archive/sega/sega_annual_tuuki_2002.pdf|título=Sega Corporation Annual Report 2002|data=2002|obra=Sega|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref><ref> {{citar web|url=http://www.segasammy.co.jp/english/ir/pdf/ir/kako/sega_AR_all_2004.pdf|arquivourl=https://www.webcitation.org/5mHPmG7gs?url=http://www.segasammy.co.jp/english/ir/pdf/ir/kako/sega_AR_all_2004.pdf|arquivodata=25 de dezembro de 2009|urlmorta=sim|título=Sega Corporation Annual Report 2004|data=2004|páginas=2, 16|obra=Sega|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref>]]
Isao Okawa, presidente da CSK, substituiu Irimajiri como presidente da Sega em maio de 2000.<ref> {{harvnb|Kent|2001|pp=581–582}} </ref> Okawa há muito tempo defendia que a empresa deveria abandonar completamente o ramo de consoles.<ref> {{harvnb|Kent|2001|pp=577, 582}} </ref> Outros também compartilhavam essa opinião: Rosen disse que "sempre senti que era um pouco tolice deles limitar seu potencial para o hardware da Sega", enquanto Stolar tinha sugerido que a companhia deveria ter sido vendida para a Microsoft.<ref name=fahs /><ref> {{citar periódico|autor=Kent, Steven L.|data=abril de 2001|título=A Few Words on Sega, From the Founder|jornal=Next Generation|volume=3|número=4|página=9 }} </ref> Moore e Charles Bellfield, executivo da Sega of America, durante uma reunião com executivos japoneses e chefes de estúdios da Sega, em setembro de 2000, recomendaram que a empresa deveria abandonar o negócio de produzir consoles. Em resposta, os chefes de estúdio deixaram a sala.<ref name=perry /> A companhia mudou oficialmente seu nome, em novembro de 2000, de Sega Enterprises para Sega Corporation. Ela afirmou na época que isto tinha a intenção de mostrar seu comprometimento com sua "rede de negócios de entretenimento".<ref> {{citar web|url=http://sega.jp/corp/release/2000/1101_1/|arquivourl=https://web.archive.org/web/20150419235822/http://sega.jp/corp/release/2000/1101_1/|arquivodata=19 de abril de 2015|urlmorta=sim|título=Sega Enterprises, Ltd. Changes Company Name|data=1 de novembro de 2000|obra=Sega|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref>
 
O jornal japonês ''[[The Nikkei|Nihon Keizai Shinbun]]'' relatou, em 23 de janeiro de 2001, que a Sega iria encerrar a produção do Dreamcast e passar a desenvolver jogos eletrônicos para outras plataformas.<ref> {{citar web|url=https://www.ign.com/articles/2001/01/24/sega-sinks-console-efforts|título=Sega Sinks Console Efforts?|data=23 de janeiro de 2001|obra=IGN|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref> Depois de uma negação inicial, a empresa emitiu um comunicado de imprensa confirmando que estava considerando lançar seus títulos para o PlayStation 2 e [[Game Boy Advance]] como parte de uma "nova política de gerenciamento".<ref> {{citar web|url=https://www.ign.com/articles/2001/01/24/sega-confirms-ps2-and-game-boy-advance-negotiations|título=Sega Confirms PS2 and Game Boy Advance Negotiations|data=23 de janeiro de 2001|obra=Gantayat, Anoop|obra=IGN|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref> A Sega anunciou em 31 de janeiro que iria parar de produzir o Dreamcast depois do fim de março e que estava se reestruturando internamente como uma desenvolvedora terceirizada "agnóstica de plataformas".<ref> {{harvnb|Kent|2001|pp=588–589}} </ref><ref> {{citar web|url=https://www.gamespot.com/articles/sega-announces-drastic-restructuring/1100-2680518/|título=Sega announces drastic restructuring|data=31 de janeiro de 2001|autor=Ahmed, Shahed|obra=GameSpot|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref> A companhia também anunciou uma redução de preço do console a fim de eliminar seu estoque não vendido, estimado em abril em 930 mil unidades.<ref> {{citar web|url=https://www.segasammy.co.jp/english/ir/release/pdf/past/sega/2002/20011030.pdf|arquivourl=https://web.archive.org/web/20150726015556/https://www.segasammy.co.jp/english/ir/release/pdf/past/sega/2002/20011030.pdf|arquivodata=26 de julho de 2015|urlmorta=sim|título=Revisions to Annual Results Forecasts|data=23 de outubro de 2001|página=4|obra=Sega|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref><ref> {{citar periódico|título=Sega pulls plug on Dreamcast|jornal=Next Generation|volume=3|número=4|data=abril de 2001|páginas=7–9}} </ref> Seguiram-se outras reduções de preço para eliminar por completo o inventário restante.<ref> {{citar web|url=https://www.gamespot.com/articles/sega-drops-dreamcast-price-again/1100-2826685/|título=Sega drops Dreamcast price again|data=17 de maio de 2006|autor=Ahmed, Shahed|obra=GameSpot|acessodata=2 de junho de 2020 }} </ref><ref> {{citar periódico|título=Sega Ships the 'Dreamlast'|data=março de 2002|volume=14|número=62|jornal=[[GamePro]]|página=30 }} </ref> O último Dreamcast produzido foi autografado pelos chefes dos nove estúdios internos da Sega, mais os chefes da desenvolvedora de títulos esportivos Visual Concepts e do estúdio de áudio Wave Master, sendo entregue, junto com 55 jogos exclusivos, para a revista ''[[GamePro]]'', que realizou uma competição de sorteio para um de seus leitores.<ref> {{citar periódico|título=Dreamcast Collector's Edition Giveaway|jornal=GamePro|volume=14|número=163|data=abril de 2002|página=117}} </ref>
 
===Sammy e expansão===