Diferenças entre edições de "Queijo"

100 bytes adicionados ,  08h24min de 7 de julho de 2020
sem resumo de edição
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 84.91.181.180, com Reversão e avisos)
Etiqueta: Revertida
 
=== Era Moderna ===
[[Imagem:Brie on display at supermarket.jpg|left|thumb|280px|Queijos em um [[supermercado]].]]
 
Até a sua propagação moderna juntamente com a cultura europeia, o queijo era quase desconhecido das culturas orientais, inexistente nas [[Américas]] [[Pré-colombiano|pré-colombianas]] e de uso apenas limitado na [[África]] sub[[Mediterrâneo|mediterrânea]], sendo generalizado e popular apenas na [[Europa]] e nas áreas fortemente influenciadas por suas culturas. Mas, com a disseminação, inicialmente através do imperialismo europeu, e mais tarde da cultura e alimentação euro-americanas, o queijo tem aos poucos tornado-se conhecido e cada vez mais popular em todo o mundo, embora ainda raramente sendo considerado parte das cozinhas étnicas locais fora da Europa, do Oriente Médio e das Américas.
 
[[Imagem:Brie on display at supermarket.jpg|left|thumb|280px|Queijos em um [[supermercado]].]]
A primeira fábrica para a produção industrial de queijo começou a funcionar na [[Suíça]] em 1815, mas foi nos [[Estados Unidos da América]] onde a produção em larga escala teve pela primeira vez real sucesso. O crédito normalmente vai para Jesse Williams, um produtor de [[lacticínios]] de [[Roma (Nova Iorque)|Roma]], [[Nova Iorque (estado)|Nova Iorque]], que em 1851 começou a produzir queijo em forma de [[linha de produção]] usando o leite de fazendas vizinhas. Em poucas décadas existiam centenas dessas associações de produtos lácteos.
 
 
O queijo industrializado ultrapassou a produção artesanal de queijo no período da [[Segunda Guerra Mundial]] e desde então, as fábricas têm sido as maiores fontes da maioria dos queijos na América e Europa. Atualmente, os estado-unidenses compram mais [[queijo processado]] que "real", industrializados ou não.<ref>{{citar livro|autor =McGee, Harold |título=On Food and Cooking (Revised Edition) |publicado=Scribner |ano=2004 |isbn= 0-684-80001-2}} p 54. "Nos Estados Unidos da América, o mercado para o queijo processado […] é atualmente maior que o mercado para o queijo 'natural', que por sua vez é quase que exclusivamente industrializado".</ref>
 
=== Brasil ===
A primeira citação sobre a produção de queijo em terras brasileiras ocorreu no ano de 1581, na [[Capitania de Pernambuco]].<ref>{{Citar web|url=file:///C:/Users/Abdias/Downloads/Flip.pdf|título=Tribuna Parlamentar|publicado=Alepe|acessodata=7-7-2020}}</ref>
 
''Queijo de minas'' (ou "Queijo minas" como é popularmente chamado), diz respeito a todo e qualquer queijo produzido em [[Minas Gerais]], independente de local ou processo de cura. Por outro lado, em alguns estados do Brasil o nome se tornou sinônimo do queijo frescal, ou queijo branco, como é conhecido em alguns lugares do país. Nesse caso, o queijo minas corresponde ao queijo fresco, com pouco tempo de cura e ainda no processo de dessoração (perda de líquido). O uso do nome queijo minas para certos tipos de queijo se deu pelo fato histórico de que Minas Gerais sempre foi o mais tradicional produtor de laticínios do país.<ref>{{Citar periódico|titulo=Tudo sobre Queijo|jornal=Portal Queijo no Brasil|url=http://www.queijosnobrasil.com.br/portal/tudo-sobre-queijo/67-queijo-canastra}}</ref> Já o [[Serro (queijo)|queijo Serro]] refere-se a um tipo de queijo desenvolvido muito comum na região da cidade de [[Serro (Minas Gerais)]].<ref>{{Citar web |url=http://www.revistaencontro.com.br/app/noticia/gastro/2015/02/12/noticia_gastro,152251/qual-a-diferenca-entre-o-queijo-canastra-e-o-do-serro.shtml |titulo=Cópia arquivada |acessodata=2017-04-10 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20170410213830/http://www.revistaencontro.com.br/app/noticia/gastro/2015/02/12/noticia_gastro,152251/qual-a-diferenca-entre-o-queijo-canastra-e-o-do-serro.shtml |arquivodata=2017-04-10 |urlmorta=yes }}</ref>
 
== Produção ==
 
Mesmo nas culturas com longa tradição em queijos, não é incomum encontrar pessoas que considerem queijos - especialmente os de odores fortes ou de variedades com [[bolor]]es, tais como o [[Limburger]] ou [[Roquefort (queijo)|Roquefort]] - como inapetitosos, desagradáveis, ou repugnantes. O escritor de ciência da alimentação [[Harold McGee]] sustenta que o queijo adquire tal sabor porque é produzido através de um processo de [[decomposição]] controlado e muitas moléculas do odor e aroma em um queijo amadurecido são as mesmas encontradas em alimentos estragados. Ele observa, "Uma aversão ao odor de deterioração tem o óbvio valor biológico de afastar-nos de possíveis alimentos tóxicos, por isso, não é surpresa que um alimento de origem animal que exale cheiro de sapatos e chão de estábulo provoque em algumas pessoas a mesma reação."<ref>McGee p 58, "Why Some People Can't Stand Cheese."</ref> Por fim, há queijos que são [[tradição|tradicionais]] mas em função de [[higiene|questões sanitárias]], foram postos na ilegalidade, tal como o [[casu marzu]], uma espécie de [[pecorino]] cujo amadurecimento se dá após a inserção ou a ovoposição de [[larva]]s da [[mosca-do-queijo]], que lhe dão um sabor característico, mas podem provocar [[doença]]s gastrointestinais e até mesmo tornarem o queijo tóxico se já mortas. Entretanto, estes últimos casos são muito restritos.
 
== Brasil ==
''Queijo de minas'' (ou "Queijo minas" como é popularmente chamado), diz respeito a todo e qualquer queijo produzido em [[Minas Gerais]], independente de local ou processo de cura. Por outro lado, em alguns estados do Brasil o nome se tornou sinônimo do queijo frescal, ou queijo branco, como é conhecido em alguns lugares do país. Nesse caso, o queijo minas corresponde ao queijo fresco, com pouco tempo de cura e ainda no processo de dessoração (perda de líquido). O uso do nome queijo minas para certos tipos de queijo se deu pelo fato histórico de que Minas Gerais sempre foi o mais tradicional produtor de laticínios do país.<ref>{{Citar periódico|titulo=Tudo sobre Queijo|jornal=Portal Queijo no Brasil|url=http://www.queijosnobrasil.com.br/portal/tudo-sobre-queijo/67-queijo-canastra}}</ref> Já o [[Serro (queijo)|queijo Serro]] refere-se a um tipo de queijo desenvolvido muito comum na região da cidade de [[Serro (Minas Gerais)]].<ref>{{Citar web |url=http://www.revistaencontro.com.br/app/noticia/gastro/2015/02/12/noticia_gastro,152251/qual-a-diferenca-entre-o-queijo-canastra-e-o-do-serro.shtml |titulo=Cópia arquivada |acessodata=2017-04-10 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20170410213830/http://www.revistaencontro.com.br/app/noticia/gastro/2015/02/12/noticia_gastro,152251/qual-a-diferenca-entre-o-queijo-canastra-e-o-do-serro.shtml |arquivodata=2017-04-10 |urlmorta=yes }}</ref>
 
{{Referências|Notas|col=3}}
19 937

edições