Diferenças entre edições de "Marcha dos 100 mil de Brasília em 1999"

1 340 bytes removidos ,  15h04min de 22 de agosto de 2020
→‎Agressões: Removi essa parte do artigo, estava bem mal escrito e deixando margem para a parcialidade, talvez a parte deva ser escrita, mas com uma maior quantidade de fontes. Também removi a expressão "sem sucesso" no tópico "Controvérsias", porque também era algo parcial
m (Problema com a data que estava marcada como "erro")
(→‎Agressões: Removi essa parte do artigo, estava bem mal escrito e deixando margem para a parcialidade, talvez a parte deva ser escrita, mas com uma maior quantidade de fontes. Também removi a expressão "sem sucesso" no tópico "Controvérsias", porque também era algo parcial)
Etiquetas: Editor Visual Remoção considerável de conteúdo
 
A imprensa cobriu a marcha, sendo destaques em abertura nos telejornais das redes [[Rede Globo|Globo]], [[Sistema Brasileiro de Televisão|SBT]], [[Rede Record|Record]], [[Rede Bandeirantes|Bandeirantes]], [[TV!]] (ex-[[Rede Manchete|Manchete]]), [[Central Nacional de Televisão|CNT]], [[TVE Brasil]], [[TV Cultura]], [[Rede Mulher|Mulher]] e [[Rede Família|Família]].
 
== Agressões ==
A manifestação foi amplamente divulgada pela mídia e meios de comunicação, mas sem que fossem divulgadas informações sobre agressões ou atentados ao pudor. Ao contrário, a manifestação foi considerada pacífica pela imprensa. Ainda hoje o registro fotográfico disponível não mostra tais acontecimentos, e o pouco material disponível está protegido por direitos autorais dos meios de comunicação.
 
No entanto, existe uma fonte<ref>{{citar web|url=http://www.duraverum.com|titulo=Dura Verum, Sed Verum|data=06/03/2017|acessodata=26/03/2020|ultimo=Murowaniecki|primeiro=Jacinto|publicado=}}</ref> que salvaguarda um arquivo fotográfico sobre o evento, obtida a partir de um fotógrafo sem relação com os meios de comunicação, onde cerca de uma centena e meia de registros podem ser consultados livremente pelos pesquisadores<ref>{{citar web|url=https://sites.google.com/view/marcha|titulo=Marcha dos 100 Mil - 1999|data=11 de março de 2017|acessodata=26 de março de 2020|publicado=Indexador Dura Verum, Sed Verum|ultimo=Murowaniecki|primeiro=Jacinto}}</ref>.
 
Os registros confrontam as informações dos meios de comunicação, o que pode indicar um certo alinhamento entre a imprensa e os organizadores da manifestação na divulgação ou ocultação de fatos envolvendo aquele ato.
 
== Depois da Marcha ==
== Controvérsias ==
* O cálculo do número de pessoas presente na marcha de Brasília é impreciso e disputado: Os organizadores do evento disseram à imprensa que reuniu mais de 100 mil pessoas no local. Porém, o governo do Distrito Federal calculou pouco mais de 40 mil. Segundo o jornal [[Folha de S. Paulo]], com base em fotos aéreas, haveria aproximadamente 75 mil manifestantes.<ref>{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u19825.shtml|titulo=PT quer reeditar "Marcha dos 100 mil" para protestar contra corrupção|autor=|data=15 de Maio de 2001|publicado=Folha Online|acessodata=15-04-2010}}</ref>
* Aliados do Governo FHC tentaram, sem sucesso, desqualificar o movimento, taxando o evento de uma "baderna sem rumo".
* A marcha foi vista mais tarde, como “palanque eleitoral” do PT para 2000 e 2002, pois foi o partido mais beneficiado do evento, em relação aos outros partidos da oposição, pois era o partido que tinha por bandeiras a “ética na política”, “todas as investigações sobre o Governo FHC” e “punição aos todos os políticos corruptos”.