Arquitetura vernacular: diferenças entre revisões

m
Foram revertidas as edições de 187.45.48.251 por mudar a grafia (usando Huggle) (3.4.10)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 187.45.48.251 por mudar a grafia (usando Huggle) (3.4.10))
Etiqueta: Reversão
== O Vernacular e o Arquitecto ==
[[Imagem:Piodão_DSC00098_%2836307060003%29.jpg|thumb|[[Aldeias do Xisto|Casa de Xisto]], [[Serra da Lousã|Serra da Lousa, Portugal]]]]
A arquitetura projetada por arquitetos profissionais nao é normalmente considerada vernácula. De fatofacto, pode-se até argumentar que o próprio processo de projetarprojectar conscientemente um edifício torna-o nãonao vernáculo. Paul Oliver<ref>{{Citar livro|url=https://www.worldcat.org/oclc/50495617|título=Dwellings : the vernacular house world wide|ultimo=Oliver, Paul, 1927-2017,|local=London|isbn=0-7148-4202-8|oclc=50495617}}</ref> no seu livro ''Dwellings'' oferece a seguinte simples definição de arquitetura vernacular: "a arquiteturaarquitectura do povo, e pelo povo, mas não para o povo."
 
[[Frank Lloyd Wright]] descreve a arquitetura vernacular como "o edifício popular crescendo em resposta às necessidades reais, encaixado no ambiente por pessoas que não sabiam melhor do que encaixá-lo com sentimento nativo"<ref>{{Citar livro|url=https://www.worldcat.org/oclc/50495617|título=Dwellings : the vernacular house world wide|ultimo=Oliver, Paul, 1927-2017,|local=London|isbn=0-7148-4202-8|oclc=50495617}}</ref>, sugerindo que é uma forma primitiva de design, sem pensamento inteligente, mas ele também afirma que "para nós mais vale a pena o seu estudo do que todas as tentativas acadêmicas altamente autoconscientes de beleza na Europa".
 
Em 1964, a exposição ''Arquitetura sem Arquitetos'' foi apresentada no [[Museu de Arte Moderna (Nova Iorque)|Museu de Arte Moderna de Nova York]] por Bernard Rudofsky. Acompanhada por um livro com o mesmo título<ref>{{Citar livro|url=http://worldcat.org/oclc/66736675|título=Architecture without architects : a short introduction to non-pedigreed architecture|ultimo=Rudofsky, Bernard, 1905-1988.|data=2002|editora=University of New Mexico Press|isbn=0-8263-1004-4|oclc=66736675}}</ref>, incluindo fotografias a preto e branco de edifícios vernáculos em todo o mundo, a exposição foi extremamente popular. Foi Rudofsky quem primeiro fez uso do termo vernáculo num contexto arquitetônico, e trouxe o conceito aos olhos do público e da arquitetura convencional: "Por falta de um rótulo genérico chamar-lhe-emos vernacular, anônimoanónimo, espontâneo, indígena, rural, conforme o caso". No entanto, o leque de estudos sobre arquitectura vernacular desde a publicação do livro sugere que a caracterização de Rudofsky era limitada e problemática; de fatofacto, muitas vezes a arquitectura vernacular ''não'' é anônimaanónima e é concebida de forma muito intencional, aprendida através de gerações de prática e baseada na disponibilidade de materiais particulares e profundamente afetadaafectada pelo clima (e, portanto, não "espontânea").
 
Depois do surgimento do termo na década de 1970, as considerações vernaculares têm desempenhado um papel cada vez maior nos projetos arquitetônicos, embora cada arquiteto tiretirar mensagens muito diferentes sobre os méritos da arquitetura vernácula.{{Referências}}
 
==Bibliografia==