Diferenças entre edições de "Apedrejamento"

66 bytes adicionados ,  11h13min de 8 de junho de 2020
m
Foram revertidas as edições de 170.82.79.192 para a última revisão de CommonsDelinker, de 09h52min de 10 de fevereiro de 2020 (UTC)
(Corrigi vários erros)
m (Foram revertidas as edições de 170.82.79.192 para a última revisão de CommonsDelinker, de 09h52min de 10 de fevereiro de 2020 (UTC))
Etiqueta: Reversão
 
[[Ficheiro:A map showing countries where public stoning is judicial or extrajudicial form of punishment.SVG|right|thumb|250px|Um mapa mostrando os países onde a lapidação pública é uma forma de punição judicial ou extrajudicial]]
[[Ficheiro:Lapidation.jpg|right|thumb|250px|OA apedrejamentolapidação de [[Santo Estêvão]]]]
'''ApedrejamentoLapidação''' ou '''apedrejamento''' é uma forma de execução de [[pena de morte|condenados]] à [[morte]]. É um meio de execução muito antigo, que consiste em que os assistentes lancem pedras contra o réu, até o matar. Como uma pessoa pode suportar golpes fortes sem perder a consciência, a lapidação pode produzir uma morte muito lenta.
 
==No judaísmo==
==No cristianismo==
 
NoNa cristianismo[[Cristianismo|Religião e no judaísmoCristã]], segundo a [[Lei de Moisés|Lei Mosaica]], a lei que foiteria sido escrita diretamente pelo dedo de [[Deus]] nas tábuas dadas ao Profeta [[Moisés]] no [[Monte Sinai]]{{carece de fontes|data=abril de 2017}}, há várias razões que podem condenar uma pessoa à morte por '''apedrejamento'''. O [[Novo testamento]] para os cristãos aboliu esse tipo de execução; motivo pelo qual não se vê líderes cristãos apedrejando licitamente um réu. Os motivos pelos quais os judeus praticavam o apedrejamento eram:
 
* '''Sacrifícios e culto a divindades pagãs''':
 
==No Islã==
Até hoje essa pena ainda é praticada em alguns países [[muçulmano]]s. Apesar de o [[Corão]] não mencionar a lapidação como pena, de acordo com alguns hadithshádices, os versos sobre oa apedrejamentolapidação perderam-se, tendo sido comidos por uma cabra <ref>{{citar web|url=https://sunnah.com/urn/1262630|titulo=Sunan Ibn Majah , Vol. 3,Livro 9, Hadith 1944|acessodata=15 de Agosto de 2017|publicado=Sunnah.com}}</ref>. A [[Lei islâmica]] aplicada em certos países justifica essa prática por relatos da vida de Maomé (Conforme [http://quranx.com/Hadith/Bukhari/USC-MSA/Volume-2/Book-23/Hadith-413/ Sahih Bukhari 2:23:413], [http://quranx.com/Hadith/Bukhari/USC-MSA/Volume-3/Book-34/Hadith-421/ Sahih Bukhari 3:34:421], [http://quranx.com/Hadith/Bukhari/USC-MSA/Volume-3/Book-49/Hadith-860/ Sahih Bukhari 3:49:860], [http://quranx.com/Hadith/Bukhari/USC-MSA/Volume-4/Book-56/Hadith-829/ Sahih Bukhari 4:56:829] e outros).
 
OA apedrejamentolapidação é a punição estabelecida para o homem ou a mulher casada que cometem adultério. A maioria das vítimas de apedrejamentolapidação são mulheres; no Irão, 7 em cada dez pessoas condenadas a apedrejamento são mulheres, segundo a Amnistia Internacional.
 
''O apedrejamentoA lapidação é chamada de rajm'' (Arabic: رجم) na literatura islâmica, e é praticada nos Emirados Árabes Unidos, Irão, Qatar, Mauritânia, Arábia Saudita, Somália, Sudão, Iémen, Nigéria (norte), na província indonésia de Aceh, Afeganistão, e algumas zonas do Paquistão <ref>{{citar web|url=http://news.trust.org//item/20130927160132-qt52c/|titulo=INFOGRAPHIC: Stoning - where is it legal?|data=29 de Setembro de 2013|publicado=Thomson Reuters Foundation|ultimo=Batha|primeiro=Emma (e Ye Li )}}</ref>. Em alguns países, como por exemplo o Afeganistão e o Iraque, o apedrejamento foi declarado ilegal pelos Governos, sendo porém praticado extra-judicialmente. Por vezes, a sentença não é levada a cabo, devido ao clamor internacional.
 
O governo do Irão nega que haja apedrejamentoslapidações no país, considerando as alegações como propaganda ocidental; contudo, elas existem<ref>{{citar web|url=http://news.bbc.co.uk/1/hi/6288156.stm|titulo=Iran 'adulterer' stoned to death ("Adúltero" iraniano apedrejado até à morte - em inglês)|data=10 de Julho de 2007|publicado=BBC News}}</ref> . De acordo com a lei iraniana, um prisioneiro masculino deve ser enterrado numa cova até á cintura, mas uma mulher é enterrada até ao peito. O artigo 119 do Código penal especifica que as pedras usadas não devem ser tão grandes que possam provocar a morte imediata, nem tão pequenas que não se possam considerar pedras. O objectivo é causar uma morte lenta e dolorosa. <ref>{{citar web|url=https://web.archive.org/web/20140611045918/http://www.amnesty.org/en/library/asset/MDE13/021/1990/en/5c32759d-ee5e-11dd-9381-bdd29f83d3a8/mde130211990en.html|titulo=Document - Iran: Violations of human rights 1987 - 1990|data=11 de junho de 2014|acessodata=26 de Setembro de 2018|publicado=Amnesty International (Arq. em WAyBack Machine)|ultimo=|primeiro=}}</ref> [[Sakineh Ashtiani|Sakineh Mohammadi Ashtiani]] uma mulher iraniana, foi acusada em 2005 de adultério e tentativa de assassinato e condenada à morte por apedrejamentolapidação. Sua sentença foi comutada e ela foi libertada em 2014 após nove anos no corredor da morte.<ref>{{citar web|url=https://missionfreeiran.org/2014/03/18/sakineh-ashtiani-once-sentenced-to-stoning-execution-to-be-released/|titulo=Sakineh Ashtiani, Once Sentenced to Stoning Execution, to Be Released|data=18 de Março de 2014|publicado=Mission Free Iran}}</ref> [[Soraya Manutchehri]] foi apedrejadalapidada em 1982, em Kuhpayeh, sob acusação de adultério. <ref>{{citar web|url=https://www.findagrave.com/memorial/77462050/soraya-manutchehri|titulo=Soraya Manutchehri|data=|acessodata=27 de Abril de 2018|publicado=Find A Grave|ultimo=|primeiro=}}</ref><ref>{{citar web|url=https://www.csmonitor.com/The-Culture/Movies/2009/0721/p17s03-almo.html|titulo=Review: 'The Stoning of Soraya M.|data=21 de Julho de 2009|acessodata=|publicado=The Christian Science Monitor|ultimo=Rainer|primeiro=Peter}}</ref>
 
Na [[Nigéria]], onde tal forma de execução é aceita, a recente condenação de [[Amina Lawal]] por [[adultério]] gerou comoção internacional, o que culminou na sua libertação<ref>[http://www.cnn.com/2003/WORLD/africa/09/19/nigeria.stoning/index.html Amina Lawal:''Anger over adultery stoning case''] (23 de fevereiro de 2004). Johannesburg: CNN.Com International.</ref>.
4 754

edições