Diferenças entre edições de "Contratorpedeiro"

2 bytes adicionados ,  18h16min de 25 de outubro de 2020
m
sem resumo de edição
m (Pequenos ajustes)
m
[[Imagem:CT Amazonas (CT-1) 7 setembro de 1923.jpg|thumb|350px|direita|Contratorpedeiro brasileiro ''Amazonas'' - [[1908]].]]
[[Imagem:USS Perkins (DD-26).jpg|thumb|direita|350px|Contratorpedeiro USS '' Perkins'' - [[1909]].]]
O projeto do contratorpedeiro evoluiu, na passagem do século XIX para o [[século XX]], com a adoção de novos conceitos e avanços tecnológicos. O primeiro foi a introdução da [[turbina a vapor]]. O navio britânico movido por [[turbina]], ''Turbinia'' de [[1897]] apressou a ''Royal Navy'' a encomendar um protótipo de contratorpedeiro. O HMS ''Viper'' com este tipo de propulsão foi lançado em [[1899]]. O ''Viper'' foi o primeiro navio de guerra do mundo propulsado por turbinas, atingindo a velocidade notável de 36 nós, nos testes de mar. Por volta de [[1910]] a turbina passou a ser amplamente adotada por muitas marinhas para as suas embarcações mais rápidas.
 
O segundo grande avanço foi a substituição do [[convés]] de avante fechado, em estilo "carapaça de tartaruga", típico dos torpedeiros, por um castelo de [[proa]] aberto e elevado, que permitia, não só uma maior capacidade para enfrentar o mar alto, mas também mais espaço por baixo do [[convés]].
A Alemanha recomeçou a construção de contratorpedeiros durante a [[década de 1930]], como parte do programa de rearmamento de [[Hitler]]. Os alemães também eram adeptos dos grandes contratorpedeiros. No entanto, apesar dos contratorpedeiros iniciais, do tipo ''Zerstörer'' 1934, disporem de um deslocamento de mais de 3 000 t, o seu armamento era equivalente ao das embarcações menores. Isto mudou a partir dos contratorpedeiros do tipo ''Zerstörer'' 1936, que estavam já armados com peças pesadas de 150 mm. Os contratorpedeiros alemães também se caracterizavam pelo uso de máquinas inovadoras de vapor de alta pressão, que, apesar de melhorarem a sua eficiência, tinham frequentes problemas mecânicos.
 
A partir do momento em que os rearmamentos alemão e japonês se tornaram óbvios, as marinhas britânica e norte-americana focalizaram-se na construção de contratorpedeiros menores mas mais numerosos que os das outras nações. Os britânicos construiramconstruíram uma série de contratorpedeiros com cerca de 1 400 t de deslocamento, com quatro peças de 127 mm e oito tubos lança-torpedos. Os contratorpedeiros norte-americanos da classe ''Benson'' de [[1938]] eram semelhantes em tamanho, mas levavam cinco peças de 127 mm e dez tubos lança-torpedos.
 
Apercebendo-se da necessidade de armamento mais pesado, em termos de peças de artilharia, os britânicos construiriam os contratorpedeiros da classe Tribal, em [[1936]]. Estes navios deslocavam 1 850 t e estavam armados com oito peças de 127 mm em quatro torres duplas e com quatro tubos lança-torpedos. Esta classe foi seguida pelas classes J e L, que dispunham de seis peças de 127 mm em torres duplas e oito tubos lança-torpedos.
[[Imagem:USS Zumwalt (DDG-1000) at night.jpg|thumb|direita|350px|Contratorpedeiro [[USS Zumwalt (DDG-1000)|USS ''Zumwalt'']].]]
 
Os Estados Unidos planejam substituir os seus contratorpedeiros da [[Classe Spruance|classe ''Spruance'']] <ref>[http://www.globalsecurity.org/military/systems/ship/dd-963.htm Classe Spruance]</ref>- último dos quais foi abatido ao serviço em [[2001]] - pela futura [[Classe Zumwalt|classe ''Zumwalt'']].<ref>[http://www.defenselink.mil/releases/2006/nr20060407-12772.html Navy Designates Next-Generation Zumwalt Destroyer]</ref>. A [[1 de novembro]] de [[2001]] a Marinha dos Estados Unidos anunciou a emissão de uma proposta de revisão para o seu Programa do Futuro Combatente de Superfície. Anteriormente conhecido como DD 21, o programa passou a designar-se DD (X) para refletir, mais precisamente, o objetivo do programa, que é o de produzir uma família de navios de combate de superfície de tecnologia avançada e não apenas uma única classe de navios. Os navios da classe DD (X) ou ''Zumwalt'' estão planejados para serem muito maiores que os tradicionais contratorpedeiros, sendo quase 3 000 t mais pesados que os atuais cruzadores de 9 600 t da [[classe Ticonderoga]] e, assim, com maior deslocamento que a maioria dos [[cruzador#cruzador pesado|cruzadores pesados]] da Segunda Guerra Mundial. O projeto irá, potencialmente, empregar armamento super avançado e um sistema integrado de propulsão totalmente elétrico. O programa de construção foi, contudo, reduzido temporariamente, subsequentemente, para duas embarcações. Com a retirada dos ''Spruance'' a Marinha dos Estados Unidos começou a introduzir uma variante super avançada dos ''Arleigh Burke'' com capacidades anti-submarinas adicionais.
 
==Ver também==