Diferenças entre edições de "Montilla"

3 180 bytes adicionados ,  22 julho
Compõe-se de um corredor comprido, com teto e abóbodas de volta perfeita, com um pequeno coro na parte superior. Ao fundo, o altar-mor da capela é composto por uma cortina de veludo negro, com dossel da mesma cor e galões dourados. Ao centro, a imagem do Senhor da Descida com a Virgem da Encarnação a seus pés.
=== Capela do Beato Miguel Molina ===
Capela localizada dentro das dependências do colégio salesiano São Francisco Solano. Foi inaugurada em 1976 com a finalidade de substituir o santuário de Maria Auxiliadora, que havia sido desmantelado nas polêmicas reformas levadas a cabo no colégio nos anos 1970. Depois da recuperação do santuário em 1983, esta capela continuou aberta ao culto, embora, em uma reforma posterior, veria reduzidas suas dimensões, perdendo uma das alas que a conformavam originalmente. Em 2007, devido a sua [[beatificação]], foi dedicada ao [[mártir]] [[presbítero]] salesiano e montillano Miguel Molina de la Torre<ref>{{citar web|URL=http://www.beatosalvadorfernandez.es/martires/200|título=Miguel Molina de la Torre, salesiano presbítero|autor=|data=|publicado=|acessodata=21 de julho de 2020}}</ref> (Montilla, Córdova, 17 de maio de 1887 - [[Ronda (Espanha)|Ronda]], Málaga, 28 de julho de 1936), executado no começo da Guerra Civil Espanhola por milicianos.
== Museus ==
=== Museu Histórico Local ===
No Museu Histórico de Montilla, o visitante pode conhecer a história da cidade, desde a pré-história até os dias de hoje, passeando pelas culturas ibera, romana, visigoda, muçulmana e cristã. O museu possui titularidade municipal, sendo administrado conjuntamente pela Associação Arqueológica Agrópolis. Se incorporou ao registro de museus da Andaluzia em 1997.
=== Museu Garnelo ===
O museu ocupa oito salas da Casa das Águas, o vestíbulo, a escada principal e as quatro galerias de cristal adjacentes ao pátio. As 180 obras que compõe a coleção cobrem todas as fases do pintor José Garnelo y Alda.<ref>{{citar web|URL=https://www.museogarnelo.org/|título=Museo Garnelo|autor=|data=|publicado=|acessodata=21 de julho de 2020}}</ref> Também é composto pela fundação biblioteca Manuel Ruiz Luque, com 30 000 volumes, que é a maior coleção de história local da Espanha.<ref>{{citar web|URL=https://web.archive.org/web/20070515101446/http://www.montilla.es/bibliotecamanuelruizluque/index.htm|título=Fundación Biblioteca Manuel Ruiz Luque|autor=|data=|publicado=|acessodata=21 de julho de 2020}}</ref>
=== Casa Museu de Inca Garcilaso ===
A primeira referência a este imóvel aparece em 1557, quando Alonso de Vargas a adquire como residência. Em 1950, o historiador peruano Raúl Porras Barrenechea, com a colaboração do escritor montillano José Cobos, identificou esta casa como a casa em que, durante trinta anos, viveu Inca Garcilaso, sendo posteriormente adquirida pelo conde da Cortina, que a doou à cidade. No térreo, se encontra o escritório onde Garcilaso escreveu grande parte de sua obra. Na mesa, flanqueada pelas bandeiras do Peru e dos povos indígenas, se expõe cofres com material constitutivo da casa em Cusco onde nasceu Garcilaso, doado pelo governo peruano. Também se encontram, na sala, dois cetros de mando peruanos e uma edição original portuguesa de 1609 de "Comentários reais dos incas". Junto ao escritório de Garcilaso, se acha uma das salas de maior tamanho: a biblioteca, presidida por um quadro de Cervantes e um busto de são João de Ávila. Abriga mil obras relacionadas à [[Ibero-América]].
 
== Demografia ==