Diferenças entre edições de "Narrador não confiável"

m
sem resumo de edição
m
m
== Exemplos ==
=== Ocorrências históricas ===
Um dos primeiros usos da não confiabilidade na literatura é em ''[[As Rãs]]'' de [[Aristófanes]]. Após o deus [[Dioniso|Dionísio]] afirmar ter afundado 12 ou 13 barcos inimigos com Cleistenes, seu escravo Xanthias diz "Então eu acordei". A versão mais conhecida está na comédia de [[Plauto]], ''[[Miles Gloriosus]]'' (séculos III–II a.C.), que apresenta um soldado que constantemente embeleza suas realizações enquanto seu escravo Artotrogus, em apartes, afirma que as histórias são falsas e que ele só as apoia para obter alimentos. O dispositivo literário do "narrador não confiável" foi usado em vários [[Literatura árabe|contos árabes]] ficcionais medievais de ''[[As Mil e Uma Noites]]'', também conhecido como ''Noites Árabes''.<ref>{{citar livro|título=The Arabian Nights: A Companion |último = Irwin |primeiro = Robert |autorlink = |publicado= Tauris Parke Paperbacks |ano=2003 |isbn=1-86064-983-1 |página=227}}</ref> Em um conto, "Os Sete Vizires", uma cortesã acusa o filho de um rei de tê-la atacado, quando na realidade ela não conseguiu seduzi-lo (inspirado na história [[Bíblia|bíblica]]/[[Alcorão|corânica]] de [[José (filho de Jacob)|José]]/Yusuf). Sete [[vizir]]es tentam salvar sua vida narrando sete histórias para provar a não confiabilidade da cortesã, e a cortesã responde narrando uma história para provar a não confiabilidade dos vizires.<ref>{{citar livro|título=Story-telling Techniques in the Arabian Nights |último = Pinault |primeiro = David |publicado=[[Brill Publishers]] |ano=1992 |isbn=90-04-09530-6 |url=http://www.brill.com/story-telling-techniques-arabian-nights |acessodata=1 de agosto de 2015 |página=59}}</ref> O dispositivo do narrador não confiável também é usado para gerar suspense em outro conto de ''Noites Árabes'', "As Três Maçãs", uma história inicial de mistério. Em um ponto da história, dois homens afirmam ser o assassino, um dos quais é revelado estar mentindo. Em outro ponto na história, em um flashback mostrando os motivos para o assassinato, é revelado que um narrador não confiável convenceu o homem da [[infidelidade]] de sua esposa, levando assim ao assassinato da mulher.<ref>{{citar livro|título = Story-Telling Techniques in the Arabian Nights |último = Pinault |primeiro = David |publicado=[[Brill Publishers]] |url= http://www.brill.com/story-telling-techniques-arabian-nights |acessodata = 1 de agosto de 2015 |ano = 1992 |isbn=90-04-09530-6 |páginas=93–97}}</ref>
 
Outro exemplo inicial de narração não confiável está ''[[Os Contos de Cantuária|Os Contos de Canterbury]]'' de [[Geoffrey Chaucer]]. Em "O Conto do Mercador" por exemplo, o narrador, que é infeliz em seu casamento, permite seu preconceito contar a maior parte da história. Em "A Esposa de Bath", a esposa frequentemente faz cotações imprecisas e relembra incorretamente de histórias.
4 097

edições