Usuário(a):Spionida/Spionidae: diferenças entre revisões

8 bytes adicionados ,  03h13min de 13 de agosto de 2020
sem resumo de edição
Há registros de poucas espécies em água doce.<ref name=":41" />
 
Espécies de alguns gêneros, como dos gêneros ''Prionospio'' e ''Polydora'', provavelmente estão presentes em qualquer tipo de amostra de fundo bentônico coletada em qualquer lugar do mundo.<ref name=":40" /> Membros do gênero ''Aonides'' são formas dominantes em praias de areia em áreas temperadas e quentes do mundo.<ref name=":40" /> Há presença de representantes da família por toda a costa brasileira.<ref>{{citar livro|url=https://www2.ib.unicamp.br/projbiota/bentos_marinho/Catalogo%20Polychaeta_Amaral_et_al_2010.pdf|título=Catálogo das espécies de Annelida Polychaeta do Brasil|ultimo=Amaral, A. C. Z.; Nallin, S. A. H.; Steiner, T. M.; Forroni, T. D. O.; Gomes-Filho, D.|primeiro=|editora=Unicamp|ano=2010|local=Campinas|página=124-134|páginas=}}</ref><ref>{{Citar periódico|ultimo=Rocha|primeiro=Marcelo Borges|ultimo2=Paiva|primeiro2=Paulo Cesar de|data=agosto de 2012|titulo=''Scolelepis'' (Polychaeta: Spionidae) from the Brazilian coast with a diagnosis of the genus|url=http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1984-46702012000400011&lng=en&nrm=iso&tlng=en|jornal=Zoologia (Curitiba)|volume=29|numero=4|paginas=385–393|doi=10.1590/S1984-46702012000400011|issn=1984-4670|acessodata=}}</ref>
 
Spionidae apresenta apenas [[Vestígio fóssil|icnofósseis]], já que não apresenta partes duras fossilizáveis.<ref name=":39" /> Tubos característicos desses animais, no entanto, são identificados em [[Fóssil|fósseis]] de conchas, em sua maioria do [[Pleistoceno]], mas incluindo alguns registros do [[Triássico]] e até formações [[Devoniano|Devonianas]].<ref name=":39" />
Spionidae é uma das famílias de poliquetas mais estudadas, devido à sua importância biológica e comercial. Estando entre os primeiros colonizadores de corais recém mortos, desempenham um papel importante na bioerosão de substratos coralinos.<ref name=":39" />
 
Ademais, membros de alguns gêneros de Spionidae, denominados conjuntamente "polidorídeos", perfuram e se instalam em conchas de [[moluscos]] e outros substratos calcários.<ref name=":39" /><ref name=":47">{{Citar web|titulo=Polidorídeos (Polychaeta: spionidae) em ''Crassostrea rhizophorae'' (Mollusca: bivalvia) de cinco rios da costa pernambucana|url=https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/574|obra=repositorio.ufpe.br|data=2009-01-31|acessodata=2020-06-25|primeiro=Paulo|ultimo=Henrique de Oliveira Bonifácio}}</ref> Esses animais causam perda de valor considerável para culturas comercialmente importantes.<ref name=":47" /> Animais dos gêneros ''Boccardia'' e ''Polydora,'' por exemplo, são importantes pragas de ostras e outros bivalves, provocando o desenvolvimento de bolhas de lama (muco do poliqueta e detritos) nas conchas, onde os vermes se instalam.<ref name=":39" /><ref name=":47" />
 
A perfuração do substrato ocorre por dissolução ácida, associada a abrasão mecânica. Estes animais apresentam glândulas secretoras de ácido, geralmente ácido clorídrico, que amolece o calcário, e cerdas modificadas em robustas espinhas, no setígero 5, que raspam o calcário, abrindo orifícios, por onde o verne entra no substrato.<ref name=":39" />
347

edições