Diferenças entre edições de "Romário"

Sem alteração do tamanho ,  16h06min de 24 de julho de 2020
sem resumo de edição
A passagem pelo Adelaide não é boa, com apenas um gol marcado. Em janeiro de 2007, volta ao Vasco da Gama, acertando sua quarta passagem pelo time.
 
==== QuataQuarta passagem pelo Vasco ====
Romário defende a equipe no Carioca, onde alcança o gol 998 antes de um clássico contra o Flamengo. No jogo contra o Fla, o Vasco vinha vencendo por 2 a 0 e Romário marca o 999.º gol da carreira a dez minutos do fim. Aos 42 minutos do segundo tempo, ele tem a chance de fazer o milésimo, mas o goleiro [[Bruno Fernandes das Dores de Souza|Bruno]] impede com a ponta do pé direito.<ref name = "placar1306">"Mil vezes não", ''Placar'' número 1306, maio de 2007, Editora Abril, pág. 13</ref> Romário tem duas chances em outros dois clássicos, ambos contra o Botafogo, mas passa em branco nos dois. Em um deles, o time é eliminado nos pênaltis da decisão, sem que ele cobrasse.
 
Em 4 de maio de 2007, cria-se nova expectativa, em jogo contra o {{Futebol Gama}}, pela [[Copa do Brasil de Futebol|Copa do Brasil]]. Prevista para [[Estádio São Januário|São Januário]], a partida é "deslocada" para o Maracanã a pedido do atacante, desejoso em fazer seu milésimo gol oficial no estádio. Todavia, ele não marca e o Vasco é eliminado naquele dia pela equipe [[Distrito Federal (Brasil)|brasiliense]].<ref>{{citar web|url=https://impedimento.wordpress.com/2009/02/19/top-10-humilhacoes-do-vasco/|título=Top 10 Humilhações do Vasco|data=19 de fevereiro de 2009|publicado=}}</ref> A marca histórica finalmente vem no dia 20 de maio, em São Januário mesmo, já pelo [[Campeonato Brasileiro de 2007|Brasileirão de 2007]]. Ele, assim como Pelé, atinge o milésimo cobrando pênalti. O adversário é o {{Futebol Sport}}.
1 050

edições