Diferenças entre edições de "Mandonismo"

14 bytes adicionados ,  19h19min de 22 de junho de 2020
sem resumo de edição
m (VT vem antes das refs)
'''O Mandonismo''' é um [[brasileirismo]], usado em ciência política, filosofia e [[sociologia]], para definir uma das características do exercício do poder por estruturas [[oligarquia|oligárquicas]] e [[personalismo|personalizadas]], ao longo da [[História do Brasil]] e que equivale, na literatura [[Hispânicos#Identidade étnica|hispânica]], ao chamado [[es:caciquismo|caciquismo]].<ref name=dados>{{citar web|url=http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0011-52581997000200003&script=sci_arttext |titulo=Mandonismo, Coronelismo, Clientelismo: Uma Discussão Conceitual |autor=José Murilo de Carvalho |data=[[1997]] |publicado=[[Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro|IUPERJ]] '''/''' Dados vol. 40 no. 2 Rio de Janeiro '''+''' [[Scientific Electronic Library Online|SciELO]] Brasil |acessodata=27 de setembro de 2018 |doi=10.1590/S0011-52581997000200003 |issn=1678-4588 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20110514123025/http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0011-52581997000200003&script=sci_arttext |arquivodata=14 de maio de 2011}}</ref>
 
O ''mandão'' - que é um potentado, chefe, ou [[coronelismo|coronel]] - é o indivíduo que, de posse do controle de recurso estratégico, como a propriedade da terra, adquire tal domínio sobre a população do território sob seu domínio que a impede de exercer livremente a política e o comércio.<ref name=dados/>
39 567

edições