Língua gótica: diferenças entre revisões

14 bytes adicionados ,  11 de julho de 2020
Pequenas alterações e adições
m (Página marcada como sem fontes)
(Pequenas alterações e adições)
 
{{InterWiki|cod=got}}
A '''língua gótica''' ou '''goda''' (''*gutiska razda'') era uma [[Línguas germânicas orientais|língua germânica oriental]] extinta, fazendo como tal parte da família das [[línguas indo-europeias]], e constituindo de maneira atestada a mais antiga das línguas germânicas, apesar de não ter tido nenhum descendente moderno. Os mais antigos documentos em língua gótica datam do {{Séc|IV}}.
 
O uso da língua sofreu um declínio pela metade do {{séc|VI}}, devido em parte à derrota militar dos Godos[[godos]] para os [[Francosfrancos]], à eliminação dos [[Godos]]godos da [[Itália]], à conversão em grande escala ao Catolicismocatolicismo romano (que utilizava primariamente o [[latim]]) e ao isolamento geográfico.
 
A língua sobreviveu na [[Península Ibérica]] até o {{séc|VIII}}, tendo o autor franco [[Valafrido Estrabão]] relatado que ainda era falada na área do baixo [[Danúbio]] e em regiões montanhosas isoladas da [[Crimeia]] no início do {{séc|IX}}. Os termos parecendo pertencer ao gótico encontrados em [[manuscrito]]s posteriores ({{séc|XVI}}) na Crimeia não parecem pertencer à mesma língua. A existência atestada deste ''corpus'' arcaico torna a língua gótica um objeto de interesse em [[Linguística comparativa|Linguística comparada]].
221

edições