Diferenças entre edições de "Elementos genéticos móveis"

175 bytes adicionados ,  23h05min de 15 de julho de 2020
m
sem resumo de edição
m
* [[Transposição]]: é a inserção de material genético na forma de transposons.
 
Apesar de que os elementos genéticos móveis poderem se mover entre as células e se replicar dentro delas, juntamente com os [[vírus]], não são classificados como [[vida]] porque não são células e, sem a célula, não podem desempenhar as funções que definem a vida. Exemplos de elementos genéticos móveis são os [[plasmídeo]]s e [[Transposão|transposons]]. Os [[vírus]] também podem ser considerados elementos genéticos móveis, pois, durante seu ciclo infeccioso, eles injetam [[gen]]es nas células que invadem.<ref>{{cite journal |last=Rankin |first=D. J. |last2=Rocha |first2=E. P. C. |last3=Brown |first3=S. P. |date=January 2011|title=What traits are carried on mobile genetic elements, and why? |journal=Heredity |volume=106 |issue=1 |pages=1–10 |doi=10.1038/hdy.2010.24|pmid=20332804 |pmc=3183850}}</ref> Também são partículas compostas de DNA ou RNA e proteínas que se [[Replicação do DNA|replicam]] no interior das células e passam parte de seu ciclo dentro delas. Evolutivamente os vírus se originaram de transposons, plasmídeos ou íntrons escapados de outros organismos que adquiriram a capacidade de se replicar em outros.<ref>CANN, A. J.. Principles of Molecular Virology. 4. ed. Massachusetts: Elsevier Academic Press, 2005. 352 p. ISBN 0-12-088787-8</ref>
 
== Lista de elementos genéticos móveis ==
[[Ficheiro:Hepatitis-d-virion-Pathogens-04-00046-g001-1024.png|thumb|250px|Vírus da [[Hepatite D]].]]
[[Ficheiro:MBio.02329-18.F10.large.jpg|thumb|250px|Evolução de [[vírus RNA]] a partir da [[transcriptase reversa]] de um íntron bacteriano. Os vírus de RNA podem ser considerados o único tipo de vírus que evoluiu em uma única ocasião a partir de uma fuga genética primitiva, em oposição aos [[vírus DNA]] que surgiram várias vezes.]]
* '''[[Vírus|Agentes virais]]''': São agentes compostos de [[material genético]] que se replicam dentro das células hospedeiras e, em muitos casos, causam [[Mutação|mutações]] e [[doença]]s no [[organismo]]. Durante seu ciclo intracelular injetam genes estranhos nas celulas que invadem. De acordo com estudos baseados em [[proteína]]s, os agentes virais se originaram de transposons, plasmídeos ou íntrons escapados de outros organismos que adquiriram a capacidade de se replicar em outros.<ref>{{cite journal | authors = Krupovic M, Koonin EV | title = Multiple origins of viral capsid proteins from cellular ancestors | journal = Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America | volume = 114 | issue = 12 | pages = E2401–E2410 | date = March 2017 | pmid = 28265094 | pmc = 5373398 | doi = 10.1073/pnas.1621061114 }}</ref><ref>{{cite journal|last1=Pritham|first1=Ellen J.|last2=Putliwala|first2=Tasneem|last3=Feschotte|first3=Cédric|title=Mavericks, a novel class of giant transposable elements widespread in eukaryotes and related to DNA viruses|journal=Gene|date=April 2007|volume=390|issue=1–2|pages=3–17|doi=10.1016/j.gene.2006.08.008|pmid=17034960}}</ref><ref>{{cite journal|last1=Krupovic|first1=Mart|last2=Bamford|first2=Dennis H|last3=Koonin|first3=Eugene V|title=Conservation of major and minor jelly-roll capsid proteins in Polinton (Maverick) transposons suggests that they are bona fide viruses|journal=Biology Direct|date=2014|volume=9|issue=1|pages=6|doi=10.1186/1745-6150-9-6|pmid=24773695|pmc=4028283}}</ref>
** '''[[Vírus]]''': São partículas compostas de um único tipo de material genético, DNA ou RNA, e uma camada de proteína que protege o material genético. Eles infectam todos os tipos de organismos.<ref>MAHY, B. W. J.. Dictionary of Virology. 3. ed. London: Academic Press, 2001. 432 p. ISBN 0-12-465327-8</ref>
** '''[[Vírus endógeno]]''': São vírus que estão presentes no genoma de um organismo e se comportam como transposons de maneira benéfica. Um exemplo é o [[retrovírus endógeno]] que está relacionado à formação da [[placenta]] nos [[Placentalia|placentários]]. Segundo alguns estudos, os vírus endógenos compreendem 7% do [[genoma humano]].<ref>{{cite journal |last=Antony |first=Joseph M |last2=Marle |first2=Guido van |last3=Opii |first3=Wycliffe |last4=Butterfield |first4=D Allan |last5=Mallet |first5=François |last6=Yong |first6=Voon Wee |last7=Wallace |first7=John L |last8=Deacon |first8=Robert M |last9=Warren |first9=Kenneth |date=October 2004|title=Human endogenous retrovirus glycoprotein–mediated induction of redox reactants causes oligodendrocyte death and demyelination |journal=Nature Neuroscience |volume=7 |issue=10 |pages=1088–1095 |doi=10.1038/nn1319|pmid=15452578}}</ref><ref>{{cite book |title=Endogenous Retroelements and the Host Innate Immune Sensors |volume=132 |last=Mu |first=X. |last2=Ahmad |first2=S. |last3=Hur |first3=S. |pages=47–69 |doi=10.1016/bs.ai.2016.07.001|pmid=27769507 |pmc=5135014 |series=Advances in Immunology |year=2016 |isbn=9780128047972}}</ref>
771

edições