Diferenças entre edições de "Força Aérea Checoslovaca"

1 byte removido ,  17h44min de 1 de outubro de 2020
m
sem resumo de edição
m
m
 
Com a [[Acordo de Munique|crise dos sudetos]] na Alemanha piorando, o Exército Checoslovaco e a Força Aérea se mobilizaram parcialmente em 21 de Maio de 1938 e completamente em 23 de Setembro.<ref name=FCAFA-Janoušek>{{citar web |url=http://fcafa.wordpress.com/2012/05/08/karel-janousek/ |titulo=RNDr Air Marshall Karel Janoušek |data=8 de Maio de 2012 |lingua=Inglês}}</ref> A força aérea tinha mais de 100 aeródromos e 1.300 aeronaves a disposição, das quais 650 eram aeronaves de frente.{{sfn|Janoušek|1942|p=8}} Mas em 29 de Setembro o [[Reino Unido]] e a [[Terceira República Francesa]] concordaram em deixar a Alemanha anexar a terra dos sudetos, com as forças checoslovacas sendo incapazes de resistir.
 
O Acordo de Munique foi seguido em 2 de Novembro de 1938 pela [[Primeira Arbitragem de Viena]], na qual a Alemanha e a [[Reino de Itália (1861–1946)#A era fascista|Itália Fascista]] permitiram que a [[Reino da Hungria (1920-1946)|Hungria]] anexasse o sul da Eslováquia. Então, em 15 de Março de 1939 a [[Ocupação alemã da Checoslováquia|Alemanha ocupou a Checoslováquia]], criou o [[Protetorado da Boêmia e Morávia]] e permitiu que o remanscenteremanescente da Eslováquia se tornasse a [[República Eslovaca (1939–1945)|República Eslovaca]]. A Alemanha permitiu que a Eslováquia mantivesse um pequeno exército e força aérea, mas ordenou que o governo da Boêmia e Morávia dissolvessem suas forças armadas.
 
A ''[[Luftwaffe]]'' confiscou todas as aeronaves da Força Aérea Checoslovaca.{{sfn|Janoušek|1942|p=14}} Todas as indústrias aeronáuticas checoslovacas foram convertidas para produzir aeronaves e motores alemãosalemães.
 
A ''Luftwaffe'' tentou recrutar pilotos checoslovacos inativos para algumas tarefas, como voos de translado ou meteorológicos, mas sem sucesso. Confiscaram também as aeronaves checoslovacas e tentaram fazer com que os pilotos os levassem para a Alemanha, mas de sete pilotos que decolaram do Aeródromo de Hradec Králové na [[Morávia]], nenhum chegou na ALemanhaAlemanha. Três voaram para a [[Segunda República Polonesa|Polônia]], dois para a [[União Soviética]] e os outros dois caíram com suas aeronaves sem se machucar, mas as aeronaves foram destruídas. Após estes incidentes, a Alemanha desistiu em usar os pilotos checoslovacos.{{sfn|Janoušek|1942|p=14}}
 
A emigração era estritamente controlada e os ex-militares da força aérea eram proibidos de deixar o país. Entretanto, muitos pilotos checoslovacos conseguiram emigrar para a Polônia. Destes, alguns entraram na [[Força Aérea Polaca]], mas a maior parte continuou para a [[França]].{{sfn|Janoušek|1942|p=17}}
===Segunda Guerra Mundial 1939–45===
[[Ficheiro:Josef František.png|thumb|upright|[[Ás da aviação|Ás]] [[Josef František]] serviu nas forças Checoslovaca, Polaca, Francesa e Inglesa]]
Os pilotos checoslovacos que entraram para a Força Aérea Polaca entraram em ação em Setembro de 1939 quando a [[Invasão da Polônia|Alemanha invadiu a Polônia]]. Muitos lutaram com distinção e 55 foram condecorados.{{sfn|Janoušek|1942|p=17}} [[Josef František]] estava entre os mais condecorados, recebendo a [[Ordem Virtuti Militari]].<ref>{{citar web |url=http://fcafa.wordpress.com/2010/07/24/josef-frantisek.htm |titulo=Josef František – One of the Few |data=24 de Julho de 2010 |lingua=Inglês}}</ref> Após a União Soviética se unir na invasão da Polônia, suas forças armadas capturaram alguns pilotos checoslovacos. Outros escaparam enquandoenquanto a Polônia ruía, alcançando primeiramente a [[Reino da Romênia|Romênia]] e então indo pelos Balcãs e pela [[Mandato Francês da Síria|Síria ou Líbano]] para se juntar a seus compatriotas que já haviam chego na França.{{sfn|Janoušek|1942|p=17}}
 
Em primeiro momento, a França insistiu que todos os pilotos checoslovacos se juntassem à [[Legião Estrangeira Francesa]]. Apenas após a França declarar guerra contra a Alemanha ela concordou com o Comitê Nacional Checoslovaco em [[Paris]] para deixar seus homens serem transferidos para a [[Força Aérea da França]] e ter seus títulos de volta. Eles precisariam ser retreinados em aeronaves francesas, mas alguns completaram seu treinamento a tempo de lugar na [[Batalha de França]] em Maio e Junho de 1940. Destes, sete receberam a condecoração militar francesa mais alta, a [[Ordem Nacional da Legião de Honra]], e cinco receberam a [[Medalha Militar (França)|Medalha Militar]]. 70 pilotos checoslovacos incluindo Josef František e [[Karel Kuttelwascher]], receberam a ''Croix de Guerre''.{{sfn|Janoušek|1942|p=19}}
Os checoslovacos rapidamente se adaptaram à estrutura, táticas e tipos de aeronaves da RAF. [[Hugh Dowding]], que liderou o [[Comando de Caça da RAF]] na Batalha da Grã-Bretanha, posteriormente recordou:
[[Ficheiro:Three Wellington Mk ICs of No. 311 (Czechoslovak) Squadron RAF based at East Wretham, Norfolk, March 1941. CH2265.jpg|thumb|Três aeronaves [[Vickers Wellington|Vickers Wellington 1C]] do Esquadrão No. 311 em voo, Março de 1941]]
<blockquote>Devo confessar que estava um pouco duvidoso do efeito que a experiência que tiveram em seus próprios países e na França teria nos pilotos poloneses e checoslovacos, mas minhas dúvidas logo sumiram, pois todos os três esquadrões entraram na baltalhabatalha com um ímpeto e entusiasmo que está além de elogios. Eles foram inspirados por um ódio ardente pelos alemães que os fez oponentes muito mortais.<ref>{{citar jornal |url=https://www.thegazette.co.uk/London/issue/37719/supplement/4553 |ultimo=Dowding |primeiro=Hugh |titulo=The Battle of Britain |jornal=[[The London Gazette]] |data=10 de Setembro de 1946 |paginas=4553–4554 |lingua=Inglês}}</ref></blockquote>
 
De 1940 a 1942, o Esquadrão No. 311 era parte do [[Comando de Bombardeiros da RAF]]. O comandante do grupo disse que o 311 "fez um show maravilhoso" e que tinha "os melhores [[Navegação aérea|navegadores]] no Comando de Bombardeiros".{{sfn|Janoušek|1942|p=12}}
A maioria dos militares da força aérea que escaparam da Checoslováquia ocupada eram tripulantes. A RAF estava escassa em pessoal de solo checoslovaco, então novos esquadrões continuaram a ser formados em parte por militares do Reino Unido{{sfn|Janoušek|1942|p=23}} e outras nacionalidades. Vários tripulantes checoslovacos foram destacados em mais de 60 outras unidades da RAF, incluindo 11 esquadrões da linha de frente.{{sfn|Janoušek|1942|p=24}}
 
Foram destacados checoslovacos o suficiente no Esquadrão No. 68 da RAF para formar uma [[esquadrilha]] inteira. O esquadrão até adotou um lema [[Língua tcheca|em checo]]: ''Vždy připraven'' ("Sempre pronto"). O ás checo Josef František foi aclamado por um autor da época como "um dos maiores pilotos checoslovacos, talvez um dos melhores combatentes de todos os tempos",{{sfn|Janoušek|1942|p=24}} serviu na [[Batalha da Grã-Bretanha]] no esuqadrãoesquadrão polonês No. 303. Karel Kuttelwascher, um ás de caça noturno de apelido "Ceifador da Noite" (''{{lang-en|Night Reaper}}''), serviu no Esquadrão No. 1.<ref>{{citar web |url=https://fcafa.com/2011/01/01/karel-kuttelwascher/ |titulo=Karel Kuttelwascher – One of the Few |data=1 de Janeiro de 2011 |lingua=Inglês}}</ref>
 
====Força Aérea Soviética====
Após a separação alemã da Checoslováquia em 1938, a Eslováquia ficou com uma pequena força aérea (''Slovenské vzdušné zbrane'' ou SVZ) equipada primariamente com aeronaves checoslovacas. Em 1939 a SVZ defendeu a Eslováquia contra a Hungria na [[Guerra Eslováquia-Hungria]] e lutou ao lado de forças alemãs na invasão eslovaca da Polônia.
 
Na [[Operação Barbarossa|invasão alemã à Rússia]] a SVZ prestou cobertura aérea por forças eslocavaseslovacas lutando contra a União Soviética na [[Frente Oriental (Segunda Guerra Mundial)|frente oriental]]. Durante a campanha, os biplanos eslovacos obsoletos foram substituídos com aeronaves alemãs, incluindo o [[Messerschmitt Bf 109]]. A força aérea foi enviada de volta à Eslováquia após fadiga de combate e a deserção ter diminuído a efetividade dos pilotos.
 
Unidades aéreas eslovacas participaram da [[Revolta Nacional Eslovaca]] contra a Alemanha a partir do final de Agosto de 1944.
Próximo do fim da [[Segunda Guerra Mundial]], o General [[Alois Vicherek]] ([[:cs:Alois Vicherek]]) deixou a Grã-Bretanha para a União Soviética, onde tomaria comando da Força Aérea Checoslovaca na União Soviética. Entretanto, ele chegou apenas no dia 1 de Maio de 1945, quando a guerra já estava quase no fim. Vicherek estava feliz em servir na Checoslovaca do [[Bloco do Leste]], e em 29 de Maio de 1945 foi apontado como Comandante da Força Aérea Checoslovaca.
 
Em Agosto de 1945 os quatro esquadrões checoslovacos da RAF, números 310 a 313 foram realocados para a Checoslováquia e se tornaram parte das forças armadas. À época, estes esquadrões eram equipaddosequipados com caças [[Supermarine Spitfire]] e bombardeiros pesados [[Consolidated B-24 Liberator]]. Os Spitfires voaram para a Checoslováquia com tanques adicionais de longo alcance para dar alcance suficiente para a jornada.<ref>{{harvnb|Liškutín|1988|p=}}{{page needed}}</ref>
 
[[Ficheiro:Avia CS-99.jpg|thumb|Aeronave de treinamento [[Avia S-199|Avia S-99]]]]
Durante a ocupação alemã, a Aero e a Avia produziram caças Messerschmitt Bf 109 para a ''Luftwaffe''. A fim de expandir a frota de Caça checoslovacos, a Avia continuou a construir os Bf 109 como Avia S-99.
 
Entretanto, um acidente industrial destruiu o estoque remanescente de motores [[Daimler-Benz DB 605]], então a Avia sbustituiusubstituiu-o pelo motor [[Junkers Jumo 211]] e sua hélice. O resultante foi um avião híbrido chamado de [[Avia S-199]]. O motor Jumo e sua hélice eram utilizados em bombardeiros médios e tinha caraterísticas de desempenho ruins para um caça. Isso deu ao S-199 uma manobrabilidade ruim, especialmente durante a decolagem e pouso. A produção foi encerrada em 1949 e a Checoslováquia tirou de serviço seus últimos S-199 em 1957.
 
[[Ficheiro:La-7 4 ld.jpg|thumb|[[Lavochkin La-7]] do 2º esquadrão, 1º regimento aéreo, 4ª divisão aérea em 1947]]
Em Maio de 1987 dois [[Avião a jato|jatos]] checoslovacos decolaram para tentar derrubar um engenheiro checoslovaco tentando escapar de seu país por um [[ultraleve]]. Após voar cerca de {{converter|10|mi|km}} dentro da fronteira da [[Alemanha Ocidental]], acabou o combustível da aeronave do refugiado, pousando em segurança em uma floresta na Bavária, pouco antes dos caças conseguirem interceptá-lo.<ref>{{citar jornal |url=https://news.google.com/newspapers?id=BsUUAAAAIBAJ&sjid=fuEDAAAAIBAJ&pg=3323,5053499&dq=man+escapes+in+hang+glider+roding |titulo=Man escapes in hang glider |jornal=[[The Register-Guard]] |data=20 de Maio de 1987 |pagina=2A}}</ref>
 
Na década de 1980 e início de 1990 a Força Aérea Checoslovaca consistia do Comando de Defesa Aérea do Estado, com caças de defesa aérea, [[Míssil terra-ar|mísseis terra-ar]] e radares de defesa aérea, sendo o 10º Exército do ar responsável pelo suporte às tropas. O Comando tinha a 2ª Divisão de Defesa Aérea ([[Brno]]) junto com o 8º Regimento de Caça, radares e míssiesmísseis terra-ar, a 3ª Divisão de Defesa Aérea ([[Žatec]]) com o 1º ([[České Budějovice]]), 5º ([[Dobřany]]), e 11º Regimentos de Caça ([[Zatec]]), e a 71ª Brigada Anti-aeronaves e o 185º Regimento de Mísseis Anti-aeronave.<ref>{{citar web |url= http://forum.valka.cz/viewtopic.php/t/48626/title/Velitelstvi-protivzdusne-obrany-statu-1976-1990 |titulo=State Air Defense Command |editora=Valka}}</ref> O 8º Regimento de Caça foi baseado em ([[Ostrava]]) (Mošnov) de 1959 até 1 de Abril de 1985, sendo depois realocado para Brno (Tuřany). Foi equipado com o MiG-21 de 1965 a 1991. O 1º Regimento de Caça em [[České Budějovice]] foi equipado com MiG-21 desde 1964, sendo dissolvido em 1992.
 
[[Ficheiro:MiG-23BN-1998.jpg|thumb|MiG-23BN checoslovaco no Museu de Aviação de Praga]]
60 593

edições