Diferenças entre edições de "Ilha Partridge"

sem resumo de edição
(nova página: thumb|O memorial da cruz celta na Ilha Partridge. '''Ilha Partridge''' ('''Partridge Island''' em inglês) é...)
Etiqueta: Inserção de predefinição obsoleta
 
Durante a [[Revolução Americana]], em 1780, seis tropas britânicas da corporação do major Timothy Hierlihy, sob o comando do tenente. Wheaton, atacou oito corsários americanos em uma casa que ocupavam na ilha de Partridge. Os britânicos mataram três dos corsários e os outros cinco foram feitos prisioneiros.<ref>[https://archive.org/stream/ahistorynovasco01murdgoog#page/n628/mode/1up/search/tartar p.608]</ref>
 
A Ilha Partridge foi estabelecida pela primeira vez como uma estação de [[quarentena]] e casa de pragas em 1785 pela Carta Real de Saint John, que também separou a ilha para uso como uma estação de auxílio à navegação e um posto militar. Seu primeiro uso como estação de quarentena só foi em 1816. Um [[hospital]] foi construído na ilha em 1830.
 
==Imigração e memoriais==
O folclore da ilha começa com a Nação Mi'kmaq, que se referiu à ilha como "Quak'm'kagan'ik", que significa "um pedaço cortado". Este nome é uma referência à crença de que a ilha foi criada quando Glooscap destruiu a barragem que "Big Beaver" havia construído. Em Reversing Falls Rapids, um pedaço da represa foi varrido com o fluxo da água até a boca do porto, onde parou para formar a ilha. Esta versão da lenda data do início do século XX. A versão do século 19 refere-se à Ilha da Perdiz na Bacia de Minas, na Nova Escócia.
 
Após a chegada dos legalistas americanos da [[Guerra de Independência dos Estados Unidos]] em 1783, e a formação da cidade de Saint John, surgiu a necessidade de um farol para auxiliar na navegação. Uma estação de luz foi erguida na Ilha Partridge e começou a operar em 1791. Foi apenas a terceira estação de luz a ser construída na [[América do Norte britânicaBritânica]]. Uma estação de sinalização logo foi localizada na ilha e foi usada por muitos anos para alertar o porto sobre navios que se aproximavam da Baía de Fundy. As estações de luz e sinal da ilha foram estabelecidas em 1791.
 
A ilha foi a principal fortificação militar de Saint John de 1800 a 1947. Foi a única fortificação de Saint John a ser usada durante todos os períodos da atividade militar de Saint John. Ainda existem vestígios visíveis da bateria de armas da Artilharia Real de 1812 e da Primeira e da Segunda Guerras Mundiais.
Wayne Long, MP de Saint John, propôs que um cais fosse construído no local e que os passeios de barco iriam de e para ele. Long disse em 2017: "Agora é hora de agir" sobre a criação de acesso à ilha histórica. Long estima que o cais custaria apenas US $ 5 milhões, o que é uma redução acentuada do custo de uma passarela.<ref>http://www.cbc.ca/news/canada/new-brunswick/partridge-island-saint-john-ruins-military-tunnels-history-1.3494250</ref>
 
Antes de abrir ao público, uma limpeza dos contaminantes significativos do solo da ilha teria que ser feito. Todos os edifícios restantes no local foram vandalizados ou queimados. Dos seis cemitérios, o cemitério do século 19 foi quase completamente destruído pelos militares durante a [[Segunda Guerra Mundial]]. Restam menos de três dúzias de sepulturas. Em vez de permanecer um local histórico nacional bem cuidado, a Ilha Partridge se tornou o "rito de passagem assombrado e perigoso para a juventude perdida de New Brunswick".<ref>https://www.vice.com/en_ca/article/4wbqaq/partridge-island-is-the-haunted-dangerous-rite-of-passage-for-saint-johns-wasted-youth</ref> Muitos jovens da área local vão para a ilha para festejar ou vandalizar, embora seja ilegal cruzar o quebra-mar.
==Ver também==
*[[Nova Brunswick]]