Diferenças entre edições de "Rinkeby"

1 058 bytes adicionados ,  23 junho
→‎Distúrbios: 1.0 paragrafo
(disturbios novo cap.)
(→‎Distúrbios: 1.0 paragrafo)
[[Imagem:Rinkeby, flygfoto 2014-09-20.jpg|miniatura|300px350px|direita|Rinkeby, em 2014]]
[[Imagem:Rinkeby torg retouched.jpg|250px|miniatura|direita|A Praça Rinkebytorget]]
'''Rinkeby''' é um bairro do distrito municipal de [[Rinkeby-Kista]] em [[Estocolmo]], Suécia. É limitado por [[Kista]], [[Tensta]], Bromsten e [[Sundbyberg]]. Em 2016 tinha cerca de 19 349 habitantes, dos quais 90% são de origem imigrante. Rinkeby é conhecido pelo seu dialeto local - [[Sueco de Rinkeby]] (Rinkebysvenska) - uma variante da língua sueca, que mistura expressões vindas de outras línguas, como o turco, árabe, espanhol, somali e outras. A linguista Ulla-Britta Kotsinas da [[Universidade de Estocolmo]] fez um estudo exaustivo deste dialeto.
 
== Distúrbios ==
De acordo com a Universidade de Defesa sueca, desde a década de 1970, vários residentes de Rinkeby e de outras zonas locais têm estado implicados na prestação de apoio logístico e financeiro a vários grupos militantes transnacionais sediados no estrangeiro ou na adesão a esses grupos. Entre estas organizações encontram-se o [[Hezbollah]], o [[Hamas]], o [[Partido dos Trabalhadores do Curdistão|PKK]], o [[Grupo Islâmico Armado|GIA]], a [[Organização Abu Nidal]] (ANO), o [[Exército Vermelho Japonês]], a [[Fração do Exército Vermelho]], a [[Al-Qaeda]], o [[Estado Islâmico do Iraque e do Levante|Estado Islâmico]], o [[Al-Shabaab]], o [[Ansar al-Sunna (Moçambique)|Ansar al-Sunna]] e o [[Ansar al-Islam]].<ref>{{citar web|url=https://socialutveckling.goteborg.se/uploads/Swedish-Foreign-Fighters-webb.pdf|titulo=Swedish Foreign Fighters in Syria and Iraq ː An Analysis of open-source intelligence and statistical data|data=2017|publicado=Swedish Defence University|ultimo=Gustafsson|primeiro=Linus (e outros)|paginas=23-24}}</ref>
 
Em 2010, houve distúrbios durante dois dias em Rinkeby, com cerca de uma centena de jovens a atirar pedras, atear fogos e atacar a esquadra de polícia local. Uma escola ardeu e os jovens atacaram os bombeiros que pretendiam apagar o incêndio.<ref>{{Citar periódico|data=2010-06-09|titulo=Immigrant youths riot in Sweden|url=https://www.bbc.com/news/10276738|jornal=BBC News|lingua=en-GB}}</ref>{{referências}}
 
2 800

edições