Diferenças entre edições de "Magma"

92 bytes removidos ,  23h23min de 28 de agosto de 2020
m
v2.03b - Corrigido usando WP:PCW (en dash ou em dash)
m (Foram revertidas as edições de 2001:8A0:E180:E101:F549:4B34:A589:B69D para a última revisão de Cadnero, de 14h48min de 7 de junho de 2020 (UTC))
Etiqueta: Reversão
m (v2.03b - Corrigido usando WP:PCW (en dash ou em dash))
{{Mais notas|data=março de 2020}}
[[imagem:Pahoehoe toe.jpg|thumb|300px|Fluxo de [[lava]] no [[Havaí]]. A lava é o equivalente [[rocha extrusiva|extrusivo]] do magma]]
[[imagem:Igneous structures.jpg|thumb|300px|Visão esquemáticas das estruturas e processos associados à formação e movimento dos magmas.<small> <u>Estruturas:</u> '''A''' &mdash; [[câmara magmática]] activa (designada por ''[[Plutão (geologia)|plutão]]'' quando arrefecida e inteiramente cristalizada ou ''[[batólito]]'' se composta por múltiplas intrusões plutónicas); '''B''' &mdash; [[Dique (geologia)|diques]] magmáticos arrefecidos; '''C''' &mdash; [[lacólito]] emergente; '''D''' &mdash; [[pegmatito]]; '''E''' &mdash; [[Soleira (geologia)|soleiras]] magmáticas emergentes e solidificadas; '''F''' &mdash; [[estratovulcão]]. <u>Processos:</u> '''1''' &mdash; [[intrusão]] subvulcânica emergindo através de outra pré-existente; '''2''' &mdash; [[xenólito]]; '''3''' &mdash; [[metamorfismo de contacto]]; '''4''' &mdash; sobreelevação da superfície devida à intrusão de um [[lacólito]] subsuperficial.</small>]]
[[imagem:Yellowstone magma chamber.jpg|thumb|300px|Câmara magmática]]
[[imagem:Partial melting asthenosphere ES.svg|thumb|300px|Situações típicas de formação de magmas (a vermelho) na [[astenosfera]]]]
Por definição, uma rocha formada pela solidificação de um magma é designada por [[rocha ígnea]], pois o magma é o ancestral de todas as [[rocha ígnea|rochas ígneas]], sejam elas [[intrusiva]]s ou [[extrusiva]]s. O magma permanece sob alta [[pressão]] e, algumas vezes, emerge através das fendas [[vulcão|vulcânicas]], na forma de [[lava]] fluente e [[fluxo piroclástico|fluxos piroclásticos]]. Os produtos de uma erupção vulcânica geralmente contêm [[gás|gases]] dissolvidos que podem nunca ter alcançado a superfície do [[planeta]]. O magma se acumula em várias câmaras de magma, situadas no interior da [[crosta]] terrestre, cuja localização resulta em leves alterações na sua composição.
 
Apesar do estudo dos magmas ter historicamente dependido da observação do magma na forma de [[lava]] naturalmente extruída, magma já foi encontrado ''[[in situ]]'' por três vezes durante [[Energia geotérmica|perfurações geotérmicas]] &mdash; duas vezes na [[Islândia]] e uma no [[Hawaii]].<ref>{{citar web | url=http://www.news.ucdavis.edu/search/news_detail.lasso?id=9174 | título=Scientists' Drill Hits Magma: Only Third Time on Record }} UC Davis News and Information, June 26, 2009.</ref><ref>[http://www.physorg.com/news148664988.html Magma Discovered in Situ for First Time]</ref><ref>{{citar web | url=http://www.agu.org/meetings/fm08/fm08-sessions/fm08_V23A.html | título=Puna Dacite Magma at Kilauea: Unexpected Drilling Into an Active Magma Posters }} 2008 Eos Trans. AGU, 89(53), Fall Meeting.</ref>
 
No caso da Islândia, o magma foi encontrado na execução do [[Iceland Deep Drilling Project]] (IDDP), que incluía a perfuração de diversos [[Poço geotérmico|poços geotérmicos]] com 5&nbsp;000&nbsp;m de profundidade destinados a aproveitar o [[calor]] presente no [[subsolo]] vulcânico da ilha. Durante a perfuração de um dos poços foi encontrada uma bolsa de magma a 2&nbsp;100&nbsp;m de profundidade. Sendo apenas a terceira vez que a nível global se atingiu um magma, o IDDP decidiu investir no furo, designado-o como o poço IDDP-1. Naquele poço foi instalada uma manga em aço cimentado com perfurações na zona terminal, próxima do magma. As altas temperaturas e pressões do vapor de água gerado pelo magma foram usadas para alimentar uma central eléctrica com 36&nbsp;MW de potência eléctrica, tornando o poço IDDP-1 o primeiro sistema geotérmico alimentado directamente por um magma.<ref name="Geothermics Magazine, Vol. 49 (January 2014)">{{citar livro|título=Geothermics Magazine, Vol. 49 (January 2014)|autor =Wilfred Allan Elders, Guðmundur Ómar Friðleifsson and Bjarni Pálsson| url=http://www.sciencedirect.com/science/journal/03756505/49/supp/C |ano=2014 |publicado=Elsevier Ltd.}}</ref>
===Mecanismos de produção dos magmas===
Cerca de 80&nbsp;% do magmatismo é produzido nos bordos construtivos das [[Placa tectónica|placas tectónicas]], sob as [[Dorsal meso-oceânica|dorsais oceânicas]], e a quase totalidade dos restantes 20% em zonas de [[subducção]] e em regiões localizadas no interior das placas onde ocorram os efeitos de [[Ponto quente (geologia)|pontos quentes]].<ref name=anguitaymoreno1991 /> Os mecanismos de fusão são os seguintes:
* Magmatismo das dorsais &mdash; a fusão sob as dorsais oceânicas pode dever-se à diminuição da pressão nas rochas como consequência da sua ascensão devido aos movimentos convectivos, em [[estado sólido]] ([[reodo]]), do manto. A ascensão à superfície destes magmas primários, isto é sem diferenciação, é a origem das imensas massas basálticas dos fundos oceânicos;
* Magmatismo das zonas de subducção &mdash; a fusão produz-se pelo aumento da temperatura causada pela compressão da [[litosfera]] que subduz e pela fricção com as rochas do manto, a que acresce o efeito da água que se liberta e ascende, o que diminui o ponto de ''solidus'' das rochas superiores. Este mecanismo dá origem aos magmas que formam os [[batólito]]s típicos das zonas orogénicas.
* Magmatismo intraplaca &mdash; esta forma de magmatismo é devida à acção de pontos quentes, tanto debaixo de crusta continental como oceânica. As grandes fracturas litosféricas intraplaca também podem produzir magmatismo por fusão de rochas do manto, como se observa pela associação destas falhas com a presença de vulcões.
===Câmara magmática e migração===
{{AP|Câmara magmática}}
[[imagem:Igneous rock Santoroni Greece.jpg|thumb|250px|[[Rocha vulcânica]]: basalto]]
Os magmas mais comuns podem ser agrupados em três tipos principais: (1) basálticos, (2) andesíticos e (3) graníticos.<ref name=anguitaymoreno1991>{{citar livro | autor= [[Francisco Anguita Virella|Anguita, F]] y Moreno, F.|ano=1991| capítulo= Magmas| título= Procesos geológicos internos| editora= Editorial Rueda| páginas = 73-101| isbn= 84-7207-063-8}}</ref> Esses tipos de magma apresentam as seguintes características:
* Magmas basálticos &mdash; podem ser [[Toleíte|toleíticos]], ricos em [[sílica]] e produzidos nas [[Dorsal meso-oceânica|dorsais oceânicas]], ou alcalinos, ricos em [[sódio]] e [[potássio]], produzidos em zonas do interior das [[Placa tectónica|placas tectónicas]]. São os mais comuns;
* Magmas andesíticos &mdash; são ricos em sílica e minerais hidratados, como [[anfíbola]]s ou [[biotite]]s. Formam-se nas zonas de [[subducção]], sejam na [[crusta continental]] ou [[Crusta oceânica|oceânica]];
* Magmas graníticos &mdash; apresentam ponto de fusão mais baixo e podem formar grandes [[Plutão (geologia)|plutões]]. Originam-se em [[Orogenia|zonas orogénicas]], como os andesíticos, mas também se podem formar a partir de magmas basálticos ou andesíticos que atravessem e fundam [[Rocha ígnea|rochas ígneas]] ou [[Rocha sedimentar|sedimentares]] metamorfizadas da crusta que, ao incorporarem-se no magma, alteram a sua composição.
 
Por o lado, segundo a sua composição [[mineral]], os magmas podem ser classificados em dois grandes grupos: [[máfico]]s e [[félsico]]s. Basicamente, os magmas máficos contêm silicatos ricos em [[magnésio]] e [[ferro]], enquanto os félsicos contêm silicatos ricos em [[sódio]] e [[potássio]]. Esses dois grandes grupos podem ser subdivididos de acordo com as características físicas e composicionais gerais dos tipos mais frequentes de magma, dando origem às seguintes classes:
</center>
O resultado do arrefecimento do magma são as [[rochas ígneas]]. Dependendo das circunstâncias do arrefecimento, as rochas podem ter granolometria fina ou grosseira.<ref name=anguitaymoreno1991 /> Em função da composição e formação, as rochas ígneas dividem-se em:
* [[Rocha plutónica|Rochas plutónicas ou intrusivas]] &mdash; as que se formaram por lento arrefecimento do magma, em profundidade e geralmente em grandes massas. Os seus jazimentos designam-se [[Plutão (geologia)|plutões]] e [[dique (geologia)|diques]]. Por exemplo, o [[granito]], o [[gabro]] e o [[sienito]] são rocha que pertencem a este tipo.
* [[Rocha vulcânica|Rochas vulcânicas, extrusivas ou efusivas]] &mdash; formam-se pelo arrefecimento do magma desgaseificado, a [[lava]], na superfície terrestre. Por exemplo, o [[basalto]] e o [[riolito]] pertencem a este grupo.
* [[Rocha subvulcânica|Rochas subvulcânicas]] &mdash; são as que formam [[Dique (geologia)|diques]] e [[filão (geologia)|filões]]. Por exemplo, o [[Pórfiro|pórfiro granítico]] ou o pórfiro andesítico pertencem a este grupo.
 
== Evolução dos magmas ==
===Processos de diferenciação magmática===
A composição dos magmas pode variar em função de vários processos:<ref name=anguitaymoreno1991 />
* [[Diferenciação magmática|Diferenciação]] &mdash; durante o arrefecimento de um magma a ordem de cristalização dos minerais depende de seu ponto de fusão, cristalizando primeiro os minerais de ponto de fusão mais alto e por último os de ponto de fusão mais baixo ([[Cristalização fraccionada (geologia)|cristalização fraccionada]]). A composição do magma restante (magma residual) vai variando ao longo deste processo. Em magmas basálticos, esta ordem está definida pelas denominadas [[séries de Bowen]]. Se os cristais formados e o magma residual não se movessem, a rocha resultante teria a mesma composição global que o magma inicial, mas a diferenciação produz-se porque os cristais que se vão formando podem afundar-se e [[Acumulação (geologia)|acumular-se]] nas zonas inferiores da câmara magmática (diferenciação gravitatória), ou o magma residual pode migrar por diminuição do tamanho da câmara (filtrado por pressão) ou podem formar-se bolhas ricas em sódio e potássio, elementos mais leves, que se deslocam em direcção ao tecto da câmara magmática (transporte gasoso);
* Assimilação &mdash; quando o magma funde parte da rocha encaixante e a integra na sua composição, que varia proporcionalmente segundo a natureza do volume de rocha fundida que é incorporado.
* Mistura &mdash; quando se misturam dois magmas de diferente origem e natureza, ainda que o normal seja a mistura de magmas da mesma procedência: um já diferenciado com outro novo, primário e mais quente, que o incorpora.
===Ebulição dos magmas ===
Nos magmas a [[evaporação]] dos vários elementos é possível, mas não todos em conjunto uma vez que é uma mistura e os seus vários componentes tem pontos de ebulição variados. Mesmo antes da formação do magma, ou seja antes de iniciado o processo de fusão dos silicatos, já alguns compostos sofrem vaporização, tais como o [[trióxido de fósforo]] (P<sub>4</sub>O<sub>6</sub>) que evapora à temperatura de 173,1&nbsp;°C, ou seja 446,25&nbsp;K, a [[água]] (H<sub>2</sub>O) a 99,98&nbsp;°C e também o [[oxigénio]] (O) proveniente da desintegração do [[óxido de potássio]], que não está presente no magma mas sim nas rochas, que ao atingir a temperatura de 350&nbsp;°C, ou seja 623 K, se decompõe em [[potássio]] (K) e oxigénio (O).