Diferenças entre edições de "Miguel I de Portugal"

Complemento Guerra Civil
(Complemento Guerra Civil)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel Provável parcialidade
 
Nessa altura, em 24 de abril de 1834, firmou-se o Tratado de Londres, uma [[Quádrupla Aliança (1834)|Quádrupla Aliança]] dos quatro mais fortes Estados europeus, que decidiram juntar-se para intervir militarmente contra as forças do rei D. Miguel.
 
A cidade do [[Porto]] desempenhou um papel fundamental na defesa dos ideais do [[liberalismo]] mais concretamente nas batalhas do [[século XIX]]. Aliás, a coragem com que suportou o cerco das tropas [[Miguel I de Portugal|miguelistas]] durante a [[Guerra Civil Portuguesa (1828-1834)|guerra civil de 1832-34]] e os feitos valorosos empreendidos pelos seus habitantes — o famoso [[Cerco do Porto]] — valeram-lhe mesmo a atribuição, pela rainha D. Maria II, do título — único entre as demais cidades de Portugal — de '''Invicta Cidade do Porto''' (ainda hoje presente no listel das suas armas), donde o epíteto com que é frequentemente mencionada por [[antonomásia]]- a «Invicta». Alberga numa das suas muitas igrejas - a da [[Igreja da Lapa (Porto)|Lapa]] - o coração de D. [[Pedro IV de Portugal]], que o ofereceu à população da cidade em homenagem ao contributo dado pelos seus habitantes à causa liberal.
 
 
Como consequência desta aliança, o Almirante inglês Napier desembarcou tropas na [[Figueira da Foz]], avançando por [[Leiria]], [[Ourém (Portugal)|Ourém]] e [[Torres Novas]], enquanto o General espanhol [[José Ramón Rodil y Campillo]] entrou em [[Reino de Portugal|Portugal]] através da [[Beira (Portugal)|Beira]] e [[Alto Alentejo (província)|Alto Alentejo]], com uma expedição de 15 mil homens, em apoio do partido de D. Pedro e de sua filha D. Maria da Glória. Na [[batalha de Asseiceira]], as forças militares portuguesas (absolutistas) foram definitivamente derrotadas pela conjugação das forças estrangeiras, aliadas às forças liberais do [[António José Severim de Noronha, Duque da Terceira|duque da Terceira]], e foram obrigadas a depor as armas, sendo o rei D. Miguel I forçado a abdicar em favor de [[Maria II de Portugal|D. Maria II]] através da [[Convenção de Evoramonte]] assinada a 26 de maio de 1834, dia do 33.º aniversário de D.Miguel.