Diferenças entre edições de "Permiano"

1 716 bytes adicionados ,  10h42min de 7 de junho de 2020
sem resumo de edição
}}
O '''Permiano''' ou '''Pérmico''' é um período geológico que se estende de 298,9 ± 0,15 a 252,17 ± 0,06 milhões de anos. <ref>[[International Commission on Stratigraphy|ICS]], 2004</ref> É o último período da era [[Paleozoica]], após o período [[Carbonífero]] e antes do período [[Triássico]] do [[Mesozoico]]. O termo foi introduzido pela primeira vez em [[1841]] pelo [[geólogo]] [[Roderick Murchison]], em homenagem a [[Krai de Perm]], na [[Rússia]], onde [[estrato]]s do período foram originalmente encontrados.
 
Não gosto de Geologia.
 
O Permiano ou Pérmico é um período geológico que se estende de 298,9 ± 0,15 a 252,17 ± 0,06 milhões de anos. [7] É o último período da era Paleozoica, após o período Carbonífero e antes do período Triássico do Mesozoico. O termo foi introduzido pela primeira vez em 1841 pelo geólogo Roderick Murchison, em homenagem a Krai de Perm, na Rússia, onde estratos do período foram originalmente encontrados.
O Permiano testemunhou a diversificação dos amniotas iniciais até os grupos ancestrais dos mamíferos, tartarugas, lepidossauros e arcossauros. O planeta, na época, possuía um único supercontinente conhecido como Pangea, cercado por um oceano global chamado Pantalassa. As florestas extensas do Carbonífero haviam desaparecido, deixando para trás vastas regiões de deserto árido no interior continental. Répteis, que podiam lidar melhor com condições mais secas, predominaram no lugar de seus ancestrais, os anfíbios. O período Permiano (e a era Paleozoica) terminou com a maior extinção em massa na história do planeta Terra, em que cerca de 90% das espécies marinhas e 70% das espécies terrestres desapareceram. [8]
No Brasil, a formação Irati pertence a este período. No Sudoeste do Rio Grande do Sul há uma área com fósseis do Permiano que datam a 270 milhões de anos. Merecendo destaque para o chamado Mesosaurus brasiliensis, um pequeno réptil aquático encontrado pelo geólogo estadunidense Israel Charles White, na cidade de Irati, Paraná, em 1908, e cuja similaridade com a espécie sul-africana do fóssil ajudou nos argumentos da teoria da deriva continental do cientista alemão Alfred Wegener. Encontrava-se apenas num período de transgressão m
 
 
O Permiano testemunhou a diversificação dos [[amniota]]s iniciais até os grupos ancestrais dos [[mamífero]]s, [[tartaruga]]s, [[Lepidosauria|lepidossauros]] e [[arcossauro]]s. O planeta, na época, possuía um único supercontinente conhecido como [[Pangea]], cercado por um oceano global chamado [[Pantalassa]]. As florestas extensas do Carbonífero haviam desaparecido, deixando para trás vastas regiões de deserto árido no interior continental. [[Répteis]], que podiam lidar melhor com condições mais secas, predominaram no lugar de seus ancestrais, os [[anfíbio]]s. O período Permiano (e a era Paleozoica) terminou com a maior extinção em massa na história do planeta Terra, em que cerca de 90% das espécies marinhas e 70% das espécies terrestres desapareceram. <ref>[http://www.sciencedaily.com/articles/p/permian-triassic_extinction_event.htm]</ref>
 
Utilizador anónimo