Diferenças entre edições de "Comenda de Oriz"

461 bytes adicionados ,  09h08min de 21 de setembro de 2020
m
Nota: Testamento de Jansen Möller
m (→‎Ligações externas: Documento Universidade Évora)
m (Nota: Testamento de Jansen Möller)
=== Extinção da comenda pelo governo liberal (governo dos Cartistas)===
[[Imagem:Diário do Governo 1852.png|thumb|centro|Diário do Governo nº64 de 1852]]
Pelo [[Diário do Governo (Portugal)|Diário do Governo]] Nº64 de 16 de março de 1852, sabemos que D. Maria Teresa Jansen Möller (filha de Agostinho Jansen Möller, Brigadeiro, Marechal de Campo<ref>[https://digitarq.arquivos.pt/details?id=6069762 Testamento de Maria Teresa Jansen Möller, na Torre do Tombo, Registo Geral de Testamentos - Belém 1834/1900, Livro 12 p.85] </ref>,e [[Lista de governadores do Algarve|governador interino do Algarve]] em 1782) foi aparentemente a última comendadora da comenda de Oriz em antes da extinção da ordem{{nota de rodapé|Extrato do testamento de D. Maria Teresa Jansen Möller: "Foi-me dada uma Comenda de pequeno rendimento em minha vida, da qual desde de mil oito centos e trinta e três nunca mais recebi nada pelas razões sabidas: A pensão que na sua origem foi de trezentos mil reis cada ano e que está presentemente reduzida em dez mil oito centos e trinta e seis cada mês, também me foi dada em minha vida, tudo por serviços de meu pai à quarenta e tantos anos.}}. Porque pelo acórdão do Tribunal de Contas, aí citado, D. Maria foi declarada devedora da quantia de três mil e duzentos e noventa [[Real (moeda portuguesa)|réis]] a Fazenda publica pelo pagamento da décima extraordinária da comenda de Oriz, de que era comendadora no ano de 1832<ref>[https://digigov.cepese.pt/pt/pesquisa/listbyyearmonthday?ano=1852&mes=3&tipo=a-diario&filename=1852/03/16/D_0064_1852-03-16&pag=1&txt=Oriz Diário do Governo nº64 de 16 de março de 1852]</ref>. Pouco depois, pelo Decreto de 14 de Julho de 1834, os bens das ordens militares são incorporados aos bens do estado e as comendas são extintas<ref>A venda dos bens nacionais(1834-43): uma primeira abordagem, em Análise Social, vol.XVI(61-62), 1980-lº-2º,p 88 de Luis Espinha da Silveira, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa</ref>.
 
== Posse da terra do Lameiro ==
569

edições