Diferenças entre edições de "3-Metoxi-4-hidroxifenilglicol"

1 193 bytes adicionados ,  16h52min de 13 de junho de 2020
{{clear}}
O efeito da estimulação elétrica ou destruição eletrotérmica do ''[[Cerúleo|locus coeruleus]]'' nos níveis corticais (incluindo hipocampo) de sulfato de 3-metoxi-4-hidroxifenilglicol (MHPG-sulfato ou sulfato de MHPG) foi estudado em ratos. O ''locus coeruleus'' , o qual consiste de norepinefrina (NE) (corpos celulares dos nervos contendo NE) projeta ao córtex cerebral e o hipocampo. Foi observado que dez dias após a destruição unilateral do ''locus coeruleus'' a NE diminuiu 78% e o sulfato de MHPG, um metabólito central da NE, diminuiu 69% nessas áreas. Não foram observadas alterações nos níveis de noradrenalina ou sulfato de MHPG no lado contralateral. Estimulação do ''locus coeruleus'' induziu um aumento dependente da frequência no sulfato de MHPG. A frequência mais efetiva foi de 20 pulsos por segundo. Após 15 minutos de estimulação, o sulfato de MHPG alcançou um novo nível de estado estacionário de cerca de 80% no lado contralateral. Estas evidências indicam que os níveis de sulfato de MHPG dependem da integridade dos neurônios de NE e que o nível de taxa de formação de sulfato de MHPG no cérebro pode ser um reflexo da atividade fisiológica desses neurônios.<ref>Jakob Korf, George K.Aghajanian, Robert H.Roth. [https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/0014299973901313 Stimulation and destruction of the locus coeruleus]: Opposite effects on 3-methoxy-4-hydroxyphenylglycol sulfate levels in the rat cerebral cortex. European Journal of Pharmacology; Volume 21, Issue 3, March 1973, Pages 305-310</ref>
 
As concentrações de 3-metoxi-4-hidroxifenilglicol livre no plasma e no líquido cefalorraquidiano são altamente correlacionadas, mas as concentrações no líquido cefalorraquidiano são sempre mais altas que as do plasma, mesmo quando grandes quantidades do metabólito da catecolamina são derivadas de um tumor da supra-renal. medula. Isso é explicado considerando-se o plasma e o líquido cefalorraquidiano como um sistema de dois compartimentos, no qual as taxas constantes de entrada e saída do compartimento do líquido cefalorraquidiano são semelhantes. 3-Metoxi-4-hidroxifenilglicol que é sintetizado, mas não catabolizado, no sistema nervoso central mantém os níveis do líquido cefalorraquidiano em um incremento em relação aos do plasma. Este incremento pode ser usado para fornecer o melhor índice de formação disponível de 3-metoxi-4-hidroxifenilglicol no sistema nervoso central.<ref>IJ Kopin, EK Gordon, DC Jimerson, RJ Polinsky. [https://science.sciencemag.org/content/219/4580/73 Relation between plasma and cerebrospinal fluid levels of 3-methoxy-4-hydroxyphenylglycol]. European Journal of Pharmacology, Volume 21, Issue 3, March 1973, Pages 305-310</ref>
 
{{referências}}