Diferenças entre edições de "Vidia Ioga"

79 bytes removidos ,  13h40min de 5 de agosto de 2020
sem resumo de edição
[[Ficheiroimagem:Tridente-vidya.svg|thumb|direita|200px|Tridente usado como um dos símbolos do Vidia Ioga. O trixula é a arma de Xiva, o destruidor, e representa os três caminhos: negro (esquerda), branco (direita) e cinza (caminho do meio), sobreposto às três faixas horizontais, que são a marca do próprio tridente, representando Xiva (masculino) e o ponto representando Xaqueti (feminino), indicando uma linha tântrica]]
 
* {{Citar livro|sobrenome=Pereira|nome=A. B. de Bragança|ano=1991|
 
'''Vidia Ioga'''{{sfn|Pereira|1991|p=79}} (''Vidya Yoga'') é a atual designação para um antigo ramo do [[Ioga]] denominado '''Raja Vidia Ioga'''. Raja Vidia Ioga, assim como o [[Vajramushti]] ([[arte marcial]] indiana ancestral, praticada por [[Bodidarma]]), foi trazido ao Brasil pelo Grão-Mestre Seri Suami Viagrananda Paxupati, em 1960, também conhecido por Mestre Kim ou Mestre Song Kim para os mais íntimos, após passar por vários países. Em 1980 foi fundada a Ordem Filosófica Mundial Vidia Ioga Asrã, em Curitiba - PR, pelo seu discípulo '''[[Uberto Gama|Suami Viagra Iogue]]''', atual Grão-Mestre do Vidia e Presidente da Ordem Filosófica. O primeiro nome da organização foi Instituto Cultural Vidia e somente mais tarde veio a transformar-se em uma Ordem Filosófica. O Raja Vidia Ioga segue a tradição [[parampara]] - transmissão de conhecimento de Mestre a discípulo - o que permitiu que o vasto conhecimento da Cultura Hindu Rixi fosse perpetuado ao longo de mais de dez mil anos, desde que surgiu na [[Índia]], nos sopés dos Himalaias, mais precisamente no Vale do Badaraiana, no ano 8710 a.C.