Internet: diferenças entre revisões

6 bytes adicionados ,  16h45min de 7 de julho de 2020
m
sem resumo de edição
(acréscimo de aposto.)
m
{{Corrigir}}
{{Internet}}
<ref name=":1" /><ref name=":1" />A '''Internet''' é um sistema global de [[redes de computadores]] interligadas que utilizam um conjunto próprio de [[Protocolo (ciência da computação)|protocolo]]s (''[[Internet Protocol Suite]]'' ou [[TCP/IP]]) com o propósito de servir progressivamente usuários no mundo inteiro. É uma rede de várias outras redes, que <ref name=":2" /> consiste de milhões de empresas privadas, públicas, acadêmicas e de governo, com alcance local e global e que está ligada por uma ampla variedade de tecnologias de rede eletrônica, sem fio e ópticas. A internet traz <ref name=":3" />uma extensa gama de recursos de informação e serviços, tais como os documentos inter-relacionados de [[hipertexto]]s da [[World Wide Web]] (WWW), redes ponto-a-ponto (''[[peer-to-peer]]'') e infraestrutura de apoio a correio eletrônico ([[e-mail]]s). As origens da internet remontam a uma pesquisa encomendada pelo governo dos [[Estados Unidos]] na década de 1960 para construir uma <ref name=":4" /> forma de comunicação robusta e sem falhas através de redes de computadores. Embora este trabalho, juntamente com <ref name=":5" />projetos no [[Reino Unido]] e na [[França]], tenha levado a criação de redes precursoras importantes, ele não criou a internet. Não há consenso sobre a data exata em que a internet moderna surgiu, mas foi em algum momento em meados da década de 1980.
 
O financiamento de uma nova estrutura principal de informática (dita ''[[National Science Foundation Network|backbone]]'') para os Estados Unidos pela [[Fundação Nacional da Ciência]] nos anos 1980, bem como o financiamento privado para outros similares ''[[backbone]]s'' comerciais, levou a participação mundial no desenvolvimento de novas tecnologias de rede e da fusão de muitas redes distintas. Embora a internet seja amplamente utilizada pela academia desde os anos 1980, a [[comercialização]] da tecnologia na década de 1990 resultou na sua divulgação e incorporação da rede internacional em praticamente todos os aspectos da vida [[Homo sapiens|humana]] moderna. Em junho de 2012, mais de 2,4 bilhões de pessoas — mais de um terço da população mundial — usaram os serviços da internet; cerca de 100 vezes mais do que em 1995.<ref name=":1">{{Citar web |url=http://www.treese.org/intindex/95-11.htm |título=The Open Market Internet Index |publicado=Treese.org |data=1995-11-11 |acessodata=2013-06-15 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20130601045949/http://www.treese.org/intindex/95-11.htm |arquivodata=2013-06-01 |urlmorta=yes }}</ref><ref name="stats">{{Citar web|url=http://www.internetworldstats.com/stats.htm|título=World Stats|data=30 de junho de 2012|obra=Internet World Stats|publicado=Miniwatts Marketing Group}}</ref> O uso da internet cresceu rapidamente no [[Ocidente]] entre da década de 1990 a início dos anos 2000 e desde a década de 1990 no [[mundo em desenvolvimento]]. Em 1994, apenas 3% das salas de aula estadunidenses tinham internet, enquanto em 2002 esse índice saltou para 92%.<ref>[http://nces.ed.gov/pubs2007/2007020.pdf ''Internet Access in U.S. Public Schools and Classrooms: 1994–2005 Highlights''], National Center for Educational Statistics, U.S. Department of Education (NCES 2007-020), November 2006. Retrieved 22 January 2014.</ref>
 
A maioria das comunicações tradicionais dos meios de comunicação (ou [[mídia]]), como [[telefone]], [[música]], [[cinema]] e [[televisão]] estão a ser remodeladas ou redefinidas pela internet, dando origem a novos serviços, como o protocolo de internet de voz ([[VoIP]]) e o protocolo de internet de televisão ([[IPTV]]). Jornais, livros e outras publicações impressas estão-se adaptando à tecnologia ''[[Aplicação web|web]]'' ou têm sido reformulados para ''[[blog]]s'' e ''[[feeds]]''. A internet permitiu e acelerou a criação de novas formas de interações humanas através de [[mensagens instantâneas]], [[Fórum de discussão|fóruns de discussão]] e [[redes sociais]]. O [[comércio on-line]] tem crescido tanto para grandes lojas de <ref name=":6" /> varejo quanto para pequenos artesãos e comerciantes. ''[[Business-to-business]]'' e [[serviços financeiros]] na internet afetam as cadeias de abastecimento por meio de indústrias inteiras. A essa agregação de funcionalidades por meio dum núcleo comum (Internet, no caso), tem-se usado chamar convergência tecnológica ou, simplesmente, <ref name=":7" /> quando não for ambíguo, [[convergência]].
 
A internet não tem governança centralizada em qualquer aplicação tecnológica ou políticas de acesso e uso; cada rede constituinte define suas próprias políticas. Apenas as definições de excesso dos dois principais [[Espaço de nomes|espaços de nomes]] na internet — o espaço de endereçamento [[Endereço IP|Protocolo de Internet]] e [[Domain Name System]] — são dirigidos por uma organização mantenedora, a [[Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números]] (ICANN). A sustentação técnica e a padronização dos protocolos de núcleo ([[IPv4]] e [[IPv6]]) é uma atividade do [[Internet Engineering Task Force]] (IETF), uma [[organização sem fins lucrativos]] de participantes internacionais vagamente filiados, sendo que qualquer pessoa pode se associar contribuindo com a perícia técnica.
No Brasil existe o [[Comitê Gestor da Internet no Brasil|Comitê Gestor da Internet]] e um órgão para o registro de domínios ([[FAPESP]] - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).<ref>{{citar web|url=http://www.cgi.br/publicacoes/artigos/artigo32.htm|titulo=Nomes de domínio na internet|publicado=[[Comitê Gestor da Internet no Brasil]]|data=|acessodata=30 de junho de 2012|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120629073616/http://cgi.br/publicacoes/artigos/artigo32.htm|arquivodata=2012-06-29|urlmorta=yes}}</ref> Atualmente há cerca de 3,8 milhões de domínios registrados.<ref>{{citar web|url=http://www.telesintese.com.br/brasil-possui-38-milhoes-de-dominios-registrados/|titulo=Brasil possui 3,8 milhões de domínios registrados|data=3 de junho de 2016|acessodata=3 de março de 2018}}</ref>
 
Depois da fase militar, a Internet teve seu desenvolvimento administrado pela NSF ([[National Science Foundation]]) na década de 1970. Depois a NSF transferiu esta responsabilidade para a iniciativa privada. Em 1992 surgiu a [[Internet Society]] para tentar arrumar a desordem reinante, então. No final de 1997, o Comitê Gestor liberou novos domínios de primeiro nível, ou seja:<ref>{{citar web|url=http://www.cgi.br/acoes/1997/reunioes97.htm|titulo=Reuniões Realizadas em 1997|publicado=[[Comitê Gestor da Internet no Brasil]]|data=|acessodata=30 de junho de 2012}}</ref>: .art - artes, música, pintura, folclore. etc.; .esp - esportes em geral; .ind - provedores de informações; .psi - provedores de serviços Internet; .rec - atividades de entretenimento, diversão, jogos, etc; .etc - atividades não enquadráveis nas demais categorias; .tmp - eventos de duração limitada ou temporária. Antes desses o Brasil tinha apenas dois domínios: .com - uso geral; .org - para instituições não governamentais; .gov - para instituições governamentais.
 
Em 23 de abril de 2014 foi sancionada a Lei Federal 12.965, que estabeleceu os princípios, garantias, direitos e deveres para a utilização da internet no Brasil.<ref name= "Lei 12.965">{{citar web|URL=http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12965.htm|título= Lei n.º 12.965, de 23 de abril de 2014|publicado= Casa Civil da Presidência da República do Brasil|acessodata= 7 de agosto de 2015}}</ref>
 
Semelhantemente aos provedores comerciais de Internet, que se conectam através de [[ponto neutro (Internet)|pontos neutros]], as redes de pesquisa tendem a se interconectar com subredes maiores, como as listados abaixo:
* [[GEANT]];
* [[GLORIAD]];
* A rede [[Internet2]] (conhecido anteriormente como [[Rede Abilene]]);
* [[JANET]] (A [[Rede Nacional Britânica de Pesquisa e Educação|Rede Nacional de Pesquisa e Educação]] do [[Reino Unido]]).
 
Essas, então, são construídas em torno de redes relativamente menores. [[Diagrama de redes de computador|Diagramas de redes de computador]] representam frequentemente a Internet usando um símbolo de nuvem, pelo qual as comunicações de rede passam.<ref>{{citar web|url=http://www.thestandard.com/article/0,1902,5466,00.html|título=InfoWorld - Technology insight for the enterprise|website=InfoWorld}}</ref>
Para poder navegar na Internet é necessário dispor de um navegador ([[browser]]). Existem diversos programas deste tipo, sendo os mais conhecidos na atualidade, o [[Microsoft Internet Explorer]], [[Mozilla Firefox]], [[Google Chrome]], entre outros. Os navegadores permitem, portanto, que os utilizadores da rede acedam às páginas WEB e que enviem ou recebam mensagens do correio eletrônico de qualquer parte do mundo. Existem também, na rede, dispositivos especiais de localização de informações, indispensáveis atualmente, devido à magnitude que a rede alcançou. Os mais conhecidos são o [[Google]], [[Yahoo!]] e [[Ask.com]].
 
Há também outros serviços disponíveis na rede, como transferência de arquivos entre usuários ([[download]]), teleconferência múltipla em tempo real ([[videoconferência]]), etc..
 
== Uso mundial ==
Um [[arquivo de computador]] pode ser compartilhado por diversas pessoas através da Internet. Pode ser carregado num [[servidor Web]] ou disponibilizado num servidor [[FTP]], caracterizando um único local de fonte para o conteúdo.
 
Também pode ser compartilhado numa rede [[P2P]]. Nesse caso, o acesso é controlado por autenticação, e uma vez disponibilizado, o arquivo é distribuído por várias máquinas, constituindo várias fontes para um mesmo arquivo. Mesmo que o autor original do arquivo já não o disponibilize, outras pessoas da rede que já obtiveram o arquivo podem disponibilizá-lo. A partir do momento que a midiamídia é publicada, perde-se o controle sobre ela. Os compartilhadores de arquivo através de redes descentralizadas como o P2P são constantemente alvo de críticas devido a sua utilização como meio de [[Pirataria na Internet|pirataria digital]]: com o famoso caso [[Napster]]. Tais redes evoluiramevoluíram com o tempo para uma maior descentralização, o que acaba por significar uma maior obscuridade em relação ao conteúdo que está trafegando.
 
Estas simples características da Internet, sobre uma base mundial, estão mudando a produção, venda e a distribuição de qualquer coisa que pode ser reduzida a um arquivo de computador para a sua transmissão. Isto inclui todas as formas de publicações impressas, produtos de software, notícias, música, vídeos, fotografias, gráficos e outras artes digitais. Tal processo, vem causando mudanças dramáticas nas estratégias de mercado e distribuição de todas as empresas que controlavam a produção e a distribuição desses produtos.
Exemplos de mercado personalizado incluem comunidades on-line, tais como o [[MySpace]], o [[Friendster]], o [[Orkut]], o [[Facebook]], o [[Twitter]], entre outros, onde milhares de internautas juntam-se para fazerem publicidade de si mesmos e fazer amigos on-line. Muitos destes usuários são adolescentes ou jovens, entre 13 a 25 anos. Então, quando fazem publicidade de si mesmos, fazem publicidade de seus interesses e ''[[hobby|hobbies]]'', e empresas podem usar tantas informações quanto para qual aqueles usuários irão oferecer ''online'', e assim oferecer seus próprios produtos para aquele determinado tipo de usuário.
 
A publicidade na Internet é um fenômeno bastante recente, que transformou em pouco tempo todo o mercado publicitário mundial. Hoje, estima-se que a sua participação em todo o mercado publicitário é de 10%, com grande pontencialpotencial de crescimento nos próximos anos. Todo esse fenômeno ocorreu em curtíssimo espaço de tempo: basta lembrar que foi apenas em 1994 que ocorreu a primeira ação publicitária na Internet. O primeiro anúncio foi em forma de banner, criado pela empresa Hotwired para a divulgação da empresa norte-americana AT&T, que entrou no ar em 25 de outubro de 1994.<ref>{{citar web|url=http://www.propagandasantigas.com/2008/11/o-primeiro-banner-da-histria.html|título=propagandasantigas.com -  Resources and Information.|website=www.propagandasantigas.com}}</ref>
 
== Ética ==