Diferenças entre edições de "Kusaila"

16 bytes adicionados ,  11h08min de 3 de agosto de 2020
sem resumo de edição
 
{{Info/Biografia/Wikidata}}
 
'''Kusaila ibn Lamzam''', '''Kusayla''', '''Kosaila''', '''Kasila''' ou '''Koceila''' ({{langx|ber|'''Aksil''' ou '''Aksel'''}},<ref name=mod /> {{langx|tfng|ⴰⴽⵙⴻⵍ}}; n.&nbsp;640? — m.&nbsp;686 ou 688) foi um líder [[cristão]] da [[tribo]] [[Berberes|berbere]] dos [[aurabas]] e da confederação tribal dos [[sanhajas]]. É conhecido por comandar uma resistência tenaz dos Berberes contra a [[Conquista muçulmana do Magrebe|expansão muçulmana]] no [[Norte de África]] na década de 680 e, depois de converter-se ao [[Islão]], pela sua oposição ao governador e general [[Árabes|árabe]] [[UcbaUqueba ibne Nafi]].
 
==Etimologia==
Segundo o [[historiador]] medieval [[Tunes|tunisino]] [[ibne Caldune]], Kusaila era natural de [[Tremecém]], no que é hoje o extremo noroeste da [[Argélia]]. Porém, este registo data do {{séc|XIV}}, quase 700 anos depois da sua morte, e outras fontes anteriores (as mais antigas datam do {{séc|IX}}) associam-no somente com a região de Auras ([[Aurès]], no que é atualmente o nordeste da Argélia). Kusaila cresceu em território tribal berbere durante o período do [[Exarcado de Cartago|exarcado bizantino de Cartago]].<ref name=mod />
 
Segundo fontes do séculos XI a XIV (as últimas de ibne Caldune), o [[Emir|amir]] [[Omíadas|omíada]] dos invasores árabes, um escravo liberto chamado [[Abu al-Muhajir Dinar]] (m.&nbsp;683), surpreendentemente convidou Kusaila para se reunir com ele no seu acampamento e convenceu-o a aceitar o Islão e juntar-se ao seu exército com a promessa de plena igualdade com os Árabes (678). Abul Muajir era um mestre na diplomacia e impressionou Kusaila não só pela sua piedade, mas também pelo seu elevado sentido de respeito e educação. Kusaila incorporou os aurabas e [[sanhajas]] no exército conquistador árabe e participou nas suas campanhas constantemente vitoriosas sob o comando de Abul Muajir. Este foi depois substituído à força por UcbaUqueba ibne Nafi, que ameaçou Kusaila com desdém. O desprezo de UcbaUqueba acabou por enraivecer Kusaila e levou a que este conspirasse para se vingar. Quando o exército regressou de [[Marrocos]], UcbaUqueba autorizou as suas tropas a tirarem férias e regressarem a casa. Os que ficaram, cerca de 300, estavam exaustos e vulneráveis. Na marcha de regresso de UcbaUqueba à sua base em [[Cairuão]], Kusaila juntou-se às tropas [[Império Bizantino|bizantinas]] e organizou uma emboscada. As forças berberes-cristãs, com cerca de {{formatnum:5000}}, derrotaram os Árabes e mataram UcbaUqueba na [[batalha de Vescera]], em Tahudha, perto de [[Biskra]] em 683. Kusaila ganhou assim o domínio indisputado do Norte de África e marchou triunfante para Cairuão.<ref name=con280 /> Este relato é questionado por alguns historiadores, que dão mais credibilidade às fontes do {{séc|IX}}, segundo as quais Abul Muajir não tinha ligações com Kusaila, como não tinha UcbaUqueba até ter caído na emboscada em Tahudha. Essas fontes mais antigas também descrevem Kusaila como um cristão e não um muçulmano convertido. No entanto, todas as fontes convergem que ele comandava uma força militar de Berberes e Bizantinos quando derrotou UcbaUqueba.<ref name=mod />{{Harvy|ben|Benabbès|2005}}
 
Em 688 chegaram reforços árabes comandados por {{ilc||Zuhair ibn Kays|Kays ibn Zuhair}}. Kusaila enfrentou-se com ele em 688, na [[batalha de Mamma]]. As forças árabes, em grande superioridade numérica, derrotaram os aurabas e Kusaila foi morto. Segundo outras fontes teria morrido em 686. Contudo, tal não cessou a resistência berbere sob a liderança de Dihya, uma mulher alcunhada [[Kahina]].{{Carece de fontes|hist-af|bioh|data=outubro de 2013}}